Você está aqui: Página Inicial Notícias

Notícias

17/06/2011

Seminário em Goiás discute educação popular e políticas públicas

01/07/2011

A Casa da Juventude Padre Burnier (CAJU), com sede em Goiana (GO), promove, no dia 1º de julho, às 19h, o Seminário “Educação Popular e Políticas Públicas”, com apoio de diversos parceiros.

Participam do evento o coordenador da Cáritas Brasileira, Ademar Bertucci, e o coordenador do departamento de educação popular e mobilização cidadã da Secretaria Nacional de Articulação Social da Secretaria Geral da Presidência – Rede de Educação Cidadã (RECID), Willian Bonfim.

O seminário tem a parceria do Instituto Marista de Solidariedade, o Fórum Goiano de Economia Solidária, a Rede de Educação Cidadã e a Cáritas Brasileira.

O objetivo do evento é sensibilizar a população sobre a importância da educação popular e das políticas públicas como construção da “Sociedade que Queremos”.

Os interessados em participar devem preencher uma ficha de inscrição e enviá-la da para o e-mail: [email protected]

Fonte: Casa da Juventude

Cinema bollywoodiano atrai estudantes brasileiros à Índia

01/07/2011

Viagem pelos pontos principais do cinema mundial e intercâmbio para realizar cursos da sétima arte deixaram de se restringir a Estados Unidos e Europa. Um novo destino atrai estudantes brasileiros interessados em filmagem, cenário e enredo: a Índia e sua gigantesca indústria cinematográfica, Bollywood.

Números na casa dos milhares demonstram a grandiosidade do cenário cinematográfico no país asiático, que é tomado por cerca de 11 mil salas de cinema e produz mais de 1 mil filmes por ano. Ao longo dos anos, os enredos bollywoodianos se popularizaram na indústria internacional.

Exemplo disso é o filme Quem quer ser um milionário?, sucesso de bilheteria ao redor do mundo, com 10 indicações ao Oscar, das quais conquistou, entre outros, o título de melhor filme. Embora dirigido pelo britânico Danny Boyle, a obra foi gravada na Índia, com participação de atores indianos e adaptado de um livro daquele país.

Mas não é somente o sucesso no cenário mundial que tornam a Índia um dos novos locais para quem deseja fazer intercâmbio relacionado ao cinema. Os preços baixos - uma pechincha se comparado a Los Angeles, outro destino comum para cinéfilos - é mais um grande atrativo.

Foi o baixo custo e a vontade de estudar cinema no exterior que levaram a diretora Beatriz Seigner, 26 anos, a passar seis meses na Índia. Beatriz embarcou no avião com destino ao país asiático quando tinha apenas 18 anos, e lá fez um curso do cineasta Satyajit Ray, e depois, aulas de dança. A experiência rendeu o primeiro longa metragem Brasil-Índia, lançado em agosto deste ano. O filme Sonho Bollywoodiano conta a história de três atrizes brasileiras em busca de emprego na indústria cinematográfica indiana.

Mas não são todos que têm a coragem de chegar no país em busca de um curso sozinhos, como fez Beatriz. A língua hindi falada no país dificulta o processo. Por isso, algumas agências de intercâmbio oferecem viagens guiadas, de duas a seis semanas, e com cursos de cinema ministrados em inglês.

Cursos
A World Study tem como opção um curso de quatro semanas de workshop de filmagem em Mumbai. A diretora da agência, Michelle Werfel, explica que o programa proporciona aos alunos uma introdução completa aos fundamentos da arte cinematográfica. "Nas aulas, são formados grupos de quatro a seis estudantes, que têm à sua disposição uma câmera profissional. Durante o curso, cada um dos integrantes do grupo deve dirigir três filmes. Quando o aluno não está dirigindo o seu próprio filme, está ajudando na produção de um colega. Assim, todos passam por todas as funções que envolvem uma realização cinematográfica", conta.

Na conclusão do workshop, uma exibição de filmes dos alunos é realizada. "Isso proporciona uma oportunidade única para a família, amigos e elenco para ver o trabalho que os estudantes produziram", afirma Michelle. Além disso, os participantes podem manter os originais de 16mm e uma fita master digital de seu trabalho para incluir em seus portfólios. "Cada aluno recebe um diploma da conclusão do curso que é válido no Brasil", diz a diretora.

Ainda segundo Michelle, os únicos pré-requisitos para participar do programa são o nível de inglês avançado, já que as aulas são ministradas neste idioma, e ser maior de 18 anos. As opções de acomodações são diversas, podendo ser casas de família, residências estudantis, hotéis ou albergues. Para os interessados, a dica é ficar ligado no site da World Study, pois o programa acontece somente de três em três meses e não está disponível durante o ano todo.

Na Central de Intercâmbio, outro tipo de viagem também ganha força entre os estudantes: curso de inglês casado com um tour pelas principais cidades da Índia, que inclui visita às maiores salas de cinema e a alguns locais onde foram gravados cenas famosas de filmes bollywoodianos. O programa é de duas semanas e está disponível durante o ano todo.

Segundo o Consulado Geral da Índia, qualquer tipo de viagem com objetivos estudantis deve ser tratado com eles para que o processo de visto seja feito. Se o intercâmbio é realizado via agências de intercâmbio, o processo fica a cargo deles. Contudo, até 90 dias de turismo o visto não é necessário. Para o Consulado, é essencial a realização do seguro saúde, já que o sistema de saúde público na Índia é fraco e costuma ser burocrático para estrangeiros.

Fonte: Terra

Jogos virtuais e redes sociais ajudam escolas públicas a atrair alunos

04/07/2011

Seja na escola ou em casa, a atenção dos jovens e adolescentes está cada vez mais conectada às atrações e praticidades do mundo digital. A popularização de smartphones e netbooks demonstram este fenômeno, que tradicionalmente é ignorado pelas coordenações das escolas e controlado nos círculos familiares. Há três anos, esta revolução nos hábitos - inspiradora da geração Y -- oi compreendida pela Secretaria de Educação de Pernambuco como um desafio --  talvez o maior do ensino público estadual.

Como voltar a mobilizar os jovens com as atividades da escola e garantir o aprendizado? A dúvida parece ter encontrado uma resposta na criação da Olimpíada de Jogos Digitais e Educação (OJE), desenvolvida pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) com as empresas Joy Street, Jynx, Manifesto e Meantime. "A ideia é engajar e qualificar os jovens por meio da linguagem digital dos jogos e redes sociais", diz Luciano Meira, professor do Departamento de Psicologia da UFPE.

"Observamos que 50% dos alunos abandonam a escola antes da graduação e apenas 10% exibem as competências desejadas", afirma.

O projeto consiste na organização de jogos online para estudantes do ensino fundamental e médio, em torno de uma narrativa RPG e com desafios aliados aos conteúdos curriculares exigidos na rede de ensino e também pelo Enem. Segundo Meira, a OJE não é um jogo educacional, nem vídeo game. "Identificamos como jogos conversacionais, que promovem o aprendizado periférico e mais qualidade no diálogo entre alunos e professores".

Mestres e alunos têm acesso à plataforma OJE (www. educacao.pe.gov.br/oje) para criar seus avatares e interagir no espaço virtual. O bom desempenho nos jogos rende pontos (moedas) que podem valer prêmios. O principal desafio, a Olimpíada, ocorre ao longo do ano, e em equipes, que devem contar com a participação de um professor-orientador.

"Desde o início do projeto, vemos que os jovens estão super motivados", relata Meira. Segundo ele, os usuários gastam, em média, 15 minutos nas ferramentas virtuais , com picos de acesso registrados por volta das 21h, período no qual os estudantes estão em casa -o que comprova o interesse.Em 2010, aproximadamente 40 mil alunos pernambucanos de toda rede estadual participaram da Olimpíada, e mais 60 mil no Rio de Janeiro, outro estado que aderiu à ideia.

O investimento médio na plataforma é de R$ 4 mil para cada escola por ano -- somando R$ 3 milhões em Pernambuco em 2010.

O programa já está em fase inicial de aplicação nas escolas públicas do Acre e em duas escolas privadas de Recife. Surpreendentemente, o principal obstáculo à participação dos estudantes na Olimpíada, destaca Meira, são os próprios professores. "Nem todos aceitam o método. Muitos professores desconhecem o potencial dos computadores".

A conclusão da maratona de jogos e seleção das equipes vencedoras ocorre todo ano em gincana que conta com a presença dos estudantes, professores e colegas.

Em junho passado, as equipes Bolcheviques, de Caruaru, e Black Power, de Cabrobó, saíram campeãs pernambucanas de 2010, e premiadas com iPads e PlayStation 3. Agora, a expectativa é organizar uma Olimpíada nacional. Para Fred Vasconcelos, CEO da Joy Street, o objetivo é ser a "principal start-up de tecnologias educacionais lúdicas do país". "Quem sabe teremos a importância de uma "Discovery" no segmento dos games", completa Meira.

Fonte: Brasil Econômico/ Rafael Abrantes

São Paulo integra ensino médio e técnico

04/07/2011

Na tentativa de melhorar tanto a mão de obra no Estado quanto o ensino médio, o Governo de SP decidiu integrar aulas regulares de suas escolas a cursos técnicos.

A rede oferecerá duas opções: currículo médio básico totalmente integrado a cursos públicos profissionalizantes; ou cursos técnicos fora do horário de aula, em instituições credenciadas.

Em ambos os casos, os jovens que optarem pelo modelo receberão diploma de ensino médio e técnico, em áreas como eletrônica, telecomunicações e gestão.

O programa começará em outubro com 30 mil vagas nos cursos fora do horário de aula. O início da modalidade integrada será em 2012. A meta do governo Geraldo Alckmin (PSDB) é que, até 2014, tenham ensino técnico 30% do total de 1,3 milhão de alunos do ensino médio.

Responsável por mais de 85% das matrículas do Estado, a rede enfrenta dificuldades nessa etapa.

No último Saresp (exame estadual), a nota dos alunos caiu. Além disso, só 62% dos jovens que ingressam no ensino médio se formam.

"O estudante tem baixa autoestima e, muitas vezes, nem presta vestibular. Se ele não vir possibilidade de inserção no mercado de trabalho, vai desistir da escola", disse o secretário da Educação, Herman Voorwald. Para fazer o curso, o jovem precisará estar matriculado na escola estadual.

Ajuda

Segundo o modelo do governo, na modalidade integrada o estudante terá aula na rede estadual e em uma unidade das Etecs (escolas técnicas estaduais) ou do IFSP (instituto federal).

Já no modelo simultâneo, o aluno fará o curso técnico numa instituição selecionada pelo governo. Uma chamada pública de escolas deverá ocorrer nesta semana.

"O ensino médio integrado ao profissionalizante é uma boa iniciativa, mas as aulas precisam ser na mesma escola", afirma Celso Ferreti, pesquisador do Centro de Estudos Educação e Sociedade.

O especialista defende que as aulas sejam concentradas em um período do dia.

"Jovens de baixa renda buscam trazer renda para a família. Duvido que eles optem em estudar em dois períodos", diz Ferreti.

Fonte: Agora - SP

Fonte: Brasil Econômico/ Rafael Abrantes

Organizações do campo realizam I Encontro Internacional Juvenil

04/07/2011

Começou neste sábado (2) o I Encontro Internacional Juvenil, no departamento de Cauca, na Colômbia. O evento, que segue até o próximo dia 18, reunirá 11 países da América Latina e Caribe, representando 59 organizações sociais do continente. Além disso, cerca de 50 organizações internacionais e centenas de colombianos irão se deslocar à região para debater e trocar experiências sobre processos de resistência, conjuntura mundial, participação da juventude e políticas de exploração da terra, dentre outros temas.

O encontro é organizado pela Confederação Caribenha e Latino-Americana de Estudantes de Agronomia (CONCLEA), em parceria com a Coordenadora Latino-Americana de Organizações do Campo (Via Campesina). A proposta é proporcionar um espaço de integração, formação e articulação da juventude organizada do continente, comprometida com os movimentos sociais da América Latina.

Gestado há vários anos, de acordo com texto da convocatória, "o encontro é parte um processo de relacionamento e articulação (...) entre essas duas organizações internacionalistas”. O texto aponta, ainda, que o momento histórico vivido "convida a avançar para novos processos e cenários (...) no marco da resistência e da mobilização social dos povos”.

Durante o Encontro, três eventos do movimento social latino-americano irão compor a programação. São eles: o XX Congresso Caribenho e Latino-Americano de Entidades Estudantis de Agronomia (CLACEEA), o primeiro Acampamento da Juventude da Via Campesina e a VII Jornada Nacional de Vivências Camponesas e Indígenas.

De acordo com a organização, as atividades programadas permitem a integração da diversidade de movimentos, presentes no I Encontro Internacional Juvenil, sejam eles estudantis, campesinos, indígenas ou urbanos. Os organizadores destacam que o intercâmbio e a articulação permitem o fortalecimento das organizações de juventude e constroem, na prática, a integração latino-americana dos movimentos sociais. Nesse sentido, a metodologia proposta divide o evento em três momentos.

O primeiro momento, de 2 a 7 de julho, será de integração e formação, com apresentações, oficinas e mesas de discussão sobre os temas eleitos. Participarão expositores nacionais e internacionais, como Nei Orsekovski, da Escola Nacional Florestan Fernandes, do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), do Brasil; Marcel Lueiro, do Centro Memorial Martin Luther King, de Cuba; Magda Lanuza, de Iniciativas contra o Agronegócio, da Nicarágua; dentre outros.

O segundo momento, de 8 a 11, será para que cada evento tenha seu próprio espaço, com temática e metodologia própria, de acordo com seus objetivos. É neste momento que se encaixará o CLACEEA, que envolverá os temas da educação e da questão agrária, no sentido de formar profissionais comprometidos com a luta no campo.

O terceiro momento, portanto, será para que os participantes visitem por uma semana as comunidades rurais, onde se realizará a VII Jornada Nacional de Vivências Camponesas e Indígenas.

A Jornada é realizada desde 2005 na Colômbia e, segundo a organização, vem crescendo a cada ano. Dentre as conquistas alcançadas, destacam-se o intercâmbio entre vários setores, a participação de estudantes de diferentes cursos e a contribuição para a dinâmica de organização e unidades dos jovens.

Para mais informações: http://www.cloc-viacampesina.net

Fonte: Adital

Para universalizar o ensino médio é preciso mais investimento, diz MEC

04/07/2011

Aumentar o financiamento é o primeiro passo para cumprir a emenda constitucional que torna o ensino médio obrigatório a partir de 2016. A avaliação é da secretária de Educação Básica do Ministério da Educação, Maria do Pilar Lacerda, em entrevista concedida ao Portal Aprendiz.

“Nós precisamos construir escolas de ensino médio e deixar a oferta majoritariamente no diurno”, afirmou. “Mas não basta construir salas com uma cadeira enfileiradas. São necessários novos espaços, para exercícios diferentes”.

Dos 3,6 milhões de jovens que se matriculam no Ensino Médio, apenas 1,8 milhão conseguem concluir esta etapa, de acordo com o estudo “A Crise de Audiência no Ensino Médio”, do Movimento Todos pela Educação e do Instituto Unibanco. Em 2007, dois em cada dez jovens brasileiros de 15 a 17 anos estavam fora da escola (18%).

Portal Aprendiz – A emenda constitucional 59, aprovada em setembro de 2009, determina a obrigatoriedade da frequência escolar dos 4 aos 17 anos a partir de 2016. Que estratégias o governo deve adotar para universalizar o ensino médio dentro desse prazo?

Maria do Pilar Lacerda – A emenda é radical e determina que até 2016 teremos que organizar as redes municiais, estaduais e federais de ensino médio para atender esses milhões de brasileiros que estão fora da escola ou que estão na escola, mas não na idade correta. O primeiro passo é garantir o aumento do financiamento. Nós precisamos construir escolas de ensino médio para que a oferta seja majoritariamente no diurno, pois jovens de 14 a 17 anos devem estudar de manhã ou à tarde, mas não a noite. Então precisamos aumentar a rede física, mas não basta construir salas com uma cadeira enfileiradas. São necessários novos espaços, para exercícios diferentes. A outra estratégia é garantir a formação de professores para que tenhamos profissionais com uma formação muito estruturada para trabalhar com a juventude.

Quais os principais desafios da Secretaria de Educação básica nesse novo governo, com relação ao Ensino Médio?

O ensino médio é hoje uma das prioridades da pasta da educação. Os focos são educação infantil, valorização dos professores e ensino médio, tanto o convencional como o tecnológico.  Esse último ganhou um projeto específico, o Pronatec [Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e ao Emprego]. Para o clássico, temos o Programa Ensino Médio Inovador, que esta sendo replicado em 377 escolas de 18 estados. Ele prevê evitar a evasão, flexibilizar o currículo e torná-lo mais atrativo para o jovem, dialogando com outros conhecimentos e outras aprendizagens. Não se trata de um ensino médio apenas prazeroso e divertido, mas de transformá-lo em um espaço em que o aprendizado e o conhecimento tenham significado e sejam transformadores para o jovem.

O ensino médio é etapa escolar com o índice de evasão mais alto. Que outras estratégias, além do Pronatec e do Ensino Médio Inovador, o Ministério da Educação (MEC) tem implantado para combater evasão e aumentar o interesse? O ensino profissionalizante é uma delas?

A importante é ter um currículo do ensino médio que seja contemporâneo, que reconheça nossa juventude, a sociedade em que ela vive e os conhecimentos aos quais tem acesso. É a chamada Geração Y, que é digital e pra quem uma educação analógica não faz sentido. Laboratórios de informática, formação de professores, principalmente de ciências exatas e biológicas, e aumento do financiamento para educação básica são algumas das principais estratégias. A flexibilização do currículo e a reorganização da estrutura escolar também. O ensino médio profissionalizante é uma boa opção para a juventude brasileira, mas não pode ser a única. Temos que atender tanto os que vão fazer a opção pelo médio técnico, tanto os que querem concluir seus estudos no nível superior.

Quais os maiores desafios para o ensino médio?

Nós precisamos trazer mais de 1,5 milhões de jovens que estão fora das escolas, acelerar a formação dos jovens de 15 e 16 anos que ainda estão no ensino fundamental e evitar que os atuais alunos se afastem da escola e desistam dela. Para isso temos uma articulação muito sólida com governos estaduais, que são responsáveis por mais de 90% das matrículas públicas do ensino médio. O MEC vai escrever, até o final de 2012, as Expectativas de Aprendizagem para o Ensino Médio. Elas serão sincronizadas com o formato das propostas do Enem [Exame Nacional do Ensino Médio] para o que ensino médio tenha um impacto nas provas de acesso à universidade, e não o contrário, como acontece hoje. O que queremos é que tanto o ensino fundamental como o médio tenham escritas as expectativas de aprendizagem. Com ela as escolas saberão o que, ao final do primeiro ano, os alunos deverão ter aprendido. Como ela vai se organizar para que o jovem tenha esse conhecimento, faz parte da autonomia, garantida em lei, de cada escola.

Quais benefícios do Plano Nacional de Educação para o ensino médio?

Primeiro é o enfoque que se dá a ele. É preciso lembrar que até sete ou oito anos atrás o ensino médio não tinha financiamento de merenda, livro didático e transporte escolar. O ensino médio, assim como a educação infantil, passou a ter destaque nas políticas públicas federais e estaduais. O Plano Nacional de Educação reflete e retrata a importância que o ensino médio e a juventude têm para a sociedade. E é muito importante destacar que o ensino médio, mais que um preparar para universidade, é um momento de vivencia da adolescência, para que o jovem conheça todas as áreas do conhecimento, para que entenda melhor os elementos que tem significado para a sociedade contemporânea e para que todas as suas escolhas pessoais, profissionais e éticas sejam fundamentadas no conhecimento. O ensino médio deve prever a formação de sujeitos autônomos. Eu percebo o reflexo dessa preocupação nas metas e nas estratégias do Plano.

Fonte: Aprendiz

SP prorroga inscrição para 4 mil vagas em cursos gratuitos

05/07/2011

A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e do Trabalho de São Paulo prorrogou as inscrições até 15 de julho para os cursos do Plano Territorial de Qualificação (Planteq), que tem verba do Fundo de Amparo ao Trabalho (FAT).

São cerca de 4 mil vagas para moradores da cidade de São Paulo com idade acima dos 16 anos. Também é necessário estar cursando ou ter concluído o ensino médio, além de estar desempregado.

Os cursos são de atendimento e organização de eventos, atendente de comércio varejista, auxiliar de departamento pessoal, informática para o mercado de trabalho e auxiliar em rotinas administrativas, que atendem às demandas no mercado de trabalho e às solicitações de qualificação feitas no Centro de Apoio ao Trabalho (CAT).

Todos os cursos, com 200 horas de aula e duração de 50 dias, terão módulos comuns abordando temas como educação ambiental, saúde e segurança do trabalho; assim como português, matemática e informática. Para o módulo específico serão dedicadas 136 horas.

As aulas acontecerão nos períodos manhã, tarde e noite, e os estudantes receberão auxílio transporte, lanche e material didático (apostila, caderno, canetas, lápis, apontador, borracha e régua).

A pré-inscrição deve ser feita nas unidades do CAT com RG, CPF, carteira de trabalho e comprovantes de endereço e de escolaridade.

No ato da inscrição, será feita a escolha pelo curso e a indicação da região da cidade onde o participante pretende estudar. A previsão de início das aulas é setembro e os alunos serão comunicados para formalizar a inscrição.

Os postos fixos do CAT funcionam de segunda a sexta, das 7h às 18h (dentro das subprefeituras e superintendências regionais do trabalho, das 8h às 17h), e aos sábados, das 7h às 13h.

Fonte: vnews

Agenda Nacional de Trabalho Decente para Juventude

05/07/2011

O Subcomitê de Trabalho Decente e Juventude se reúne nesta terça-feira (5 de julho), das 10h às 13h,  em Brasília, para apresentar a Agenda Nacional de Trabalho Decente para Juventude e discutir as atividades que o grupo realizará nas conferências estaduais sobre o tema. O Subcomitê é coordenado pelo MTE e pela Secretaria Nacional de Juventude, vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República, e conta com o apoio técnico da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Criado por decreto presidencial, em junho de 2009, o Subcomitê é composto por integrantes do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, do Ministério da Ciência e Tecnologia, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e por representantes de outros órgãos, indicados pelo comitê executivo do colegiado.

O mesmo decreto estabeleceu que o Subcomitê promova o diálogo direto com as organizações da sociedade civil, de empregadores e trabalhadores, por meio de um GT Consultivo da Agenda Nacional de Trabalho Decente para a Juventude (ANTDJ), composta pelas confederações empresariais e pelas centrais sindicais. Após uma série de reuniões, o Subcomitê e o GT Consultivo construíram, de forma tripartite, o documento intitulado Agenda de Trabalho Decente para Juventude, finalizado em outubro de 2010. A expectativa é que esse documento contribua para promover o trabalho decente para os jovens no Brasil, além de fortalecer esse item na elaboração das políticas públicas.

Acesse aqui a íntegra do documento: http://goo.gl/ldPb1

Fonte: Conjuve

De cada 10 formandos em Direito, quase nove são reprovados em exame da OAB

05/07/2011

A maioria esmagadora dos formandos em direito que fizeram a última edição do Exame de Ordem da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi reprovada. Dos 106.891 bacharéis inscritos, 88,2% não passaram na prova. Do total, apenas 12.534 candidatos foram aprovados, de acordo com a OAB. Ainda segundo o órgão, 81 das 610 faculdades brasileiras que submeteram estudantes de direito ao exame não tiveram nenhum candidato aprovado.

- Isso é reflexo, infelizmente, do ensino jurídico do Brasil - disse o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, que decidiu enviar um ofício ao ministro da Educação, Fernando Haddad, sugerindo que essas faculdades sejam supervisionadas pelo ministério.

As instituições de ensino submetidas ao regime de supervisão do MEC têm seus índices de aprovação em exames de proficiência acompanhados e devem cumprir metas, sob pena de serem penalizadas com redução de vagas, suspensão de cursos e até fechamento do curso.

Na penúltima edição do exame, o índice de reprovação também foi altíssimo: 90%. Segundo a OAB, os candidatos que fazem a prova pela primeira vez ou estão no nono e décimo períodos da faculdade (treineiros), têm média de 25% de aprovação. Já os que realizam o exame pela segunda vez têm, em média, 7% de aprovação.

O MEC informou que 21 mil vagas foram cortadas em cursos de direito que tiveram notas insatisfatórias na avaliação do ministério em 2009 e outras 11 mil no mês passado. A assessoria do MEC afirmou que o foco da atuação da Pasta tem sido justamente nos cursos de direito.

Estudo feito pelo presidente da OAB com dados dos quatro exames que antecederam a última edição mostra que as 20 melhores instituições de ensino superior públicas aprovam, em média, entre 70% e 90% dos candidatos inscritos. Já as 20 piores instituições particulares aprovam entre 3% e 5%.

- Isso puxa para baixo o número de aprovações. Infelizmente, o maior número de estudantes está nas faculdades privadas - observou Ophir.

Fonte: Extra Online- RJ

Governo cria política de inclusão digital para escolas públicas

05/07/2011

O governo vai anunciar nos próximos dias um plano de inclusão digital para a rede de escolas públicas do país. Para elaborar o projeto, foi montado um grupo interministerial que reunirá as pastas de Ciência e Tecnologia, Comunicações, Educação e Cultura e Desenvolvimento.

Durante encontro realizado ontem entre os ministros Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia), Fernando Haddad (Educação), Fernando Pimentel (Desenvolvimento) e Paulo Bernardo (Comunicações), ficou acertado que, em dez dias, deverá ser colocada em consulta pública o programa de inclusão nas escolas.

Aloizio Mercadante disse que o governo irá lançar uma série de licitações para equipar as escolas com equipamentos como lousa digital, laptops e tablets, mas que irá exigir produção nacional desses equipamentos.

"Vamos exigir equipamentos que tenham PPB (processo produtivo básico), com fabricação de equipamentos no país. Queremos ajustar a política de conteúdo tecnológico nacional", disse.

Segundo Mercadante, o mercado que o setor tem pela frente soma 69 milhões de alunos da rede pública de ensino distribuídos em 57 mil. Ao todo, há quase um milhão de salas de aula para serem equipadas.

O ministro de Ciência e Tecnologia afirmou que o MEC tem nas mãos o projeto de construção de uma lousa digital. Baseado em tecnologia aberta, essa lousa pode ser fabricada por qualquer companhia. O preço do equipamento é estimado em R$ 1,4 mil. "Queremos incentivar a produção desse produto, mas a empresa terá de nacionalizar a fabricação de componentes", comentou.

Fonte: Valor Econômico/ André Borges

Projeto Redigir, de alunos da USP, oferece curso gratuito de português

05/07/2011

Voltado para a comunidade e promovido por alunos da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), o Redigir é um projeto de extensão universitária, que oferece aulas gratuitas de gramática e redação para maiores de 16 anos que estudaram, ou ainda estudam, em escolas públicas.

O curso é semestral e as aulas são ministradas semanalmente com cerca de quatro horas de duração. Os alunos são divididos em turmas de acordo com a escolha de horário feita no ato da inscrição.

Cada turma conta com quatro professores: dois para gramática e dois para redação. No decorrer do semestre, o projeto realiza atividades extras que possibilitam, além do aprendizado, o contato entre as diversas turmas.

As inscrições devem ser feitas entre os dias 21 e 23, e 28 e 30 de julho, no Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA, sala 13, na av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443, Cidade Universitária.

Mais informações pelo e-mail [email protected] ou pelo telefone (11) 3091-1499.

Fonte: Catraca Livre

Fórum debate comunicação comunitária

05/07/2011

Iniciativa do Núcleo Articulador de Comunicação de Pinheiros (NAC), o primeiro Fórum de Comunicação Comunitária, realizado dia 28 de junho, reuniu cerca de 30 pessoas que trabalham, moram ou circulam pela região paulistana de Pinheiros, que debateram temas como integração, identidade, descoberta, liberdade, diálogo, mobilidade.

“Nós acreditamos no potencial comunicativo dos indivíduos que compõem este território. Pinheiros é uma região cheia de recursos, mas as pessoas infelizmente ainda se comunicam muito pouco e não se sentem parte de uma comunidade”, explicou Eduardo Fidel, diretor geral da iniciativa Local e membro ativo do NAC, cujos integrantes se reúnem informalmente a cada quinzena.

“Para mim, a comunicação comunitária é um grande acelerador de partículas”, afirmou Jiddu Pinheiro, um dos criadores do Centro Cultural b_arco.

“Eu entendo a comunicação comunitária como um processo de construção coletiva da realidade”, lançou Nayara Coutinho, educadora do Projeto Jovem de Futuro da Associação Cidade Escola Aprendiz.

“Eu definiria a comunicação com uma só palavra: diversidade”, colocou Otávio Fumis, gestor da Rádio Comunitária Ideia FM.

Os participantes do evento trocaram conhecimentos e evidenciaram a importância da comunicação para o desenvolvimento local. Através da metodologia do “Open Space” (Espaço Aberto), representantes de organizações não governamentais, jornalistas, educadores e produtores culturais se dividiram em pequenos grupos de trabalho.

Um deles se dedicou à discussão sobre veículos formais e informais de comunicação. Julia Dietrich, articuladora da Agência Comunitária de Notícias de Pinheiros, uma ferramenta virtual de livre utilização para o compartilhamento de informações de interesse local, levantou diferenças entre os veículos jornalísticos e as plataformas colaborativas. “Fazer falar não é o mesmo que falar por vontade própria. O jornalista pauta a comunidade, mas isso não significa que ela está se comunicando de fato”, colocou.

Um grupo discutiu mobilização. “Para que as pessoas se comuniquem de forma espontânea, elas precisam primeiro sentir que fazem parte de uma comunidade”, afirmou Gabriel Pinheiro, também criador do Centro Cultural b_arco e irmão de Jiddu.

Após socialização das discussões, o grupo todo manifestou a vontade de continuar conversando sobre o tema e projetou a criação de um plano de comunicação para a região.

Para participar das próximas reuniões do NAC, enviar e-mail para: [email protected].

Fonte: Vila Mundo (membro do NAC)

CredJovem incentiva empreendimentos impulsionados por jovens

06/07/2011

Alessandra Cordeiro, junto com dois amigos, tinha uma ideia na cabeça e o talento nas mãos, restava apenas um impulso para que com negócio de artesanato com mosaicos crescesse. O apoio surgiu com a 2ª edição do Programa Credjovem, no ano de 2007. Através da concessão de empréstimos, o programa incentiva a geração de trabalho entre jovens em situação de vulnerabilidade social, com idade entre 18 e 29 anos. Este ano, em sua quarta edição, 94 empreendimentos, de serviços e comércio, serão beneficiados.

O empréstimo é feito pela Prefeitura da cidade de Fortaleza, no estado do Ceará (Brasil) com um valor máximo de 15 mil reais. O recurso pode ser utilizado para compras de equipamentos, matérias-primas e reformas. Alessandra conta que os 4 mil e 900 reais requeridos pelo seu grupo foram utilizados para construir um ateliê, em um terreno de sua casa, e para comprar alguns instrumentos. O empreendimento recebeu o nome de ‘Coisas e Mosaicos’.

De acordo com Francis George, coordenador do Credjovem, o programa é inédito no país e representa um impulso ao potencial dos jovens. "Essa ação contribui para que a juventude exerça seu protagonismo na prática, através da economia solidária e do empreendedorismo”, avalia o coordenador. Desde sua primeira edição, 250 projetos já foram atendidos, dos quais 80% continuam a funcionar.

Os jovens têm seis meses para começar a devolver parte do recurso, cuja devolução é de 60% do montante, sem incidência de juros. Alessandra relata que não houve dificuldades para quitar o empréstimo. O negócio deu tão certo que até "adiantamos parcelas”, conta a jovem orgulhosa. E, hoje, o ateliê já está "dando lucro!”, festeja. Segundo Francis, o índice de adimplência é de 78%, considerado "muito bom” pelo órgão.

Neste ano, foram apresentados 213 Planos de Negócios, com 430 candidatos inscritos. Os projetos foram submetidos à avaliação de técnicos da Prefeitura e de consultores externos, que verificaram a viabilidade econômica e social das propostas. Os Planos foram apresentados desde dezembro, destacando-se os segmentos de confecção, alimentação e informática. Serão investidos 1 milhão e 100 mil reais nesta edição.

Francis George destaca o segmento de confecção reflete a vocação econômica da cidade, que possui um pólo têxtil. O segmento de informática, por sua vez, demonstra a grande procura pelo acesso à internet nos bairros da periferia da cidade. E o setor de alimentação, de acordo com o coordenador, representa um segmento de grande rotatividade e lucro rápido.

Para que os 94 selecionados tenham êxito em seus empreendimentos, Alessandra Cordeiro recomenda: "é preciso ter planejamento”. Ela destaca que o dinheiro pode até ser em vão, se o jovem não tiver uma estratégia para utilizar, da melhor forma, o recurso. Como forma de auxiliar no processo de execução, a Prefeitura planeja uma capacitação voltada para o gerenciamento de negócios. Atualmente, os selecionados estão em fase de abertura de conta bancária para recebimento do crédito.

Para os que tiverem interesse em acessar o crédito através do programa, uma nova edição está prevista para o segundo semestre de 2011. Os candidatos devem apresentar um Plano de Negócio, bem como a documentação dos representantes, como identidade, CPF e comprovante de endereço. Cada proposta deve ter pelo menos dois integrantes que tenham cursado pelo menos 50% da vida escolar em escola pública.

Para mais informações: www.fortaleza.ce.gov.br/sde

Fonte: Adital

Inscrições abertas para programa de bônus na Fuvest

06/07/2011

Desde segunda-feira e até 24 de agosto estão abertas as inscrições para o Programa de Avaliação Seriada da USP (Pasusp), que dá bônus aos vestibulandos da Fuvest. A bonificação destina-se aos candidatos que cursaram integralmente o Ensino Fundamental e o 1º ano do Ensino Médio em escolas públicas brasileiras e que estejam cursando, em 2011, o 2º ou o 3º ano em instituições públicas de ensino.

A avaliação será feita com base na prova da 1ª fase da Fuvest. Terá 90 questões de múltipla escolha e versará sobre o conjunto de disciplinas do núcleo comum do ensino médio: biologia, física, geografia, história, inglês, matemática, português e química, de acordo com programa que constará no manual do candidato da Fuvest.

O resultado da avaliação será considerado na nota do vestibular para ingresso na USP e conferirá ao candidato bônus adicional de até 15%, dependendo do desempenho.

A inscrição é gratuita, mas o candidato precisa estar cadastrado como usuário da Fuvest (www.fuvest.br). A inscrição no Pasusp não garante a participação no vestibular da USP. O candidato deverá inscrever-se gratuitamente na Fuvest no período de 26 de agosto a 09 de setembro.

Fonte: Estado de S. Paulo

Site reúne periódicos científicos sobre educação

06/07/2011

Está disponível para consulta na internet o site [email protected] Fruto de uma parceria entre a Fundação Carlos Chagas e o SciELO (Scientific Electronic Library Online), o [email protected] é voltado exclusivamente para a disseminação de periódicos científicos na área de Educação.

Pioneiro na América Latina, o site utiliza a metodologia desenvolvida pelo SciELO, em que os periódicos são analisados, classificados e catalogados por um comitê científico altamente qualificado da área de Educação, de forma a permitir o uso direto dos interessados – cidadãos em geral, sociedade acadêmica e profissionais ligados à área – , que podem fazer download gratuito de publicações na íntegra ou de artigos específicos.

Os periódicos disponibilizados vêm sendo classificados há pouco mais de um ano pela equipe de bibliotecários do [email protected] De fácil usabilidade, o [email protected] permite que a busca pelos artigos seja feita por critérios como título, conteúdo, data, autor, nomes das instituições publicadoras ou local de publicação. Além do download, é possível também realizar facilmente o envio do material por e-mail.

A pesquisa pode ser feita em três idiomas: português, inglês e espanhol. Há, ainda, uma ferramenta de tradução para facilitar a compreensão do texto.

Fonte: Aprendiz

O “custo Brasil” da educação

06/07/2011

É comum, muito mais do que deveria, ouvir professores dizendo que seus alunos não aprendem porque são provenientes de famílias pobres, ou de lares desestruturados, ou ainda porque os pais deles não sabem nem ler nem escrever.

Recentemente, com o consenso crescente em torno do direito de todas as crianças e jovens ao aprendizado, e não apenas a uma vaga na escola, esse argumento vem sendo derrubado sistematicamente.

Reafirma-se, sempre que possível, a defesa, em grande parte filosófica, do princípio segundo o qual todos os alunos são capazes de aprender.

Vencida a batalha sobre o direito ao aprendizado, é hora de se debruçar com seriedade sobre os limites que a realidade social do país impõe ao avanço da qualidade do ensino público.

Algumas pessoas já estão fazendo isso, como mostra a reportagem de capa da revista Educação de junho (http://revistaeducacao.uol.com.br) , assinada pelo jornalista Paulo de Camargo.

Entre as contribuições importantes que a matéria dá ao debate sobre o tema, estão os dados exclusivos que indicam que "as crianças e jovens das classes socioeconômicas mais baixas estão cerca de um ano atrasados em relação aos colegas", calculados pelo economista Ernesto Martins Faria.

Ou seja: não se pode simplesmente ignorar a realidade e as dificuldades específicas de cerca de 28,6 milhões de crianças e jovens com idade entre 0 e 17 anos que vivem em domicílios com renda per capita de até meio salário mínimo (R$ 272,50).

Além de apresentar o quadro, a reportagem discute soluções. Em primeiro lugar, dizem os especialistas ouvidos, é preciso reconhecer o problema e adotar medidas que não são apenas educacionais, envolvem questões de saúde e renda, por exemplo. Mas também é fundamental que escolas e professores aprendam a lidar com essa realidade.

A crença no fracasso como único destino possível é um entrave a ser superado.

"Entre 84% e 89,2% dos professores acham que os problemas de aprendizagem decorrem do desinteresse e da falta de esforço do aluno, sendo que 80% os creditam ao "meio em que o aluno vive"", relata a matéria.

Além disso, com origem (mais ou menos) distante das camadas mais pobres da população, os professores não sabem bem como lidar com esse Brasil. E nem aprendem isso nos cursos de pedagogia, geralmente mais preocupados com debates teóricos de pouca utilidade.

Fonte: Destak – DF

Prêmio Arte na Escola Cidadã recebe inscrições até 31 de julho

06/07/2011

As inscrições para o XII Prêmio Arte na Escola Cidadã, promovido pelo Instituto Arte na Escola, estão abertas até o dia 31 de julho. Destinado aos professores da rede pública e particular de todo país, o prêmio contempla projetos de arte-educação realizados entre 2009 e 2010 em um dos segmentos da Educação Básica (educação infantil, ensino fundamental, ensino médio ou EJA - Educação de Jovens e Adultos).

Os trabalhos inscritos são avaliados por profissionais em três etapas (local, regional e nacional) - o professor premiado receberá R$ 7 mil e um documentário em vídeo sobre o projeto que desenvolveu. A escola onde o trabalho do docente foi realizado receberá um computador e uma máquina fotográfica digital.

Mais informações para inscrições e o regulamento do prêmio estão no portal www.artenaescola.org.br/premio ou pelo telefone (11) 3103-8062.

Fonte: Instituto Arte na Escola

Pesquisa mostra que jovens estão mais dispostos a mudar de país e de emprego

07/07/2011

Trabalhadores no mundo todo estão cada vez mais intencionados a buscar um emprego melhor fora do seu país, principalmente os mais jovens, conforme aponta um estudo global da GfK, uma empresa de pesquisa de mercado.

O estudo detectou que, globalmente, 27% da força de trabalho está disposta a mudar para outro país. Entre os trabalhadores dos 18 aos 29 anos, o índice sobe para 41%. A pretensão também é maior para aqueles com pós-graduação, 37%, e cai para 32% entre aqueles que têm graduação e para 22% dos trabalhadores que têm o ensino médio.

Diante disso, verifica-se um cenário bastante preocupante para as empresas e países que ainda se recuperam da recessão e podem vir a se tornar “cidades-fantasmas” do emprego.

Para Daniela Salles, diretora da Unidade de Satisfação e Lealdade da GfK Brasil, a pesquisa indica um risco de “fuga de inteligência” no próximo ano e isso pode representar problemas significativos para as empresas e também para países que estão tentando sair da crise.

“Tanto profissionais de cargos mais operacionais quanto os diretores de empresas têm se mostrado dispostos a procurar emprego fora do país. E o número aumenta entre os que têm nível de escolaridade mais elevado”, avalia Daniela.

América Latina é a mais atingida

Não é surpresa que a América Central e a do Sul serão as regiões que mais vão enviar mão de obra para os países em retomada de crescimento. Aproximadamente seis em cada 10 trabalhadores mexicanos (57%), 52% da Colômbia, 41% do Brasil e 38% do Peru estão prontos para cruzar a fronteira em busca de melhores oportunidades de carreira.

Mas essa tendência não se limita a países em desenvolvimento e inclui outros países como: Turquia (46%), Hungria (33%), Rússia (29%), Portugal e Reino Unido (27%).

Mesmo o Canadá e os EUA – países tradicionalmente conhecidos pelos relativos desinteresses de seus trabalhadores em morar fora – encaram 20% e 21% de sua força de trabalho dizendo que está pronta para mudar de seu país para encontrar uma melhor recolocação.

Fuga de inteligência

A GfK identificou ainda que, assim como os países precisam se proteger contra a “fuga de inteligência” para além da fronteira, há um alerta também para as empresas, já que na média global mais de um em cada quatro trabalhadores tem a pretensão de deixar seu emprego dentro de 12 meses.

A pesquisa revela que 35% estão ativamente procurando por um novo trabalho e 18% querem mudar de emprego nos próximos seis meses. Apenas 8% dos trabalhadores dizem que vão esperar a economia se estabilizar.

No Brasil, a situação é mais otimista, com apenas 15% dos trabalhadores procurando ativamente outro trabalho, e apenas 5% que pretendem mudar nos próximos seis meses. Já no outro extremo da escala, a situação parece particularmente preocupante para Colômbia e os EUA, onde quase metade (55% e 47%, respectivamente) de seus trabalhadores estão em busca de outra colocação profissional.

Daniela Salles avalia o cenário e afirma que os resultados destacam como o mercado de trabalho tem se tornado globalizado e fluido em alguns países. “A verdade é que, para muitos empregadores, mudar de país é não menos assustador do que mudar de empresa. Por isso, as empresas devem procurar recrutar, engajar e reter o seu melhor quadro de pessoal para competir, não apenas com empresas rivais em seu próprio país ou mercado, mas ao redor do mundo.”

A International Employee Engagement Survey foi realizada internacionalmente pela GfK. Ela inclui as opiniões de 30.556 adultos, que trabalham em 29 países e foram entrevistados entre 8 de fevereiro e 4 de abril de 2011, usando os seguintes meios: online, telefone, pessoal ou alguma outra técnica de entrevista adequada para o país.

Fonte: www.gfkcr.com.br

Kit para profissionais de rádio estimula valorização do professor

07/07/2011

“É hora de toda a sociedade se unir e valorizar os bons professores. Não há mais tempo para ser paciente ou aguardar soluções que nunca vêm. O problema é urgente e agora”, afirma o locutor Ferreira Martins. Ele convoca profissionais do rádio de todo o País a participarem da campanha “Um Bom Professor, Um Bom Começo”, pela valorização do magistério. O depoimento está disponível para download no kit de rádio do projeto “No Ar: Todos Pela Educação”.  “O rádio tem sido um grande parceiro da causa da Educação, ajudando a divulgar questões fundamentais e a influenciar nas mudanças dos rumos do nosso País. É importante lembrar que graças também ao rádio a questão da qualidade da Educação entrou na pauta da discussão dos brasileiros”, afirma Martins.

O projeto distribui spots, vinhetas, jingles e depoimentos a radialistas de todo o Brasil e, nesta edição, a ênfase é para o respeito ao professor. “Respeitar o professor é fazer silêncio na sala de aula, é prestar atenção e fazer os deveres de casa. O professor está ali para ensinar, e você, para se esforçar e aprender. Um bom professor é um bom começo para muita coisa boa”, aponta uma das dicas.

Educação na pauta

Mensalmente, radialistas de todo o País recebem um kit com informações, depoimentos de artistas e atletas, músicas e spots com dicas sobre como a população pode fazer a sua parte pela melhoria da Educação. O objetivo é que a Educação entre em pauta nas rádios e que a sociedade se mobilize por um ensino melhor.

O projeto é uma iniciativa do movimento Todos Pela Educação em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), e conta com o apoio do Grupo ABC e da produtora Amics Áudio. “No Ar: Todos Pela Educação” também conta com o suporte da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abert), das Associações Estaduais de Rádio e Televisão e do Grupo de Profissionais do Rádio (GPR).

Fonte: Envolverde/ Todos pela Educação/ Plurale

Campanha nacional recolhe mais de 9 mil armas em dois meses

07/07/2011

Em vigor há dois meses, a Campanha Nacional do Desarmamento 2011 arrecadou 9.160 armas e 30,9 mil munições em todo o país.

O balanço nacional, divulgado ontem pelo Ministério da Justiça, mostra que cada pessoa entrega, em média, uma arma. No caso das munições, são 36 unidades por pessoa.

De acordo com o ministério, os revólveres calibre 38 lideram a lista dos armamentos recebidos pelas polícias Federal e Rodoviária Federal, com 2.436 unidades recolhidas. Em segundo lugar estão os revólveres calibre 32, com 1.110 unidades (12%). Foram entregues ainda 32 fuzis, quatro metralhadoras e duas submetralhadoras.

A Campanha Nacional do Desarmamento prevê a indenização às pessoas que entregarem armas nos postos de arrecadação. Até o momento, o Ministério da Justiça pagou R$ 835 mil em reparações. Os valores variam de R$ 100 a R$ 300 por arma entregue.

A campanha segue até 31 de dezembro. De acordo com o ministério, depois dessa data, as entregas continuarão sendo aceitas, mas as pessoas que decidirem se desarmar não serão indenizadas.

Delegacias de Polícia Civil, postos da Polícia Rodoviária Federal, batalhões da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros e unidades das Forças Armadas funcionam como postos de coleta. As unidades autorizadas para coleta de armas estão relacionadas na página oficial da campanha na internet.

Fonte: Agência Brasil

Eventos esportivos ampliam oportunidades para estudantes em hotelaria

07/07/2011

Para ingressar em uma das carreiras que mais prometem ganhar impulso com a Copa do Mundo e as Olimpíadas no Brasil é necessário gostar de lidar com pessoas, de servi-las e satisfazê-las. Esta é uma das principais virtudes do profissional formado em hotelaria que deve ser um dos mais requisitados durante os grandes eventos mundiais esportivos sediados no país nos próximos anos.

Apesar de muitas pessoas acharem que o mercado de trabalho do hoteleiro está restrito a hotéis e restaurantes, as oportunidades têm sido cada vez mais ampliadas. Bancos, agências de turismo, companhias aéreas, parques, cruzeiros marítimos, shoppings e até laboratórios clínicos podem empregar um hoteleiro com objetivo de oferecer um atendimento mais qualificado ao público.

"Basta oferecer um serviço para precisar de alguém que saiba disso, e este é o hoteleiro", resume Cintia Goldenberg, coordenadora do curso de hotelaria da Universidade Estácio de Sá, em São Paulo.

Estudantes têm opção de fazer um curso técnico ou graduação, sendo que esta última garante formação mais completa e consequentemente salários mais altos. É durante os estudos que o aluno aprende o conceito de hospitalidade, como servir com cortesia, além de se preocupar com os detalhes do atendimento.

Além do básico

Professora da Estácio, Mariana Morato, lembra que o público de modo geral, principalmente com o aumento do poder aquisitivo da classe média, espera mais do que um atendimento básico.

"As pessoas buscam excelência e a hotelaria quer um profissional com brilho nos olhos que saiba servir com a alma. Cama e um chuveiro quentinho todo mundo tem. Agora um sorriso de um colaborador, a gentileza de uma camareira, não. As redes procuram a personalização do serviço", afirma Mariana.

O currículo da graduação mescla teoria e prática. Geralmente, o estudante passa por laboratórios de bar, governança, restaurante e cozinha nos primeiros semestres para aprender o operacional. Nos semestres finais, o curso, na maioria das vezes, promove atividade com foco em gestão e administração com aulas de marketing, finanças e recursos humanos. O estágio é obrigatório, e o domínio de outras línguas fundamental para a carreira, já que o hoteleiro poderá ter contato frequente com estrangeiros.

Vontade de aprender

O estudante que tiver disposição para trabalhar nos fins de semana e feriados, além de ter vontade de aprender terá facilidade para ingressar no mercado, segundo a professora Mariana. "Tem muita vaga aberta em hotel em todo o Brasil. Tem muito currículo também, mas de profissionais sem o perfil do hoteleiro."

Mariana lembra que em início de carreira é comum que o profissional trabalhe na parte de operações de hotéis, ocupando cargos de mensageiro ou recepcionista. No entanto, a experiência é importante para que o profissional aprenda a lidar com vários tipos de problemas e no futuro possa ocupar um cargo de gerência. "É importante começar da base, porém o profissional tem de se dedicar muito à empresa. A gente se compara um pouco o profissional de hotelaria com um enfermeiro, como ele se dedica ao hospital, ao paciente, nós nos dedicamos ao hóspede."

No início de carreira, o salário do hoteleiro que ainda não concluiu o curso superior gira em torno de R$ 800.

Fonte: G1/Vanessa Fajardo

 

Concurso da Universia paga taxa da Fuvest para vencedores

08/07/2011

A Universia, portal voltado à comunidade universitária, está organizando o concurso cultural “Universia paga meu vestibular”´, que premiará 15 estudantes autores das melhores dicas de estudo para passar na FUVEST.  Como prêmio, a Universia vai bancar a taxa de inscrição, fixada em R$ 120.

As inscrições estão abertas até ao dia 22 de agosto de 2011. Os vencedores serão conhecidos no dia 26 de mesmo mês.

Para participar, o estudante deverá entrar no site da Universia (www.universia.com.br), acessar a página do concurso e responder a questão “Qual é a minha dica de estudo infalível para a FUVEST 2012?”

Para mais informações, os interessados devem entrar em contato diretamente com os organizadores do concurso, por meio do site www.universia.com.br ou pelo telefone (11) 3432 3937.

Fonte: Universia

9ª edição do Acampamento Latino-Americano da Juventude

08/07/2011

Sob o slogan “O sol está no olhos de quem brilha”, acontece nos dias 29, 30 e 31 de julho, na Praia Tremembé, em Icapuí, no litoral cearense, a nona edição bienal do Acampamento Latino-Americano da Juventude.

Mulheres, esporte, drogas, afrodescendentes, diversidade, meio ambiente estão entre os temas das palestras e debates programados, para marcar, entre outros, os cinco anos da Lei Maria da Penha, o centenário de nascimento de Maria Bonita, o Ano Internacional da Mulher e Ano Internacional para Afrodescendentes, além de questões como desenvolvimento local e sustentável e protagonismo juvenil e diversidade. A programação terá shows nacionais e locais.

O Acampamento Latino-Americano da Juventude mobiliza centenas de jovens que levam suas barracas e acampam na área de mangue da Praia de Tremembé, em Icapuí, palco do evento. Artes, esportes e troca de ideias seguem como os grandes atrativos do acampamento. Os shows reúnem a moçada nas noites.

De dia, em diversos espaços, é celebrada a importância dos recursos naturais, do desenvolvimento sustentável e equilibrado. É também quando acontece o simbólico e tradicional abraço ao mar, quando centenas de pessoas participam de ritual de celebração da natureza.

“É um evento de encontro dos povos, pelos jovens”, afirma o deputado estadual Dedé Teixeira, um dos fundadores do evento. O slogan “O sol está nos olhos de quem brilha” dirige um olhar para o protagonismo juvenil. No encontro de jovens de diferentes lugares (e, portanto, diferentes culturas e olhares), a intenção é que todos encontrem “aquilo que os une”.

Oficinas

Na programação, estão previstas as seguintes oficinas:
1 – Colagem criativa
Objetivo: Desenvolver processos criativos através da composição com papéis coloridos e outros materiais cortados em tamanhos e formas variadas e depois colocadas sobre um suporte.
Instrutor: Marildo Montenegro (artista visual, designer e vídeo maker).
Vagas: 20 pessoas
2 – Tambor de Crioula (Rítmo, Canto e Dança)
Objetivo: Possibilitar a prática lúdica e artística do tambor de crioula em suas mais diversas linguagens.
Instrutor: Tambor das Marias da Casa de Mestre Felipe.
Vagas: 30 pessoas
3 – Roteiro para vídeoObjetivo: Propiciar o desenvolvimento de um roteiro e a execução de um curta-metragem através de aparelho celular.
Instrutor: Guaracy Rodrigues (diretor de vídeo, roteirista, poeta e compositor).
Vagas: 20 pessoas
4 – Redação do Enem
Objetivo: Prática de redação e análise de correção dentro dos padrões do Enem.
Instrutor: Arnaldo Cesar (professor).
Vagas: 200 pessoas
5 – Pintando Marinhas
Objetivo: Repassar a estética das artes visuais no universo da pintura de motivos litorâneos.
Instrutor: Vlamir de Souza (artista plástico, restaurador e arte-educador).
Vagas: 20 pessoas
6 – Fosfoto (Fotografando em Caixa de Fósforo)
Objetivo: Desenvolver a sensibilidade e a prática fotográfica através da captura de imagens com caixas de fósforo.
Instrutor: Max Marduque.
Vagas: 20 pessoas
7 – Guitarra Prática
Objetivo: Desenvolver entre os participantes técnicas de guitarra e prática instrumental.
Instrutor: Mimi Rocha (instrumentista e diretor musical).
Vagas: 10 pessoas
8 – Prática de Baixo Elétrico
Objetivo: Desenvolver entre os participantes técnicas de baixo elétrico e prática instrumental.
Instrutor: Nélio Costa (instrumentista e diretor musical).
Vagas: 15 pessoas
9 – Zona Costeira – Desafios Para a Preservação
Objetivo: Estudar propostas de ordenamento da pesca no litoral leste do Ceará.
Instrutor: Arimatéia Silva (Mestre em geografia) e Rosinere Ferreira (Mestranda em ciências naturais e bióloga).
Vagas: 25 pessoas

História

A primeira edição do evento ocorreu em 1997, marcando os 30 anos da morte de Che Guevara, o centenário de morte de Antônio Conselheiro e o primeiro ano sem Paulo Freire. Desde então, sempre há discussão de grandes temas, como a resistência dos povos indígenas, políticas públicas para mulheres, negros, e o protagonismo político e cultural de jovens.

Para saber mais: http://www.acampamentoicapui.com.br

Fonte: Teia Digital

Feira virtual mobiliza jovens para as ciências e tecnologias

08/07/2011

Termina no próximo domingo, 10 de julho, o prazo de inscrição para o Concurso Jovens Inovadores 2011- Feira Juvenil de Ciências e Tecnologia. A iniciativa é destinada aos estudantes de escolas públicas e privadas, matriculados regularmente do 7º ao 9º ano do ensino fundamental e em todas as séries do ensino médio (regular, técnico ou Educação de Jovens e Adultos).

Trata-se de uma feira juvenil virtual de projetos de inovação ou investigação que tem como propósitos despertar nos jovens o interesse pela ciência e pela tecnologia, estimular o espírito de empreendedorismo e de inovação, auxiliar na orientação vocacional dos alunos, e desenvolver o senso crítico e as habilidades de comunicação, contribuindo para os avanços na educação do país.

Participação

Podem ser inscritos projetos desenvolvidos nas modalidades de investigação bibliográfica, investigações científicas e inovação tecnológica. Os melhores trabalhos representarão o Brasil na Feira de Ciências, Cultura e Inovação do Mercosul. Os alunos interessados em participar devem acessar o regulamento e a ficha de inscrição no endereço http://www.redepoc.com/jovensinovadores/.

O concurso é organizado pela Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento (Rede POC), em parceria com a Comissão Provincial de Atividades Científicas e Juvenis de Missiones, na Argentina.

Fonte: Rede POC

Programa Aprendiz Comgás forma educadores em temas da juventude

08/07/2011

O programa Aprendiz Comgás está com inscrições abertas até 15 de julho para o projeto “Disseminação – Formação Completa de Professores – 2011”, que vai selecionar 40  professores e educadores de ONGs da cidade de São Paulo para participarem, durante 6 meses, de um ciclo formativo que abordará temas ligados às áreas da juventude, projetos comunitários e articulação de parcerias e metodologia.

O curso, que terá a duração de 100 horas oferecidas em dois módulos (presencial e a distância), oferecerá aos participantes R$ 20 de ajuda de custo para transporte. A alimentação durante os dias do encontro ficará a cargo dos organizadores do evento.

Todos os encontros acontecerão na sede da Comgás - Companhia de Gás de São Paulo, situada na Rua Capitão Faustino de Lima, 134, Brás. As atividades terão início no dia 19 de julho e término previsto para o dia 10 de Dezembro de 2011.

Mais informações podem ser obtidas diretamente com os organizadores da formação por meio do site do programa Aprendiz Comgás (www.aprendizcomgas.com.br) ou por telefone (11) 3879 2359.

Fonte: Assessoria

Concurso premiará ações de prevenção ao HIV/AIDS lideradas por jovens

08/07/2011

Prorrogadas por oito dias, as inscrições para o desafio "Agente de transformação: assuma a liderança!” seguem até este sábado (9). Serão selecionadas ideias e projetos liderados por jovens da América Latina que visem educar, prevenir, cuidar ou combater o HIV/AIDS na região.

A iniciativa é das organizações Ashoka (Geração MudaMundo) e MTV América Latina, com o apoio do Fundo MAC para AIDS. Os 30 premiados devem ser divulgados até 30 de julho.

Com cerca de cinco milhões de casos de AIDS no mundo, os jovens representam o grupo de maior risco, de acordo com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Estima-se que 2500 jovens, a maioria com idade entre 15 e 24 anos, são infectados diariamente em todo o mundo.

Na América Latina, números de 2008 demonstram que cerca de 750 mil jovens vivem com o vírus HIV. Tais números apontam para o que a organização do Concurso classifica de "epidemia”.

Para participar, os jovens poderão cadastrar, no site do concurso, ações que já estão em prática ou novos projetos. As ações devem ser lideradas por jovens com idade entre 14 e 24 anos e cada equipe deve ter, no mínimo, dois integrantes. Além disso, o grupo deve ter um mentor com mais de 25 anos, que tenha um papel relevante para o desenvolvimento.

Práticas educativas, direito à saúde, saúde sexual e reprodutiva, assistência a pessoas infectadas, luta contra preconceito, intervenção comunitária, AIDS e gravidez e diversidade sexual são exemplos de possibilidades de ações para o enfrentamento da disseminação do vírus.

O processo de seleção será realizado em três etapas, sendo duas nacionais e uma internacional. A primeira etapa nacional irá escolher as melhores iniciativas com base nas informações enviadas no projeto. A segunda etapa, também nacional, irá selecionar os candidatos que passarão para a etapa internacional. Nessa etapa, os candidatos irão expor presencialmente suas ações.

A terceira e última etapa irá selecionar as 30 melhores iniciativas da América Latina. Os premiados receberão 1 mil dólares norteamericanos como apoio financeiro para lançar o projeto, caso a proposta apresentada seja um plano de ação, ou expandir a ação já existente. Além disso, receberão consultoria em gestão de projetos. Um jovem de cada grupo vencedor participará, ainda, de um intercâmbio com um empreendedor social da Ashoka para aprimoramento do projeto.

Os integrantes das 30 ações selecionadas também terão a oportunidade de participar do Encontro Latino-americano de Jovens Embaixadores. No Encontro, eles receberão treinamento e compartilharão suas experiências com centenas de lideranças jovens da região.

Para dar visibilidade às iniciativas premiadas, as histórias de transformação serão apresentadas na televisão pelo canal MTV, em rede nacional e internacional. Cada grupo gravará um vídeo de um minuto contado a sua experiência, como forma de compartilhá-la e impulsionar outros jovens na prevenção ao HIV/AIDS.

Para mais informações: http://www.mtv-venture.org

Fonte: Adital

Abertas Inscrições do Curso Virtual de Formulação e Gestão em Políticas Públicas de Juventude

11/07/2011

A Quarta edição do Curso Virtual de Formulação e Gestão em Políticas Públicas de Juventude realizado pela Universidade da Juventude ocorrerá a partir de 01 até 28 de agosto de 2011.

O Curso Virtual de Formulação e Gestão em Políticas Públicas de Juventude visa fortalecer as competências individuais e institucionais dos atores estratégicos envolvidos na formulação, gestão e no controle social de planos, estratégias e programas de juventude, principalmente os gestores e as lideranças jovens relacionadas com as políticas públicas de juventude no Brasil.

O programa acadêmico, coordenado por Alessandro de Leon, está estruturado em 4 módulos de aprendizagem, com a carga horária de 40 horas durante o período de quatro semanas.

A inscrição para esse curso está aberta até o dia 20 de julho de 2011 por meio do site: http://universidadedajuventude.org.br/cursoppj/

Informações (81) 9917-3628

Fonte: UNIJUV

Enem bate recorde com 5,4 milhões de candidatos inscritos

11/07/2011

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano tem 5,4 milhões de candidatos habilitados para fazer a prova. O número final de inscritos foi informado pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, após participar da assinatura de convênio com a Secretaria de Educação do Distrito Federal na tarde de ontem (7). Mais de 6,2 milhões de estudantes fizeram a inscrição pela internet e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) aguardava a confirmação do Banco do Brasil sobre a quantidade de inscrições cujas taxas foram efetivamente pagas. Em 2010, cerca de 4,6 milhões se inscreveram para fazer a prova. O exame será aplicado nos dias 22 e 23 de outubro em 12 mil locais cadastrados e que estão distribuídos em quase 1,6 mil municípios do País.

Fonte: Andi

 

Fonte: UNIJUV

Levante da Juventude reúne 500 jovens de zonas rurais e urbanas do RS

11/07/2011

"Levante, levante, levante juventude. A luta é que muda, o resto só ilude”. Foi com esse grito que cerca de 500 jovens vindos dos campos e das cidades gaúchas deram início ao 7º Levante da Juventude Rural e Urbana do Rio Grande do Sul. O evento, paralelo à 18ª Feira Estadual do Cooperativismo (Feicoop), acontece desde o final da manhã de hoje (9) em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

Irmã Lourdes Dill, coordenadora do Projeto Esperança, organizadora dos eventos solidários, destacou a importância do Levante reunir jovens em busca de outro mundo e de outra economia. "O Levante é uma escola de formação em busca de outro mundo possível e de uma outra economia que já acontece”, pontuou.

A animação dos jovens, demonstrada através de cânticos, palavras de ordem e reflexões, seguirá até domingo (10), quando também termina a Feira. Em entrevista à ADITAL, Lauro Duvoisin, coordenador do Acampamento Nacional da Juventude, explicou que o objetivo do Levante é reunir os jovens para discutir sobre políticas e projetos para as juventudes. "O objetivo é conseguir colocar a juventude na perspectiva de futuro, de construir um projeto comum”, comentou.

Na tarde de hoje, os jovens participaram da 7ª Caminhada Internacional e Ecumênica pela Paz e Justiça Social e das atividades de abertura oficial da Feira 2011. Para Lauro, a participação da juventude nos eventos de economia solidária é importante porque reúne jovens que buscam construir um futuro e organizações que debatem uma solução para modelo econômico imposto. "Amanhã mesmo nós vamos ter oficinas que discutirão a produção de forma diferente”, afirmou.

Na opinião do coordenador do Acampamento, o Levante tem conseguido, ao longo de suas edições, ser um espaço de fortalecimento das identidades das juventudes e de construção de um projeto popular. "Acho que estamos em um caminho que busca fortalecer a identidade da juventude popular, construir um projeto popular, além de [o Levante] ser um espaço para reunir as juventudes”, destacou.

De acordo com Lauro, os jovens vão aproveitar o encontro para iniciar as discussões de planejamento para o segundo semestre deste ano. A expectativa é que, ainda neste encontro, os jovens entreguem para Tarso Genro, governador do estado do Rio Grande do Sul, um documento com reivindicações discutidas nas edições anteriores do Levante, como aumento de espaços culturais nas cidades e créditos para o campo.

O Levante da Juventude acontece de hoje até o próximo domingo no Ginásio do Colégio Irmão José Otão, ao lado do Centro de Referência em Economia Solidária Dom Ivo Lorscheiter, em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

Fonte: Adital

Curso sobre orçamento público e infância abre inscrições

11/07/2011

Estão abertas até o dia 15 de julho as inscrições para o curso online ‘Descomplicando o Orçamento Público’. O curso ensina, entre outros temas, a operar o Sistema de Monitoramento do Investimento Criança, criado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

As inscrições para o curso – que é gratuito – podem ser feitas no site http://ead.andi.org.br/moodle/.

O interessado deve preencher uma ficha na qual descreve o motivo de seu interesse em participar. A iniciativa é da Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI).

Fonte: Aprendiz

Estados do Nordeste lideram em abandono escolar no ensino médio

12/07/2011

O abandono escolar no ensino médio, muitas vezes reflexo da necessidade de entrada no mercado de trabalho, da grande defasagem idade/série e de alunos desestimulados, é maior entre os estudantes do Nordeste. Entre os dez estados com maior índice de abandono, sete são dessa região, dois são do Norte (Pará e Amapá) e um do Sudeste (Rio de Janeiro). Na rede estadual de Alagoas, a taxa de evasão chegou a 21% em 2010, a maior do Brasil. O secretário de Educação de Alagoas, Adriano Soares da Costa, acredita que isto ocorre por vários motivos. Entre eles, está a falta de um bom sistema de transporte e prédios com boa infraestrutura. Ainda segundo Costa, greves e ausência de alguns professores também desestimulam os alunos.

Reprovação - 75 mil crianças do primeiro ano do ensino fundamental foram reprovadas ano passado, o que representa 2,6% dos alunos na faixa dos 6 anos. Tanto o Ministério da Educação quanto o Conselho Nacional de Educação defendem que a reprovação ocorra apenas a partir do terceiro ano. O principal temor é que a criança repetente nessa idade tenha dificuldades para o restante da vida escolar.

Fonte: Folha de S. Paulo

Inscrições no Prêmio de Tecnologia Social são prorrogadas

12/07/2011

As inscrições para o Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social foram prorrogadas para até o dia 22 de julho. O objetivo é que mais iniciativas e instituições possam se inscrever, já que o Prêmio também tem como foco reconhecer tecnologias e incentivar sua reaplicação.

Vale lembrar que serão nove prêmios no valor de R$ 80 mil cada - cinco serão para as categorias regionais (um para cada região do País) e um para cada categoria especial: "Direitos da Criança e do Adolescente e Protagonismo Juvenil"; "Gestão de Recursos Hídricos"; "Participação das Mulheres na Gestão de Tecnologias Sociais"; e uma nova categoria: "Tecnologia Social na Construção de Políticas Públicas para a Erradicação da Pobreza".  Até agora, cerca de 500 tecnologias já foram inscritas.

As inscrições podem ser feitas por meio do portal www.fbb.org.br/tecnologiasocial.

O Prêmio é concedido a cada dois anos e tem por objetivo identificar, certificar, premiar e difundir Tecnologias Sociais já aplicadas, implementadas em âmbito local, regional ou nacional e que sejam efetivas na solução de questões relativas à alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, recursos hídricos, renda e saúde. Confira regulamento. o Prêmio conta com o patrocínio da Petrobrás e o apoio institucional do Ministério da Ciência e Tecnologia, da Unesco e da KPMG Auditores Independentes.

Fonte: Gife

Concurso Cultural levará jovem a Jornada Mundial de Juventude

12/07/2011

"O que é ser um jovem conectado?”. A melhor resposta, em forma de vídeo, para tal pergunta será premiada com passagem aérea e inscrição para participar da Jornada Mundial de Juventude (JMJ), em Madrid (Espanha), de 16 a 21 de agosto. O concurso cultural é promovido pelo "Jovens Conectados”, site oficial da Comissão da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a juventude. O prazo para as inscrições é 25 de julho.

Segundo Padre Carlos Sávio, assessor nacional da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude da CNBB, a ideia do concurso surgiu a partir dos jovens que coordenam o site, como forma de divulgar o meio de comunicação. "Como site oficial da CNBB para a juventude, a proposta é torná-lo cada vez mais referência entre os jovens da Igreja do Brasil”, explica o padre.

Podem participar do Concurso "Jovens Conectados leva você a Madri”, jovens de 18 a 35 anos. Para tanto, é necessário enviar um vídeo respondendo a pergunta "Para você, o que é ser um jovem conectado?”. A produção deve ser postada no You Tube, para que o link do vídeo seja informado no formulário de inscrição. O resultado será divulgado no dia 28 de julho. O vencedor fará parte da Delegação Oficial da CNBB na JMJ.

A viagem começará em Brasília, no dia 10 de agosto, com retorno no dia 25, também para a capital federal. O ganhador do prêmio deverá apresentar seu passaporte até 48 horas após a divulgação do resultado. Nesse sentido, a organização do Concurso solicita que o mesmo seja providenciado com antecedência, sob pena de desclassificação.

A Jornada Mundial de Juventude é realizada a cada três anos, por convocação do Papa. De acordo com a organização, trata-se do maior evento de "congraçamento” da juventude do mundo. A programação contará com momentos de partilha de experiências, vigílias, celebrações e festivais, os quais devem culminar com a participação do Papa Bento XVI. A Jornada reunirá cerca de dois milhões de jovens, só do Brasil já são mais de 14 mil inscritos. "Será o recorde da delegação brasileira”, declarou o assessor nacional da CNBB.

Para Pe. Carlos Sávio, a grande participação reflete a consolidação do setor de juventude da Igreja católica no Brasil. Mesmo com diferentes expressões, de diversas forças das organizações juvenis, há uma unidade que "se mostra não só na Jornada, mas em diversos aspectos da evangelização da juventude”, avalia. Ele ressalta a opção da Igreja em priorizar a juventude no processo de evangelização.

Para mais informações: http://www.jovensconectados.com.br

Fonte: Adital

Consumismo é tema de debate entre jovens participantes do 7º Levante da Juventude

12/07/2011

"Tem lógica nós trocarmos de celular toda hora? Tem lógica alguém ter 15 pares de sapato?” Os questionamentos feitos por Eliane de Moura Martins, do Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD) foram ouvidos atentamente pelos jovens que participavam do 7º Levante da Juventude Rural e Urbana do Rio Grande do Sul na última sexta-feira (8).

Em sua fala, Eliane alertou os jovens sobre a "lógica do mercado”, que cria "necessidades” de consumo. "Ele cria essa lógica de que precisamos, de que sentimos necessidade [de comprar]. Isso é feito para que o sistema funcione”, explicou.

A integrante do MTD ainda lembrou que os jovens e as mulheres são os mais explorados pelo mercado e assediados para consumir. "O trabalho é socializado. Porém, a riqueza do nosso trabalho é socializada?”, indagou.

Em entrevista à Adital, Eliane destacou que o Levante da Juventude proporciona ao jovem uma visão de resistência e enfrentamento a esse modelo. De acordo com ela, a proposta é que o jovem "desnaturalize” a proposta do capitalismo. "Isso não quer dizer que a gente não deve utilizar as tecnologias, mas que devemos ser conscientes de utilizar aquilo que auxilie no desenvolvimento humano”, observou.

Para Eliane, o sistema capitalista incentiva um consumo descartável, banalizado. "Hoje, até a vida é banalizada. [É necessário se perguntar se] a gente precisa mesmo de tudo isso”, refletiu.

Na opinião dela, a educação popular é fundamental para ajudar o jovem a questionar essa realidade. Isso porque a educação parte da visão de mundo deles.

"O jovem precisa decodificar, desvelar o mundo. É importante fazer isso com o outro e como um trabalho permanente”, finalizou.

O 7º Levante da Juventude Rural e Urbana do Rio Grande do Sul reuniu cerca de 550 jovens entre os dias 8 e 10 de julho em Santa Maria, como atividade paralela à 18ª Feira Estadual de Cooperativismo (Feicoop) e a 7ª Feira de Economia Solidária do Mercosul.

As matérias sobre Finanças Solidárias são produzidas com o apoio do Banco do Nordeste do Brasil (BNB)

Fonte: Adital

Fonte: Adital

SP lança programa que articula a rede estadual ao ensino técnico

12/07/2011

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, lançou nesta segunda-feira (11/07), o programa Rede Ensino Médio Técnico, que articulará a rede estadual ao ensino técnico.

O programa será executado pela Secretaria da Educação em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP) e com o Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza, além de outras instituições de ensino técnico que serão credenciadas mediante chamada pública a ser iniciada nesta semana. Para este ano está previsto um orçamento de R$ 60 milhões para a iniciativa.

“Tudo isso pra estimular os alunos a fazerem o Ensino Médio. Aquele aluno que terminou o 9º ano do Ensino Fundamental não parar de estudar. Para ele ir pro Ensino Médio e diminuir a evasão escolar, sair melhor formado do Ensino Médio para atender ao mercado, porque ele vai ser um técnico diplomado e poder já ter um bom emprego”, afirmou o governador.

Estiveram presentes no evento, no Palácio do Bandeirantes, o secretário da Educação, Herman Voorwald, o secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Paulo Alexandre Barbosa, a diretora-superintendente do Centro Paula Souza, Laura Laganá, e o reitor do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), Arnaldo Augusto Ciquielo Borges.

“Em termos de Brasil, isso significará uma grandiosa contribuição de São Paulo para o desenvolvimento econômico em harmonia com a crescente inclusão do jovem no mundo do trabalho”, afirmou o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

Duas modalidades

A educação técnica profissional será oferecida em duas modalidades, uma, de forma concomitante, e outra, integrada ao Ensino Médio. Na modalidade concomitante, que terá início a partir de outubro deste ano, o aluno cursará o Ensino Médio na rede estadual e o técnico à parte, em uma das instituições de educação profissional que serão credenciadas pela Secretaria da Educação mediante chamada pública.

Esse modelo será implantado nos 155 municípios paulistas com mais de 40 mil habitantes, que juntos somam 1,3 milhão de estudantes matriculados no Ensino Médio da rede estadual.

Para o segundo semestre, serão ofertadas 30 mil vagas. Os alunos matriculados na 2ª série do Ensino Médio das escolas estaduais deverão se inscrever em uma das instituições credenciadas, entre os dias 23 de agosto e 4 de setembro. Caso o número de inscritos supere o de vagas, os estudantes serão selecionados por sorteio.

Na modalidade integrada, que terá início no próximo ano, a formação básica e o ensino técnico serão oferecidos em um único curso estruturado por uma equipe técnica formada por representantes da Secretaria, do Instituto Federal e do Centro Paula Souza. Poderão concorrer às vagas alunos matriculados na 1ª série do Ensino Médio das escolas estaduais selecionadas.

Em 2012, somando as duas modalidades, serão oferecidas cerca de 100 mil vagas. A meta, até 2014, é alcançar 30% das matrículas no Ensino Médio articulado à educação profissional técnica de nível médio, beneficiando aproximadamente 450 mil estudantes.

Via rápida

O governador de São Paulo também falou sobre o programa Via Rápida, que visa qualificar os desempregados que não tenham concluído o ensino fundamental e médio. “Não será preciso vestibular, nem diploma”, disse o governador sobre a forma de ingresso no programa.

O Via Rápida irá oferecer cursos de qualificação de rápida duração focados na demanda regional. O estudante desempregado ganhará uma bolsa no valor de R$ 210 mais um auxílio transporte de R$ 120. Os cursos terão de um a três meses de duração. O lançamento oficial do Via Rápida acontece na quinta-feira (14/07).

Fonte: Aprendiz / Secretaria de Educação de SP / Uol

Termina na quinta inscrição para concurso do Tela Brasil

13/07/2011

Atenção (futuros) cineastas! A oportunidade de realizar um (primeiro) curta-metragem pode ser esta. O portal Tela Brasil, projeto criado em 2008 pela diretora Laís Bodanzky e pelo roteirista Luiz Bolognesi, está com inscrições prorrogadas até quinta-feira para o concurso “Faça Seu Curta Tela Brasil”. O autor do melhor projeto de curta-metragem, que deve ter o tema “Ideias para sustentar o mundo” e duração de até 10 minutos, receberá R$ 20 mil para realizar a produção.

O portal é voltado para o ensino da linguagem audiovisual e oferece oficinas virtuais compostas por textos e exercícios para se aprender e praticar todas as etapas da realização de um filme. O site também já promoveu concursos de roteiro e de vídeo (neste caso, já pronto). “O objetivo do portal é estimular a produção do audiovisual”, comenta Laís.

Diretora dos longas-metragens “As Melhores Coisas do Mundo”, “Chega de Saudade” e “Bicho de Sete Cabeças”, ela começou sua carreira cinematográfica fazendo o curta-metragem “Cartão Vermelho”, de 1994. Laís conta que este primeiro trabalho foi concretizado porque ganhou um concurso nos moldes do que idealizou agora. “É um aprendizado.”

Os interessados em participar do concurso devem ser maiores de 18 anos, ter nacionalidade brasileira e residir em território nacional. A obra deve ser inédita e de ficção, assim como ter um roteiro viável de ser executado no prazo de sete semanas, que é o período máximo em que ele deve ficar pronto. “Esse também é um dos critérios de produção”, diz Laís.

A avaliação da comissão julgadora, da qual faz parte o crítico e cineasta Ricardo Calil (“Uma Noite em 67?), também vai levar em conta criatividade e diálogo com o tema proposto, além da coerência do roteiro e da proposta de direção em relação ao conceito do curta-metragem. O regulamento completo está no site www.telabr.com.br, onde também deve ser feita a inscrição. O resultado será divulgado no início de agosto.

O concurso “Faça Seu Curta Tela Brasil” tem patrocínio da ArcelorMittal Brasil e apoio da Fundação ArcelorMittal Brasil. O portal, criado em parceria com a Fundação Telefônica e a CCR, coloca no campo virtual a experiência de Laís e Bolognesi com a Oficina Tela Brasil, ensinando a jovens de mais de 60 cidades técnicas de produção, roteiro, edição e direção de vídeo.

Fonte: telabr

Jovens têm espaço para discussão de problemas em SJP

13/07/2011

Ouvir, respeitar e implantar as necessidades dos adolescentes são objetivos da Prefeitura de São José dos Pinhais ao contribuir na promoção do Fórum do Adolescente, realizado na última sexta-feira (08), na Câmara Municipal.

Os focos de discussão do Fórum do Adolescente foram o dever da família, da comunidade, do poder público e da sociedade em geral em assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária a esse público.

“Estamos sendo construído o Centro da Juventude, que consiste em um espaço para a produção e acesso de cultura, arte, esportes e atividades tecnológicas e profissionalizantes aos jovens. O objetivo é incentivar essa parcela da população a participar de ações que priorizem a formação pessoal, profissional e política”, afirma o secretário municipal de Assistência Social Leone Leal, acrescentando que o evento só pôde ser realizado a partir da união dos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo.

O município também conta com a Casa Verde, um Centro de Referência do Adolescente assistido por profissionais de diversas áreas, como psicólogos, pedagogos, psicopedagogos, assistentes sociais, educadores sociais e nutricionistas, todos especializados em orientar o público juvenil são-joseense a desenvolver atividades lúdicas e de cidadania.

“O Estatuto da Criança e do Adolescente está completando 21 anos e nós queremos e precisamos ouvir o que os adolescentes acham que está faltando na cidade para desenvolverem seus potenciais. Temos que aplicar ações que estimulem nesse público o orgulho de viver em São José dos Pinhais”, afirma a promotora da Vara da Infância, Juventude, Família e Idoso, Clemen Silvia de Lara Pires Batista Gomes.

Também estiveram presentes no evento os vereadores Onildo dos Santos, Assis Manoel Pereira e Walder Mulbach, a Juíza da Vara de Família, da Infância e Juventude Ilda Moricz e a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente em São José dos Pinhais Valéria Santos Cruz.

Fonte: Prefeitura de São José dos Pinhais

Escola do Distrito Federal põe em prática projeto contra o preconceito

13/07/2011

A Escola Classe 39 de Ceilândia, cidade-satélite de Brasília (DF), dá um salto no combate ao preconceito ao implementar nas salas de aula do 4º ano do ensino fundamental o Projeto Nossas Raízes Africanas: Literatura e Cultura Afrobrasileira em Prol de uma Educação Antirracista, que segue até setembro. Trata-se de um projeto educativo que apresenta procedimentos teórico-metodológicos e práticos com objetivo de construir relações etnicorraciais sadias entre alunos, professores e funcionários da instituição de ensino. O projeto foi organizado pelo professor da Secretaria de Educação do Distrito Federal, Francisco Thiago Silva, que é especialista em História e Cultura Afrobrasileira e membro do grupo de pesquisa da Universidade de Brasília (UnB).

Fonte: Jornal de Brasília

Fórum premia ações inovadoras de jovens para a construção da paz

13/07/2011

Envolver os jovens centro-americanos na construção de uma cultura de paz. Esse foi objetivo do primeiro Fórum Regional Armando Paz, realizado na última sexta-feira (8), na capital guatemalteca, pela Coordenação Educativa e Cultural do Sistema de Integração da América Central, com o apoio da Organização dos Estados Americanos (OEA). Participaram do Fórum, representantes juvenis de El Salvador, Guatemala, Nicarágua, Panamá, Costa Rica, Honduras e República Dominicana.

De acordo com informações da OEA, a América Central terá a maior quantidade de jovens de sua história no período de 2015 a 2050. No entanto, é uma das faixas etárias que mais sofrem com a violência na região. Para transformar essa realidade, o projeto Armando Paz pretende impulsionar o desenvolvimento integral dos jovens.

Na ocasião, os jovens propuseram estratégias de ação para promover a paz que a região precisa. As quatro ideias mais inovadoras foram premiadas através do concurso "Desafio Pacífico”. As propostas deveriam levar em conta áreas como educação, cultura, saúde, trabalho, convivência e participação.

Com a premiação das estratégias pensadas pelos jovens, espera-se o avanço da implementação dessas ações, as quais serão avaliadas no segundo Fórum Regional em 2012. Das 24 propostas de projetos, dois audiovisuais, um de rádio comunitária e um de jogos de bairro foram os vencedores do Concurso, que receberão um prêmio de cinco mil dólares.

"Documentários Urbanos de Jovens” foi a ideia premiada pela Nicarágua, a qual contará as experiências de jovens que participaram de gangues. Pelo Panamá, o projeto, também de audiovisual, foi "Rompendo a barreira da indiferença”, que aborda os preconceitos que enfrentam as pessoas menos favorecidas.

Promover os valores familiares e incentivar os jovens a deixar a violência é a proposta da rádio comunitária da Guatemala, denominada "A Feira do Futuro”. Por fim, por El Salvador, foi premiada uma série de jogos de bairro realizados em setores periféricos do país. O projeto salvadorenho foi chamado de "Jogando pela Paz”.

Aos outros vinte projetos não premiados, dos cerca de 150 jovens proponentes, os organizadores esperam envolver o setor privado e governamental para que apóiem essas ações. OEA compreende que as ideias dos jovens pela paz não devem ser desperdiçadas.

O Projeto Armando Paz

Armando Paz nasceu há um ano de meio e é desenvolvido pela Secretaria Geral da OEA. O objetivo principal é "sensibilizar e mobilizar os jovens e os diferentes agentes da sociedade com respeito à responsabilidade que todos devem ter com a construção do Bem estar comum e a Cultura de paz”, segundo apresentação no site oficial do projeto.

En práctica, la propuesta es realizada con talleres de capacitación vueltos a organizaciones que trabajan con jóvenes. También se propone a realizar campaña de medios y promoción del diálogo social.

Fonte: Adital

FJP e SEEJ apresentam proposta de criação do Observatório da Juventude

14/07/2011

Em uma iniciativa pioneira no estado, a Fundação João Pinheiro e a Secretaria de Estado de Esportes e da Juventude (SEEJ) se reúnem nesta quinta-feira, 14, para discutir os encaminhamentos e definir os planos de criação e desenvolvimento do Observatório da Juventude de Minas Gerais.

O encontro irá acontecer às 9h30, na sala do Conselho Curador, no Campus Pampulha da Fundação (Alameda das Acácias, nº 70, 5º andar – São Luís / Pampulha) e contará com as presenças do Subsecretário de Juventude, Gabriel Azevedo, e de professores e pesquisadores da Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho e do Centro de Estudos de Políticas Públicas da FJP.

Parceria – De acordo com o Termo de Cooperação Técnica a ser firmado entre as duas instituições, caberá à Fundação fornecer dados e metodologias para construção de indicadores para subsidiar a formulação de Projetos e Programas voltados para a área de Juventude  que serão executados pela Secretaria de Esportes e Juventude. A idéia é que o Observatório comece a atuar já no segundo semestre de 2011.

Foco – A criação do Observatório da Juventude tem como principal objetivo instituir uma ferramenta para diagnosticar a situação da população jovem no estado de Minas Gerais e avaliar as políticas públicas em vigor, identificando as lacunas existentes para, com isto, subsidiar a implementação de ações em áreas específicas de atuação.

A proposta é realizar abordagens, em escala micro-local, dos problemas enfrentados pela juventude, buscando a identificação de territórios e populações em situação de vulnerabilidade social para o desenvolvimento de políticas focadas nas condições de risco verificadas.

Com a iniciativa, espera-se ainda que o estado estruture um sistema de informações com dados detalhados e georeferenciados sobre sua população jovem, possibilitando o cálculo periódico do “Índice Multidimensional de Vulnerabilidade dos Jovens Mineiros”, incluindo rankings de regiões e municípios prioritários para a intensificação das políticas voltadas para esta faixa da população.

Fonte: Assessoria

Projeto incentivará, através de depoimentos, propostas de políticas de Educação de Jovens e Adultos

14/07/2011

"Voltei a estudar para seguir adiante e aprender o que não aprendi quando criança [...]. As dificuldades foram, em primeiro lugar, os meus deveres de casa, meu esposo logo ficava com raiva. Mas sigo adiante e quero seguir estudando”. É para reunir depoimentos como o da mexicana María Marina Portillo, de 84 anos, que Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE) acaba de lançar o projeto Ampliando Vozes.

A ideia nasceu da percepção da Clade de que, apesar de inúmeros debates e reuniões sobre Educação de Jovens e Adultos (EJA), os sujeitos da comunidade educativa não eram escutados. De acordo com Camila Croso, coordenadora do projeto, essa ação pretende difundir "a cultura de ouvir os educandos, proporcionando a eles o direito à participação”.

Os depoimentos podem ser enviados pelo blog Ampliando Vozes, através de texto ou vídeo. Assim como fez María Marina, que relatou, por meio de um vídeo, a trajetória que a levou à alfabetização no ano de 2001. Nos anos seguintes, ela concluiu a primária e, hoje, cursa a secundária. "Recomendo que sigamos estudando, ainda que sejamos grandes. Existem coisas muito importantes para nós”, declarou orgulhosa por suas conquistas.

Camila avalia que não dar voz às pessoas envolvidas nessa política é um contrassenso. A coordenadora acredita que isso estaria relacionado a uma não valorização dos sujeitos da comunidade educativa. "Se ainda há baixa participação da sociedade civil organizada, como movimentos sociais e ONGs, menos ainda da comunidade escolar”, acrescentou. Ela aponta que organismos internacionais e governos, em sua maioria, privilegiam olhar de especialistas.

Além de promover a cultura da participação e sensibilizar jovens e adultos a estudarem, as propostas apresentadas nos testemunhos serão sistematizadas. O objetivo é que essas sugestões façam parte de um documento que será constantemente atualizado. Camila aponta que essas serão fundamentais para ampliar a percepção da Clade sobre o tema.

A Campanha Latino-Americana pelo Direito à Educação (CLADE) é uma articulação da sociedade que "atua na defesa e promoção do direito a uma educação pública e gratuita para todos e todas, de responsabilidade do Estado”. Camila Croso explica que dentre as ações propostas pelo movimento, a Educação de Jovens e Adultos é uma das prioridades de ação.

Educação de Jovens e Adultos na América Latina

Mais de 35 milhões de pessoas adultas não sabem ler, nem escrever na América Latina e Caribe. De acordo com Camila Croso, um dos avanços percebidos na região para superação do problema é a definição de marcos legal e político que reconhecem a EJA como um direito. Bolívia, Equador, Brasil, Argentina, Uruguai, República Dominicana foram os países, citados pela coordenadora, que estão caminhando nessa proposição.

Por outro lado, Camila adverte para questão das visões muito diferentes sobre o significado da Educação de Jovens e Adultos, dentre os países latinos. "Há visões muito reducionistas”, avalia. Para incrementar as estatísticas, os governos são levados a realizar projetos sem qualidade para cumprir metas. "Jamais o Estado deve abrir mão da qualidade para responder às estatísticas”, critica a coordenadora da Clade.

Ela reforça a necessidade de definir o sentido da EJA para que sejam propostas políticas públicas adequadas. Como exemplo questionável de ação, Camila Croso cita um projeto que pretende alfabetizar por meio do celular. Sendo assim, "O que se entende por alfabetização?”, questiona.

Para mais informações: http://www.campanaderechoeducacion.org/vocesepja

Fonte: Adital

Prefeitura de Aracaju distribui cartilhas educativas para adolescentes

14/07/2011

Para orientar os jovens sobre saúde, desenvolvimento e educação sexual, a Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA), através da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), distribui a Caderneta de Saúde do Adolescente. Produzida pelo Ministério da Saúde, a cartilha é entregue nas escolas vinculadas ao Programa Saúde na Escola (PSE).

Ao todo, são 27 escolas incluídas no programa, sendo 20 da rede municipal e sete da estadual. Segundo a coordenadora de Saúde da Criança, Adolescente e Jovem, Rita Bitencourt, a cartilha serve para dar prosseguimento às orientações passadas pela Caderneta da Criança, também distribuída no município. É uma continuação da Caderneta da Criança. O objetivo é acompanhar o crescimento e desenvolvimento da criança ao adolescente, explica ela.

O foco principal é a saúde do jovem, mas outras informações estão presentes. A caderneta, distribuída nas versões masculina e feminina, traz orientações como direitos do adolescente, saúde bucal, educação sexual, e abordagens sobre o crescimento, desenvolvimento e mudanças ocorridas na adolescência.

Um dos objetivos é tornar o adolescente responsável por sua própria saúde, e ensiná-lo a cuidar do seu corpo, conta Rita Bitencourt. O material conta com tabelas para que os adolescentes acompanhem o seu desenvolvimento, além de um calendário de vacinação.

Utilização

Para que os jovens saibam como utilizar a cartilha, a SMS, em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (Semed), realiza treinamentos com os professores. Queremos que os alunos saibam usar o que receberam. Se eles receberem e deixarem para lá, não vai servir de nada. Queremos que as escolas introduzam a cartilha na sua rotina e orientem os adolescentes, conta a coordenadora.

A expectativa é que, assim que retornarem as aulas, todos os jovens de 10 a 16 anos da rede municipal recebam a cartilha. Estamos planejando uma campanha de vacinação da Hepatite em agosto, e já estamos nos programando para que as crianças já estejam com suas cadernetas até lá, revela Rita.

Fonte: Plenário - a Notícia Agora

Rio realiza seminário internacional sobre políticas de juventude

14/07/2011

Os idiomas e sotaques do diálogo foram vários, mas o assunto foi apenas um: políticas de juventude. A diversidade foi a marca do “Seminário Internacional de Políticas de Juventude: Debatendo os Programas Internacionais”. O evento – realizado pela Coordenadoria de Juventude da Cidade do Rio de Janeiro nos dias 7 e 8 de julho – reuniu gestores, especialistas e organizações de diversas partes do mundo.

Na abertura do evento, o vice-prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Antônio Muniz, enfatizou a importância da participação juvenil no âmbito de toda a sociedade. O vice-presidente e presidente da Comissão de Juventude da Câmara do Rio de Janeiro, Leonel Brizola Neto, afirmou que as portas da Câmara Municipal estão abertas para os jovens participarem.

Foi nesse clima próspero que o coordenador de Juventude da Cidade do Rio de Janeiro, Igor Bruno, falou sobre a importância do seminário para o desenvolvimento do Plano Municipal de Juventude. “Conhecer e debater as ações realizadas por países da Europa e Américas pode amadurecer muito o debate para soluções de nossos desafios locais. A Conferência Municipal de Juventude – que será nos dias 27 e 28 de Agosto – irá se debruçar sobre as questões locais”, revelou Igor Bruno.

A Secretária-adjunta da Secretaria Nacional de Juventude, Ângela Guimarães, ressaltou a relevância do evento na perspectiva de acumulação de conhecimento, com a chance de impactar a formulação das políticas públicas de juventude não só no Rio de Janeiro, mas em vários municípios do país. Já Luis Roberto Acosta, Diretor Regional da Organização Ibero-Americana de Juventude do Cone Sul, ressaltou a importância de eventos dessa natureza para a integração entre organizações internacionais, demais atores sociais e a esfera pública. Acosta colocou a OIJ à disposição para formulação de projetos conjunto.

O debate seguinte, Desenvolvimento e Institucionalização de Políticas Públicas de Juventude no Contexto Internacional, teve a participação de Howrd Willianson, professor da Universidade de Glamorgan; e de Ernesto Rodriguez, CELAJU – Uruguai. Outros temas tratados no evento foram: saúde jovem, sistema de informação juvenil, educação para cidadania ativa e empregabilidade juvenil.

Fonte: Assessoria de comunicação da Prefeitura do RJ

Congresso Nacional da UNE abre espaço para as Conferências Livres de Juventude

14/07/2011

A Comissão Organizadora da 2ª Conferencia Nacional de Juventude, em parceria com a União Nacional dos Estudantes (UNE), realizará uma série de conferências livres durante o 52º Congresso Nacional da entidade, que acontece entre os dias 13 e 17 de julho, em Goiânia (GO), com a presença de pelo menos 10 mil estudantes de todo o país. As conferências livres acontecerão ao longo da sexta-feira, 15 de julho, quando os universitários terão a oportunidade de debater o tema juvenil, enriquecendo o processo da Conferência com suas contribuições. A secretária nacional de Juventude, Severine Macedo, a secretária adjunta de Juventude e coordenadora da Comissão Organizadora, Angela Guimarães, e o presidente do Conselho Nacional de Juventude, Gabriel Medina, participam do Congresso.

Para Severine Macedo, as conferências livres são uma oportunidade para que mais jovens participem do processo. “O Congresso da UNE agrega estudantes de todo o Brasil, com expectativas e demandas diferenciadas, o que enriquece o debate da II Conferência Nacional de Juventude”. A modalidade foi adotada pela primeira vez na preparação da I Conferência Nacional de juventude, realizada em 2008. Desde então, a metodologia passou a ser utilizada em outros processos, a exemplo da I Conferência Nacional de Segurança Pública.

Essas etapas permitem um debate amplo sobre os diversos aspectos que perpassam a agenda juvenil, respeitando a transversalidade do tema. Como sugere o próprio nome, os encontros são mais flexíveis, já que podem ser organizados por qualquer grupo que deseje se reunir, em qualquer espaço, para discutir o tema e enviar suas contribuições para a etapa nacional. Conforme ressalta a coordenadora da Comissão Organizadora Nacional, Angela Guimarães, “a conferência livre torna o debate mais acessível, levando-o às periferias, escolas, universidades, ambientes de trabalho, enfim, a  todos os lugares onde o jovem esteja e queira se manifestar”. As conferências livres tiveram início em 1º de junho e podem ser realizadas até 30 de setembro.

Segundo informações da Comissão Organizadora, durante a primeira Conferência Nacional de Juventude foram realizadas 689 etapas livres. A expectativa agora é superar ou pelo menos manter essa marca no próximo encontro nacional, agendado para o período de 9 a 12 de dezembro, em Brasília. Confiante no êxito da segunda Conferência, os organizadores acreditam que as conferências livres trarão novos olhares, novas perspectivas e novos atores para o debate que visa, sobretudo, fortalecer o tema juvenil e incorporá-lo definitivamente na agenda das políticas públicas no Brasil.

52º Congresso da UNE – O grande objetivo desta edição do Congresso da UNE é definir os rumos do movimento estudantil para os próximos dois anos. As atividades acontecerão na tradicional praça universitária de Goiânia, principalmente na PUC-GO e na UFG. Com o tema “Pensando nos desafios da educação no Brasil” um dos grandes destaques da programação acontece na quinta-feira (14) com o II Encontro Nacional do ProUni, que atinge, este ano, a concessão de mais de 1 milhão de bolsas para universitários de baixa renda desde o início do programa, em 2004. Integrantes do programa de todo o país  vão discutir as vantagens, problemas e desafios da iniciativa, com a participação do ministro da Educação, Fernando Haddad.

No mesmo dia às 14h, será realizado um ato político na Praça Universitária. Representantes da CUT, CTB, MST entre outras forças do movimento social estarão reunidas com a UNE para reivindicar a principal pauta do movimento estudantil, a democratização do ensino no Brasil com a luta da destinação de 10% do PIB e 50 % da arrecadação com royalties do petróleo da camada Pré-sal para a educação.

Durante as atividades, em diversos momentos o Congresso pautará o Plano Nacional de Educação (PNE) por meio de debates sobre a questão do financiamento das universidades públicas, a democracia do acesso e permanência no ensino superior e a valorização dos profissionais da educação. Os estudantes também se reunirão em um ato em defesa da Comissão da Verdade que tem o objetivo de esclarecer casos de violação de direitos humanos ocorridos no período da ditadura (1964-1985). No ato estará presente a presidente da comissão de Direitos Humanos da Câmara, a deputada federal Manuela D´Ávila. Foram convidados para o ato o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, e a secretária de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário.

Fonte: Conjuve

Festival Latino-Americano de Juventudes em Fortaleza inscreve a partir desta sexta-feira (15)

15/07/2011

Começam nesta sexta-feira (15), as inscrições para o 2º Festival Latino-Americano das Juventudes em Fortaleza, no estado do Ceará (Brasil). Com o tema "O canto de um novo mundo”, o encontro será realizado no bairro Abreulândia, no Clube da Cofeco, entre os dias 8 e 11 de outubro. O Festival tem como objetivo promover uma troca de experiências entre movimentos de juventudes, a partir de atividades propostas e realizadas por jovens.

As inscrições são grátis e seguem até o dia 14 de agosto. Para se inscrever é necessário preencher o formulário disponível no site do evento. A inscrição dá direito a toda programação. Serão 10 mil vagas, das quais sete mil com alojamento e três mil sem alojamento, sendo necessário levar a barraca. A alimentação será subsidiada pela Prefeitura de Fortaleza, organizadora do evento, ficando a um custo de até R$ 3,00, por dia, para o participante.

Somente os participantes inscritos serão credenciados para o evento. No ato do credenciamento, o qual será feito nos dois primeiros dias do Festival, será preciso apresentar um documento com foto e o comprovante de inscrição impresso. Os menores de 18 anos devem estar acompanhados de um responsável ou portar autorização, que será disponibilizada no site, reconhecida em cartório. Para ter acesso aos shows, realizados no período da noite, não é necessário fazer inscrição.

A programação do Festival das Juventudes é construída por um Comitê Local formado por diversas organizações e movimentos juvenis da cidade. Através de Grupos de Trabalho (GTs), são propostas atividades autogestionadas, como seminários, oficinas, apresentações, intervenções, dentre outras.

Para propor atividades específicas de movimentos e organizações, tanto ações políticas, sociais e culturais, o período de inscrições começa no dia 20 de julho. "As ações propostas serão estruturadas em consonância com os eixos temáticos do encontro, a saber: participação, soberania, utopia e solidariedade”, explica a organização.

"O Festival é para ser um ambiente [...] capaz de nos mobilizar para a construção de alternativas baseadas em valores democráticos, solidários e multiplicadores de novas formas de vida econômica e social eco-sustentável”, assinala o texto de apresentação do evento. Nesse sentido, os eixos estruturantes do evento serão Cultura, Comunicação, Economia Solidária, Sustentabilidade e Saúde Juvenil.

No eixo da Economia Popular, por exemplo, será realizada uma Feira para comercialização de produtos feitos por grupos que trabalham com os valores da economia solidária. No âmbito da Comunicação, por sua vez, os que desejarem contribuir na equipe de comunicação colaborativa, poderão se inscrever a partir do mês de agosto.

1º Festival das Juventudes

O primeiro Festival foi realizado em 2010 com o tema "A América Latina e as lutas juvenis”. De acordo com a organização, participaram mais de 25 mil jovens em todas as atividades. "Colocamos para todos e todas as nossas lutas, a forma de cada um se organizar e como pensamos a conjunta política local e da América Latina”, avalia o texto de apresentação no site do evento.

Para mais informações, acesse: http://www.fortaleza.ce.gov.br/festivaldasjuventudes

Fonte: Adital

Enem passará a ser obrigatório para aluno solicitar o Fies

15/07/2011

A partir de 29 de julho, estudantes que tenham concluído o ensino médio em 2010 ou data posterior só poderão solicitar o Financiamento Estudantil (Fies) se tiverem feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Para requerer o Fies no segundo semestre de 2011, o aluno deve ter feito o Enem em 2010. Estão isentos professores das redes públicas da educação básica em efetivo exercício do magistério.

Para estudantes que tenham terminado o ensino médio em anos anteriores a 2010, e que são candidatos ao Fies, basta apresentar o certificado de conclusão do ensino médio. Deles não será exigido o Enem. O pedido do financiamento pode ser feito em qualquer data, independente do semestre que o aluno curse.

As regras que entram em vigor no final de julho estão na Portaria Normativa n.º 15/2011, publicada no Diário Oficial da União, de segunda-feira (11). A mesma portaria trata da renovação (aditamento) de contratos do Fies firmados até o primeiro semestre de 2011. A renovação, que é obrigatória a cada semestre, deve ser feita até 31 de julho.

Segundo Antonio Corrêa Neto, diretor financeiro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), a portaria regulamenta os procedimentos do aluno para aditar o contrato (simplificado e não simplificado), enumera os documentos que deve apresentar, trata de situações como a fiança convencional e solidária, transferência de instituição, dilatação do prazo de financiamento.

Beneficiários do Fies que tenham tomado empréstimo na Caixa Econômica Federal devem aditar os contratos no Sistema de Financiamento Estudantil (Sifes); e os que tomaram financiamento a partir de 14 de janeiro de 2010 devem renovar os contratos no Sistema Informatizado (SisFies) do FNDE, que é o agente operador do Fies a partir daquela data, de acordo com a Lei n.º 12.202/2010.

Fonte: Nota 10

Fundação abre cursos de teatro, música e luteria

15/07/2011

Estão abertas as inscrições para os módulos de formação em teatro, música e luteria, totalmente gratuitos, promovidos pelo Núcleo ArteCulturAção, da Fundação Tide Setubal. Os cursos acontecem no CDC Tide Setubal e no Galpão de Cultura e Cidadania, ambos localizados no bairro de São Miguel Paulista, na zona leste de São Paulo (SP). No total, são 180 vagas para moradores da região e de diferentes faixas etárias. Os interessados devem se inscrever no local do respectivo curso, até um dia antes do início das aulas.

Com a proposta de valorizar o saber social da comunidade, articulando arte, cultura e cidadania, o Núcleo ArteCulturAção promove dois tipos de formação: em teatro e suas linguagens e em música e luteria. Na área teatral, haverá um curso para iniciantes no CDC Tide Setubal, com a educadora Marina Corazza Padovani. Rodas de conversa, expressão corporal, jogos teatrais, construção de textos dramáticos e visitas a centros culturais fazem parte das atividades, para jovens a partir dos 13 anos.

Outra opção é o curso Intervenção Urbana, com aulas práticas e teóricas, sob o comando do educador Júlio Dojcsar, a partir de setembro, no CDC.

Música e luteria

As formações em música e luteria serão oferecidas no Galpão de Cultura e Cidadania, situado no Jardim Lapenna. Para integrantes de grupos culturais e demais interessados, haverá um módulo dedicado à construção de violões. Durante as aulas, o luthier Fabio Vanini ensinará os alunos a confeccioná-los artesanalmente.

Em iniciação musical, as opções são: curso de percussão e módulos de violão, bandolim e cavaquinho, além de canto coral.

Quem não tem disponibilidade para frequentar um curso semestral, pode participar do workshop Cajones de todas as tribos, com o músico Jhony Guima. Na tarde de 27 de agosto, ele explicará a origem do cajón e algumas técnicas para tocá-lo. Os interessados numa das 15 vagas devem se inscrever pelo email [email protected] até 26 de agosto, enviando nome, RG e telefone. A atividade ocorrerá no Galpão de Cultura e Cidadania.

Para ver a relação completa de módulos do ArteculturAção, acesse: http://www.fundacaotidesetubal.org.br/noticias/2524.

Fonte: Aprendizapresentação no site do evento.

Para mais informações, acesse: http://www.fortaleza.ce.gov.br/festivaldasjuventudes

Fonte: Adital

Cursinho do XI abre inscrições para estudantes que vão prestar vestibular

18/07/2011

O Cursinho do XI, fundando em 1995 pelo Centro Acadêmico da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), abre inscrições para curso pré–vestibular. As atividades começam em 1/8.

O curso acontece de segunda a sexta-feira. Pela manhã, são os estudantes contarão com 6 aulas com duração de 50 minutos cada. Já no período da tarde e noite, serão 5 aulas de 40 minutos. A grade conta com material didático, simulados e plantões de dúvidas. Todo conteúdo do curso terá como apoio o material didático do sistema de ensino do cursinho OBJETIVO.

Além das aulas de exatas, humanas e biológicas durante a semana, no sábado o aluno terá aulas de Filosofia, História da Arte, Sociologia, Línguas (Inglês e Espanhol), reforço de Redação e Atualidades, além de aulas especiais com apresentação de filmes, palestras e passeios com monitoria dos professores.

O cursinho disponibiliza aos alunos uma cantina com microondas e geladeira para refeição, biblioteca, videoteca e acesso a internet. Há também aulas de desenhos para candidatos de áreas como artes plásticas, arquitetura e desenho industrial.

Por ser um projeto sem fins lucrativos, o aluno pagará somente pela manutenção do curso e tem a opção de concorrer a uma bolsa de estudo de 20% até 80%, fazendo uma prova que pode ser agendada através do site www.cursinhodoxi.com.br.

Para se inscrever no curso os interessados devem apresentar cópias simples do RG, do CPF e de um comprovante de residência, uma foto 3×4 e pagar a taxa de inscrição de R$ 30 na secretaria do cursinho (Av. Brigadeiro Luis Antonio, 277, 5º andar, Bela Vista, próximo ao metrô Sé). As inscrições podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h e sábado, das 8h às 16h.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (11) 3107-6293 e (11) 3101- 4583, pelo e-mail [email protected] ou no site.

Fonte: Aprendiz

Projetos de professores podem concorrer a prêmio de R$ 5.000

18/07/2011

Estão abertas até 15 de setembro as inscrições para o prêmio Professores do Brasil, promovido pelo Ministério da Educação em parceria com fundações privadas e organizações internacionais.

Em sua quinta edição, o prêmio vai selecionar até 40 experiências pedagógicas, concluídas ou em execução, desenvolvidas por professores da rede pública de educação básica.

Para concorrer, os educadores devem relatar projetos que tiveram resultados comprovados no enfrentamento de problemas da educação.

A ficha de inscrição e o regulamento estão disponíveis no site premioprofessoresdobrasil.mec.gov.br.

Os autores dos trabalhos --oito de cada região do país-- receberão R$ 5.000 e terão pagas as despesas para participar de um seminário do MEC em Brasília na entrega do prêmio, no fim do ano.

Também será distribuído R$ 2.000 em equipamentos multimídia para as escolas que desenvolveram os projetos premiados.

Todos os trabalhos serão analisados pelo Instituto Federal Sul-rio-grandense, e avaliados por uma comissão de especialistas convidados pelo MEC.

No conjunto das quatro edições anteriores, concorreram ao prêmio 4.394 trabalhos e 106 professores receberam prêmios que somaram R$ 530 mil.

Neste ano, o prêmio é patrocinado pela Fundação SM, Intel, Instituto Votorantim e Abrelivros (Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares).

Fonte: Folha Online

Reino Unido quer atrair universitários brasileiros, diz jornal

18/07/2011

Autoridades do meio universitário britânico estão sendo acusadas de tentar sanar um rombo no financiamento de instituições britânicas atraindo 10 mil alunos brasileiros para universidades particulares locais, segundo reportagem publicada neste domingo pelo jornal "The Observer".

Segundo o "Observer", a tentativa de acordo entre Reino Unido e Brasil foi iniciada no mês passado, quando o ministro das Universidades britânico, David Willetts, esteve no Brasil. O jornal diz que o plano é de que o governo brasileiro destinasse um total de 18.700 libras para cada estudante (cerca de R$ 47 mil).

De acordo com o jornal, o projeto recebeu críticas por parte da secretária-geral do Sindicato de Universidades e Faculdades britânico, Sally Hunt.

Em entrevista ao "Observer", Sally Hunt afirmou que o Reino Unido se beneficia "enormemente com a vinda de estudantes e funcionários de todo o mundo. Mas o governo não deveria usar estudantes estrangeiros como 'vacas leiteiras' e como forma de pagar pelo seu fracassado plano de financiamento universitário''.

O jornal lembra que o Brasil não possui nenhuma instituição de ensino no tradicional ranking publicado anualmente pelo jornal britânico "The Times", o Times Higher Education Supplement, que lista as 200 mais importantes universidades mundiais.

O Universities UK, órgão que representa universidades britânicas, elogiou o plano, dizendo que ele promete "beneficiar estudantes dos dois países e suas economias" e que as bolsas destinadas a brasileiros seriam para períodos de estudos inferiores a um ano.

Um porta-voz do governo britânico informou ao "Observer" que as conversas com o Brasil ainda estão em estágio inicial.

A BBC Brasil tentou contato com o Ministério da Educação brasileiro e com a Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) neste domingo, sem sucesso.

CORTES DE GASTOS

O "Observer" cita que a tentativa de acordo bilateral se segue a um corte de 200 milhões de libras (R$ 500 milhões) do financiamento estatal da educação superior no Reino Unido, num momento em que a coalizão governista tenta conter o deficit público do país.

Isso deve significar, segundo o jornal, 24 mil vagas a menos para estudantes britânicos e da União Europeia.

Cortes nas verbas do ensino superior desencadearam uma onda de protestos estudantis no país no final do ano passado.

"Ainda que os brasileiros não vão ocupar lugares que, de outra forma, estariam disponíveis para estudantes britânicos e europeus, a preocupação é de que o modelo de financiamento do governo para a educação superior fique cada vez mais dependente de atrair [estudantes] estrangeiros que, se tivessem nascido no Reino Unido, talvez tivessem dificuldades em obter uma vaga na universidade", afirma o "Observer".

Fonte: BBC Brasil

Estudante cria sistema para tratar água com uso de energia solar

18/07/2011

O estudante de engenharia elétrica da Universidade Federal de Goiás (campus de Jatai) Leonardo Lira, 20 anos, inventou um sistema para tratamento de água que não usa energia elétrica, não emite gás carbônico e retira material que pode poluir o meio ambiente. De baixo custo, o sistema pode ser utilizado por comunidades carentes sem acesso a saneamento básico.Com cinco tábuas de compensado revestidas de papel-alumínio, Leonardo fez uma caixa sem tampa de aproximadamente 1 metro quadrado com as paredes abertas e inclinadas, uma espécie de concentrador que recebe luz do sol.

No interior da caixa, o estudante depositou quatro garrafas PET transparentes com capacidade para 2 litros, cada, onde armazena a água para tratamento por três a seis horas. A água chega a atingir uma temperatura de 70 graus Celsius (30 graus a menos do que a temperatura de fervura), e, aquecida, elimina bactérias, vírus e substâncias que fazem mal à saúde humana.

Para testar o concentrador solar, Leonardo fez três séries de amostras de água de cinco residências que não recebem água encanada e tratada. O líquido foi pré-analisado pela Saneamento de Goiás S/A (companhia de saneamento do estado), que descreveu as impurezas e quantificou em tabela a ocorrência de coliformes fecais e de organismos como o rotavírus. Nos testes, após três horas no concentrador, eles foram eliminados. A água pôde ser bebida depois de esfriar naturalmente em jarra própria.

"Nosso foco era gastar o mínimo de energia possível sem passar por fervura, e, assim, não precisar de gás e evitar a emissão de poluentes", comemora o futuro engenheiro que apresenta o seu trabalho na Expotec, a feira de ciência, tecnologia e inovação que está aberta durante a 63ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorre em Goiânia (GO).

Fonte: Agência Brasil

Brasil deve aumentar investimentos em robótica, diz professor

18/07/2011

O Brasil deve aproveitar o potencial em áreas como agricultura e exploração de petróleo na camada pré-sal para investir na indústria de robótica, defende o professor Marco Henrique Terra, da Universidade de São Paulo em São Carlos (USP São Carlos). "São dois setores que, economicamente, podem resultar em algo viável para se investir em robótica", ressaltou.

Segundo ele, comparada à situação de países desenvolvidos, o Brasil não ocupa uma boa posição no que se refere a esse tipo de teconolgia. O professor destacou que, no entanto, no país há uma série de iniciativas pontuais que, se forem incentivadas, poderão trazer resultados favoráveis. "Acredito que no médio e longo prazos, se a gente conseguir focar em determinados setores específicos, em que o Brasil tem potencial econômico para competir, a gente possa obter alguma coisa."

Terra lembrou que as plataformas do pré-sal ficarão bastante afastadas da costa, o que indica que o nível de automação e de robotização será alto na atividade de exploração nessas áreas. "Pela distância, por segurança das pessoas que trabalham, quanto menos gente houver nessas plataformas, melhor. Aí há um cenário para médio e longo prazo para empresas de pequeno porte, se houver investimentos para que elas desenvolvam soluções para esse tipo de exploração, que é nova e diferente da que se faz hoje."

A inovação tecnológica no Brasil na indústria de robôs será tema de debate nesta quinta-feira, no Clube de Engenharia, no Rio de Janeiro. A ênfase será a fabricação de produtos de elevado valor agregado e o crescimento de empregos com qualificação.

Terra disse que as iniciativas brasileiras em robótica são feitas, na maioria dos casos, por empresas de pequeno porte. "Portanto, há muito o que se fazer. Acho que o caminho é esse: potencializar a pesquisa nessas empresas que se propõem a fazer isso aqui no Brasil."

Entre os principais robôs em atividade, está o Ambiental Híbrido Chico Mendes, criado em 2005 pelo Centro de Pesquisas da Petrobras, para fazer o monitoramento da Amazônia. Para outros segmentos, como a indústria nuclear, Terra afirmou que ainda não foram desenvolvidos robôs no Brasil.

Para ele, tanto o governo quanto a iniciativa privada devem investir na área de robótica. A Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia (Finep) investiu em projetos de robótica R$ 47,5 milhões, no período entre 2004 e 2010.

O professor disse que o investimento ainda "é pouco", mas destacou que a Finep "tem feito o que pode". "Com os recursos de que dispõe, tem feito o máximo possível e trabalhado bem, definindo prioridades de maneira criteriosa e apropriada." Terra destacou que nos Estados Unidos, por exemplo, um único projeto voltado para o desenvolvimento de um robô aéreo pode demandar investimentos de até US$ 30 milhões

Fonte: Agência Brasil

Jovem é a principal vítima do trânsito

19/07/2011

Jovens de 15 a 24 anos foram as principais vítimas do trânsito durante a década de 1998 a 2008, sendo que o sexo masculino é mais vulnerável. O Mapa da Violência 2011, do instituto de pesquisa Sangari, de São Paulo (SP), constata que o número de mortes de jovens cresceu 15 vezes mais do que o observado em outras faixas etárias. De 15 a 19 anos, a mortalidade aumentou 21,4% e de 20 a 24 anos, subiu 40,1%. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a cada 400 mil jovens brasileiros, 25 mil morrem por ano no trânsito. O diretor de Planejamento do Detran-PA, Carlos Valente, destaca que às vezes falta maturidade ao jovem, especialmente para os do sexo masculino. "Os homens gostam de dizer que mulheres fazem besteira ao volante, mas é o contrário. A maioria dos acidentes envolve homens”.

Fonte: O Liberal

ANDI e Instituto Alana oferecem bolsas para conclusão do TCC

19/07/2011

Quem pretende elaborar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com foco na relação entre criança, consumo e mídia pode se candidatar a uma das sete bolsas oferecidas pela ANDI - Comunicação e Direitos e pelo Instituto Alana. O valor da bolsa é de R$ 390 mensais pelo período de seis meses. São três bolsas para universitários que se comprometerem a realizar seus TCCs com foco na interface geral entre "criança, consumo e mídia"; duas para quem abordar o tema "publicidade de alimentos e interfaces com a obesidade infantil" e duas para aqueles que optarem pelo tema "desafios para a autorregulamentação da publicidade". O projeto deve ser enviado à Coordenação de Relações Acadêmicas da ANDI até o dia 25 de julho, conforme as regras do edital. Os contemplados serão conhecidos até o dia 15 de agosto.

Fonte: A Tarde

Prêmio Jovem Cientista recebe inscrições até 31/8

19/07/2011

O Prêmio Jovem Cientista, que, em sua XXV edição, terá o tema Cidades Sustentáveis, recebe inscrições até o dia 31 de agosto pela Internet.

O objetivo é incentivar a participação dos alunos de instituições públicas e privadas com a criação e o desenvolvimento de pesquisas relacionadas ao tema. Quatro categorias são premiadas: Graduado, Estudante do Ensino Superior, Estudante do Ensino Médio, e Mérito Institucional.

Para facilitar a abordagem do tema em sala de aula, um kit pedagógico será distribuído gratuitamente às escolas e professores de instituições públicas ou privadas que aderirem à premiação. O material também está disponível para download no site www.jovemcientista.cnpq.br.

O regulamento completo do prêmio e a ficha de inscrição estão disponíveis no site: www.jovemcientista.cnpq.br.

A inciativa é uma realização do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e apoiada pela Fundação Roberto Marinho, Gerdau e GE.

Fonte: Gife

Pré-selecionados no ProUni têm até hoje para confirmar dados

19/07/2011

Os pré-candidatos aprovados em segunda chamada para receber uma bolsa do Programa Universidade para Todos (ProUni) têm até hoje (19) para comparecer às instituições de ensino para as quais foram selecionados, a fim de comprovar as informações prestadas durante as inscrições. A lista dos documentos que devem ser apresentados pode ser consultada no site do ProUni.

A terceira chamada está prevista para 25 de julho. Ao final das três convocatórias, o sistema gerará uma lista de espera que poderá ser usada pelas instituições de ensino para preencher as vagas remanescentes. Os interessados em integrar a lista deverão fazer essa opção no período de 6 a 8 de agosto, também no site do programa.

Para segundo semestre deste ano, 460 mil estudantes se candidataram para disputar uma das 92 mil bolsas ofertadas.

Pode participar do ProUni o aluno que cursou todo o ensino médio em escola pública ou estabelecimento privado com bolsa. Também é necessário ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2010 e atender aos critérios de renda do programa.

Fonte: Agência Brasil

Bolsistas do ProUni e universitários cotistas têm desconto no ônibus no Rio de Janeiro

20/07/2011

Os universitários que estudam em instituições de ensino pública ou particular do município do Rio de Janeiro, na condição de bolsistas integrais ou parciais do Programa Universidade para Todos (Prouni) ou de cotistas em faculdades públicas, a partir de agora terão direito a pagar meia passagem de ônibus para irem e voltarem da faculdade. O cadastro começou a ser feito na última sexta-feira (15/7), nos postos da RioCard.
Os 30 mil estudantes beneficiados receberão gratuitamente um cartão do Bilhete Único Carioca (BUC) sem valor pré-recarregado. Cada cartão dará direito a 44 meias-passagens de ônibus, podendo ser utilizado nos coletivos comuns, ou seja, sem ar condicionado e de tarifa modal.

Fonte: PaperBlog

MEC fecha acordo com Israel para intercâmbio de estudantes e pesquisadores

20/07/2011

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação e o Instituto Weizmann de Ciência de Israel fecharam um acordo para financiar o intercâmbio de estudantes e pesquisadores brasileiros nas áreas de bioquímica, química, física, matemática e ciência da computação e nas áreas de qualificação de professores da educação básica e de tecnologias da educação.

O acordo, com duração de cinco anos, servirá para a cooperação e execução de projetos conjuntos de pesquisa entre o Brasil e Israel."A pesquisa feita no Brasil, nessa área, ganhará visibilidade no exterior e terá inserção no cenário internacional, à medida que nossos pesquisadores tenham parceria com pesquisadores de alto prestígio israelenses" disse Denise Neddermeyer, diretora de Relações Internacionais da Capes.

Fundado em 1934, o Instituto Weizmann de Ciências, com sede em Rehovot em Israel, é um dos mais respeitados centros internacionais de pesquisas multidisciplinares do mundo.

Fonte: Agência Brasil

Congresso internacional quer debate para avançar na educação

20/07/2011

O Movimento Todos Pela Educação realiza, em parceria com instituições nacionais e internacionais, o Congresso Internacional "Educação: uma Agenda Urgente”, de 13 a 16 de setembro, em Brasília. O objetivo do encontro, que reunirá líderes brasileiros das áreas educacional, acadêmica e de gestão, é o debate de questões que precisam avançar para acelerarmos os resultados, principalmente de aprendizagem, da educação básica no País.

“Educação de qualidade é um direito que vem sendo negado a milhões de crianças e jovens de todo Brasil, que estão fora das escolas ou terminam o ensino médio sem ter aprendido o mínimo que era esperado”, explica Priscila Cruz, diretora-executiva do Todos Pela Educação.

“Se queremos um País mais justo e menos desigual, precisamos garantir educação de qualidade para todos”, completa.

O congresso conta, para cada uma das sessões de debate, com um parceiro realizador. Serão ao todo nove temas:

1 - Justiça pela qualidade da Educação – Em parceria com a Associação Brasileira de Magistrados, Promotores de Justiça e Defensores Públicos da Infância e da Juventude (ABMP), serão debatidas as necessidades do sistema de Justiça brasileiro para oferecer aos operadores do Direito os instrumentos que lhes possibilitem garantir que as políticas educacionais sejam cumpridas.

2 - Regime de colaboração – Nesta sessão, em parceria com o Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), serão abordadas as responsabilidades de cada ente federado na Educação e analisadas as experiências exitosas que conseguiram impactar positivamente os indicadores da Educação.

3 – Definição das expectativas de aprendizagem – O Conselho Nacional de Educação (CNE), parceiro dessa sessão, auxiliará no debate sobre os desafios e as oportunidades que a definição de expectativas de aprendizagem pode oferecer.

4 - Formação inicial do professor – Em parceria com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), serão debatidos os modelos de formação inicial do docente e as oportunidades de mudanças para que esta formação esteja mais próxima das necessidades das crianças e jovens da sociedade atual.

5 – Carreira do professor – Remuneração, plano de carreira e condições de trabalho são alguns dos temas a serem debatidos, em parceria com o Ministério da Educação (MEC), sobre o que precisa ser feito para tornar a carreira de professor uma opção mais atraente no País.

6 - Avaliações externas e seu uso na gestão educacional - O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é parceiro na sessão que debaterá o uso dos resultados das avaliações de larga escala na gestão e para as intervenções pedagógicas.

7 – Educação integral – Em parceria com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), serão analisados os principais desafios das políticas de ampliação da exposição à aprendizagem, especialmente Educação em tempo integral.

8 – Equidade e inclusão – Em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), serão apontadas as políticas públicas que têm tido mais êxito e as que precisamos desenvolver para garantir o pleno acesso de todos a escolas de qualidade.

Sessão especial: Movimentos pela Educação na América Latina – O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) é parceiro na sessão que contará com alguns dos movimentos latino-americanos que trabalham pela melhoria da qualidade da Educação em seus países para troca de experiências e possível fomento de uma rede de mobilização regional.

Fonte: Todos Pela Educação

Localização da escola influencia aprendizado do aluno, aponta pesquisa

20/07/2011

O estudo Educação em territórios de alta vulnerabilidade social na metrópole, uma iniciativa da Fundação Tide Setubal em parceria com a Fundação Itaú Social e o Unicef e coordenação do Cenpec, constatou que, quanto maior a vulnerabilidade social do território, menor o nível da qualidade de ensino ofertado e menor a aprendizagem dos alunos, dinâmica denominada ‘Efeito do Território’.

Realizado entre 2009 e 2010, a pesquisa analisou dados das 61 escolas públicas da subprefeitura de São Miguel Paulista, na Zona Leste da capital, que atendem 88 mil alunos. Os dados mostram que quanto mais vulnerável o território, menor o resultado das escolas na avaliação do Ideb.

O objetivo da pesquisa foi averiguar o ‘Efeito do Território’ nas oportunidades educacionais oferecidas às crianças, adolescentes e jovens da periferia das metrópoles. “As metrópoles apresentam o seguinte paradoxo: ao mesmo tempo em que possuem grande riqueza econômica, social e cultural, apresentam indicadores educacionais abaixo das cidades de médio porte” explica a superintendente do Cenpec, Anna Helena Altenfelder.

Segundo Antonio Batista, coordenador de pesquisa do Cenpec, “esse aparente paradoxo é decorrente – segundo as investigações existentes sobre o tema – da forte segregação espacial que marca as áreas metropolitanas e que tende a isolar parcelas expressivas da população de oportunidades sociais, educacionais e culturais. A segregação e o isolamento espacial se tornam, assim, também uma segregação e um isolamento sociocultural e educacional”.

Para a coordenadora da Fundação Tide Setubal, Paula Galeano a pesquisa também tem mérito de apresentar, sob diversas óticas, os mecanismos que geram as desigualdades. “A Fundação atua em territórios vulneráveis onde percebemos a reprodução das desigualdades, pelo precário acesso da população aos bens e serviços que não estão distribuídos de forma justa na cidade. Nosso papel é o de integrar ações e políticas na tentativa de romper este ciclo e promover o desenvolvimento”, conclui.

O que mobilizou as instituições envolvidas a desenvolver este estudo foi a possibilidade de contribuir para o debate público sobre as políticas educacionais. “São necessárias políticas específicas para escolas em territórios de alta vulnerabilidade, sobretudo quando atendem alunos com baixos recursos culturais, visando garantir a equidade”, afirma a diretora da Fundação Itaú Social, Valéria Riccomini.

São duas as evidências que comprovam o impacto da vulnerabilidade do território onde se localiza a escola sobre as oportunidades educacionais oferecidas aos estudantes. A primeira é que o estudo constatou que, das 61 escolas pesquisadas, as localizadas em territórios de alta vulnerabilidade ficaram abaixo da média local do Ideb. Por outro lado, entre as que estão em regiões centrais, com mais recursos culturais, financeiros e sociais, quase todas estão acima da média do Ideb de São Miguel Paulista.

A segunda evidência detectada é que alunos com o mesmo nível sociocultural têm desempenhos diferentes conforme o nível de vulnerabilidade do local onde se situa a escola.

Foi observado que, dentre os alunos de quarta série com baixos níveis socioculturais que vivem em territórios de alta vulnerabilidade, 50% tiveram nível de proficiência abaixo do básico na Prova Brasil em Língua Portuguesa, em 2007. Este índice cai para 38% nas regiões mais centrais. Esta evidência expressa um princípio fundamental para a educação que é de que todos os alunos podem aprender, desde que garantidas as condições para isto.

A pesquisa também procurou identificar os mecanismos e processos que produzem o ‘Efeito de Território’. Foram encontrados cinco mecanismos que afetam as escolas em territórios de alta vulnerabilidade:

1) isolamento da escola em relação a outros equipamentos públicos no território;

2) baixa oferta de Educação Infantil e creches no entorno;

3) escolas com tendência a concentrar alunos com baixos recursos socioculturais;

4) desvantagem em relação a outras escolas na concorrência por bons profissionais;

5) modelo escolar vigente inadequado às necessidades dos alunos que estudam nestas escolas com alta vulnerabilidade.

“O modelo escolar que organiza o funcionamento das escolas exige um repertório que os alunos com baixos recursos não possuem. A escola precisa estar preparada para atender o aluno real” explica o pesquisador do Cenpec e coordenador da pesquisa, Maurício Érnica.

Segundo a diretora da Fundação Itaú Social, Valéria Riccomini, o resultado da pesquisa indica que é necessário e urgente desenvolver políticas públicas específicas para escolas que estejam localizadas em regiões de alta vulnerabilidade social.

“Ao concluir que crianças com o mesmo nível sociocultural têm desempenhos diferentes, o estudo mostra que o território influencia de forma significativa as oportunidades de aprendizagem. Por isso, as políticas precisam considerar as desigualdades e as especificidades de cada comunidade”, afirma.

Fonte: Envolverde/ Cenpec

Seis estudantes brasileiros disputam a Olimpíada Mundial de Matemática, na Holanda

20/07/2011

A competição, que segue até 24 de julho em Amsterdã, na Holanda, reúne estudantes de aproximadamente 100 países. A equipe brasileira tem três estudantes que ganharam medalhas de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), em 2010, e três estudantes de escolas particulares, medalhistas de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM).

Podem participar da seleção para a olimpíada internacional todos os estudantes que estejam cursando o ensino médio e tenham conquistado medalhas de ouro na Obmep e na OBM no ano interior ao do evento internacional. A seletiva compreende quatro baterias de testes. Os seis candidatos mais bem classificados representam o País no exterior.

A aluna do 3ª ano do ensino médio da Escola Estadual Coronel Oscar de Castro, em Pirajuba, Minas Gerais, Maria Clara Mendes Silva, o estudante do 2º ano do ensino médio do Colégio Militar de Belo Horizonte, André Macieira Braga Costa e Henrique Gasparini Fiuza do Nascimento, do Colégio Militar de Brasília (DF), fazem parte da delegação. Dos seis representantes brasileiros, três são de escolas públicas.

Completam a equipe brasileira na competição três estudantes de escolas particulares, medalhistas de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) - Deborah Barbosa Alves, de São Paulo; Gustavo Lisboa Empinotti, de Florianópolis, e João Lucas Camelo Sá, de Fortaleza.

Na Olimpíada, realizada pelo Comitê Olímpico Internacional de Matemática, os alunos vão fazer duas provas, cada uma com três problemas envolvendo os seus conhecimentos em teoria dos números, álgebra e geometria. As questões vão ser tiradas de um banco de dados enviados por professores dos países participantes.

De 1979, quando estudantes brasileiros começaram participar da Olimpíada Internacional de Matemática, a 2009, o País ganhou sete medalhas de ouro e 23 de prata. Em 2009, em Bremem, Alemanha, os brasileiros trouxeram uma medalha de ouro, três de prata e duas de bronze. Em 2010, em Astana, capital do Cazaquistão, foram duas medalhas de prata, uma de bronze e três menções honrosas.

Fonte: MEC

Projeto K lança concurso de design para estudantes universitários

20/07/2011

Focada em inovação em acessórios, a empresa Keko quer criar espaço para a criatividade e a inovação junto aos estudantes universitários.

A marca está lançando o Projeto K , ou seja, o 1º Concurso Keko de Design Universitário, que busca novos talentos do design brasileiro para estimular o desenvolvimento de produtos de acordo com a realidade cultural, econômica e tecnológica da indústria e do mercado.

Em sua edição de estreia, o Projeto K lança como desafio a criação de acessórios para personalizar uma picape leve.

Podem participar estudantes universitários de todo o Brasil matriculados em cursos de Design de Produto de nível superior e que estejam no segundo ano ou que tenham cursado, no mínimo, 40% das disciplinas curriculares, devendo o curso ser reconhecido ou autorizado pelo MEC.

As inscrições vão até 15 de agosto e devem ser feitas através do site http://www.keko.com.br/projetoK

Fonte: Diário do Grande ABC

Seminário na Feira Literária Internacional do Tocantins discute educação e diversidade

20/07/2011

A FLIT - Feira Literária Internacional do Tocantins, também será espaço para discussões sobre a riqueza da diversidade humana por meio do I Seminário Estadual de Educação na Diversidade e do Espaço Multicultural, que promoverá apresentações culturais indígenas e quilombolas. A FLIT será realizada de 25 de julho a 3 de agosto, na Praça dos Girassóis, em Palmas.

O seminário será destinado a gestores, professores, alunos, militantes e pessoas interessadas. Ao todo serão apresentadas 26 oficinas, 10 palestras, duas mesas-redondas, uma plenária, uma peça de teatro e mais as apresentações indígenas e quilombolas.

O objetivo é promover a troca de conhecimentos sobre as políticas afirmativas voltadas para a educação na diversidade referente às relações étnico-raciais, educação do campo, educação indígena, meio ambiente, Educação de Jovens e Adultos, educação especial, direitos humanos e gênero.

De acordo com o educador Maximiano Bezerra, da Diretoria da Educação Indígena e Diversidade da Secretaria da Educação do Tocantins, o seminário é uma forma de discutir as políticas para a diversidade e inclusão, de promover uma troca de experiências e certificar os professores.

Programação

Entre os temas selecionados para palestras, destacam-se:

- A importância do alinhamento de conteúdos no contexto da reforma

- Implementação e implantação do ensino integral

- Herança cultural, capoeira e educação

- Comportamento e ética profissional

- Fatores de sucesso do Enem

- Educação pública de qualidade e o Enem

- Poderes e deveres do gestor público

- As várias faces do patrimônio cultural

- A gestão da sala de aula - procedimentos básicos

- Contextualização da educação integral

Fonte: O Girassol - TO

Jogo virtual educa jovens em economia

20/07/2011

Pensando em ensinar educação financeira aos mais jovens e, ao mesmo tempo, não ser algo chato, uma empresa que tem experiência em fornecer programas de TI para o mercado financeiro e na área de educação financeira, lançou um game on-line chamado Goumi, em que o jogador deve criar um avatar, uma representação virtual de um personagem, e entrar em um mundo onde pode criar seu próprio negócio e tentar prosperar.

O Goumi tem quatro pilares para ensinar educação financeira: poupar, gastar, investir e doar. “Nossa intenção não é que o jovem se torne em um investidor precoce e, sim, que possa aprender a importância do dinheiro, de saber consumir bem e de aprender a poupar”, diz Leonardo Reis, CEO da Cedro Finances. Desse modo, o jogo tenta ser atrativo, para aprender se divertindo. “Os jovens não querem ficar apenas estudando”.

Dentro do jogo

No Goumi, o jovem pode criar negócios dentro do setor primário, secundário e terciário, interagindo com outros jogadores dentro do mundo virtual. Ele aprende como funciona a economia para um agricultor, por exemplo, pode “industrializar” o que foi plantado, comprar matéria-prima de outro jogador, abrir uma conta bancária, realizar um investimento, entrar na bolsa de valores.

Desde o lançamento há dois meses, mais de 8 mil jogadores já se cadastraram no Goumi, que é utilizado em algumas escolas como reforço em aulas de educação financeira.

Segundo os criadores, ter um mundo inteiramente controlado pelos jogadores reflete crises financeiras do mundo real. “Se todos os jogadores plantarem morangos, o item ficará muito barato, porque a oferta será muito grande. Assim, os próprios gamers mudam os negócios, investindo em outras áreas”.

Reis conta, também, que o jogo exige ter contato com outras pessoas para ter um negócio lucrativo e ensina, também, a criança saber que existe horário de trabalho e de diversão. “[O personagem virtual] tem que descansar, dormir, tomar banho. Ainda, a criança pode doar uma quantia para um amigo que está com problemas de dinheiro”, diz.

O retorno, segundo Reis, é positivo. Muitos pais enviaram e-mails falando que o filho aprendeu a poupar e que se preocupa com o orçamento doméstico. “Um participante do jogo nos enviou um e-mail em que disse que sua empresa no mundo virtual está indo melhor que a do pai no mundo real”, diz Samuel Paiva, diretor de marketing da Cedro.

Fonte: G1/ Gustavo Petró

Enem é obrigatório para bolsas de estudo no Ciência sem Fronteiras

27/07/2011

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) acaba de ganhar mais uma função. Permitir o acesso a bolsas de intercâmbio no exterior. Até 2014, setenta e cinco mil estudantes brasileiros poderão ser beneficiados com o intercâmbio, que faz parte do programa Ciência sem Fronteiras.

Para participar do projeto, os estudantes devem mostrar bom desempenho acadêmico. E para os alunos de graduação, a nota do Enem será um dos requisitos.

O programa é um projeto do governo, que prevê a oferta de 75 mil bolsas de estudo no exterior até 2014. Serão 27,1 mil bolsas para alunos de graduação, 24,5 mil para doutorado de um ano, 9,7 mil para doutorado integral e 2,6 mil para pós-doutorado. As outras estão divididas entre o treinamento de especialistas, para jovens cientistas e grandes talentos, e para pesquisadores visitantes no Brasil.

A inscrição para as bolsas deve começar neste ano, mas ainda não há data definida. O processo de seleção será administrado pelo CNPQ.

Uso do Enem

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma prova unificada que mede a qualidade do ensino no país. A avaliação possui 180 questões distribuídas em quatro áreas específicas: Linguagens, Ciências Humanas, Matemáticas e Ciências da Natureza.

A pontuação no Enem pode ser utilizada de diversas formas:

- Para  obter o certificado de conclusão do ensino médio (para estudantes acima de 18 anos, vale como substituição ao Encceja - Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos).

- Como pré-requisito para o FIES, o programa governamental de financiamento estudantil.

- Para o ProUni, o programa Universidade Para Todos que oferece bolsas de estudo para estudantes de baixa renda).

- Para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada), em que universidades públicas de todo o país oferecem vagas para os cursos de graduação.

Fonte: Portal Universidade

Acesso a bolsas de intercâmbio pode ter mais critérios, além do mérito

27/07/2011

De improviso, a presidente Dilma Rousseff decidiu, em evento no Palácio do Planalto, que a seleção para o programa de bolsas no exterior Ciência sem Fronteiras não levará em conta apenas o mérito.

Após ouvir cobranças de dois representantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), ela disse que as 75 mil vagas em cursos nas áreas tecnológicas e exatas serão distribuídas por Estados e uma parte será concedida de acordo com questões étnicas e de gênero.

No evento, Dilma pediu para os empresários bancarem outras 25 mil bolsas. Os dirigentes da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), da Associação Brasileira de Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), da União Nacional de Cana-de-Açúcar (Única) e da Câmara Brasileira da Construção (CBIC), que estavam no encontro, não se pronunciaram. Apenas dois empresários, em decisões individuais, ofereceram recursos para a concessão de cem bolsas cada um.

O programa de bolsas do governo é estimado em R$ 3,1 bilhões e tem como prioridade cursos de engenharia, além de outras áreas tecnológicas e de licenciatura em ciências exatas. A decisão da presidente em abandonar a seleção totalmente por mérito surpreendeu assessores do governo.

Após o anúncio, Dilma tentou mostrar que não havia contradição. Enfatizou que o mérito será "crucial" mesmo na seleção das vagas por questões étnicas e de gênero, sem dar detalhes. "A partir desse primeiro critério, de mérito, teremos de aplicar outros critérios que podem contemplar toda a questão relativa a gênero, à questão étnica", afirmou.

A presidente alterou o programa após os discursos dos conselheiros Naomar de Almeida Filho, ex-reitor da Universidade Federal da Bahia, e José Vicente, reitor da Universidade Zumbi dos Palmares.

Naomar discursou que a deficiência em língua estrangeira é o maior entrave para a participação dos estudantes da rede pública na seleção de bolsas. Ele defendeu mais investimento na capacitação dos alunos das classes de renda baixa. Depois, em entrevista, avaliou como "ponto vago" a parte do programa que o governo espera ver bancada pela iniciativa privada.

Dilma afirmou que o mérito no País já está "combinado com outros fatores", citando o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (ProUni) - que concede bolsas de graduação em cursos de humanas. Ela observou que o ProUni mostrou a capacidade dos estudantes das classes baixas e garantiu que se empenhará para evitar distorções no novo programa de bolsas.

A presidente disse que o crescimento econômico recente criou gargalos na área de infraestrutura e hoje profissionais de engenharia estão em falta no mercado. "Não precisamos apenas de engenheiros nas tesourarias dos bancos, mas para fazer projetos, trabalhar na infraestrutura e na área de pesquisa", disse.

O ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, avaliou que a meta é corrigir uma deficiência na formação de profissionais na área de exatas. Ele comparou o número de formandos em ciências humanas, que cresceu 66% em 2009, comparado com 2001, com o de formandos em engenharia, que cresceu apenas 1%.

Fonte: O Estado de S.Paulo

Pesquisa investiga questão: Por que aprender isso, professora?

27/07/2011

A noção de que a escola serve para preparar para o mercado de trabalho é muito presente nos alunos, mas as atividades desenvolvidas nela não correspondem a essas expectativas. Essa é uma das conclusões de Flávia da Silva Ferreira Asbahr em sua tese de doutorado Por que aprender isso, professora? Sentido pessoal e atividade de estudo na psicologia histórico-cultural, apresentada no Instituto de Psicologia (IP) da USP.

Flávia é psicóloga escolar há dez anos e conta que observava que a aprendizagem por ela mesma não era um motivo que levava os estudantes à escola. Seu estudo, cujo objetivo era investigar o sentido que as crianças atribuíam à escola e quais suas motivações para irem até lá, constatou que a ideia de um ambiente que capacita para o mercado de trabalho é muito forte.

Para a pesquisadora, as atividades realizadas pelas instituições não condizem com a visão que seus alunos têm, o que faz com que, num primeiro momento, elas percam seu sentido. Deste modo, a formação desejada acaba ocorrendo por intermédio de outros fatores. De acordo com ela, o nosso modelo escolar é muito antigo e tradicional, e ¿nem sempre a forma com que o conteúdo é trabalhado reflete as necessidades das crianças ou adolescentes. Não é que elas não se interessam, é o jeito que é passado que as deixa distante de suas realidades¿.

Para o estudo, a psicóloga passou um ano junto a uma sala da quarta série do ensino fundamental de uma escola pública municipal de São Paulo. Flávia explica que na quarta série as crianças já estão no fim de um ciclo escolar e possuem capacidade para fazer uma análise de seu ambiente de estudo.

Neste período, a pesquisadora observou o cotidiano das crianças, criou situações orientadas de aprendizagem, realizou atividades em grupo para que os alunos pudessem falar sobre o tema por meio de brincadeiras e, por fim, fez entrevistas individuais com a professora e algumas crianças.

Flávia também surpreendeu-se com a importância dos vínculos de amizade. Segundo ela, o papel dos amigos é muito forte e eles são um motivo para ir à escola, o que acaba entrando em contradição com o método utilizado: "as crianças chegam, tem de sentar separadas dos amigos, não podem conversar. Ou seja, não se incentiva esse vínculo, é tudo muito individual. Na escola, as características próprias da criança não são aproveitadas, elas não aprendem a trabalhar em grupo", acrescenta.

A psicóloga acredita que a maior contribuição de sua pesquisa foi mostrar o que as crianças têm a dizer sobre o ambiente que frequentam e o modelo educacional, mostrando a opinião delas e sua contribuição. "Há muitas políticas educacionais que olham por fora da escola, mas deveriam olhar por dentro. Ao menos teoricamente, a escola tem que servir às crianças, por isso é importante saber o que elas pensam". Além disso, ela vê em sua tese uma contribuição para os professores pensarem suas práticas, já que, sabendo o que os alunos pensam, fica mais fácil bolar atividades que correspondam às suas expectativas com a escola.

Fonte: Terra

Games educacionais com parâmetros do MEC começam a chegar às escolas

27/07/2011

A tecnologia tem o poder de simplificar conteúdos na medida em que seus instrumentos ilustram, contextualizam, ou permitem experimentação sem riscos para o usuário. Os jogos eletrônicos, chamados games, agregam todas essas qualidades, que somadas ao lúdico encantam pessoas de todas as idades. Hoje quatro em cada dez brasileiros têm o hábito de utilizar jogos eletrônicos. De olho nesse interesse, a editora de livros didáticos FTD, firmou parceria com a PUC/PR para desenvolver games educativos.

Durante quatro anos, a equipe comandada pelo coordenador da Unidade de Desenvolvimento de Jogos da PUC/PR, professor Luiz Antonio Pavão, trabalhou para encontrar a melhor forma de produzir a parte técnica dos games. Segundo ele, o maior desafio foi compor jogos educacionais que conseguissem provocar o mesmo interesse nos alunos que os de entretenimento.

Atração em 3D

A utilização da terceira dimensão foi a solução encontrada. "O grande diferencial é a qualidade gráfica. As plataformas são elaboradas em 3D, pois essa linguagem é fundamental para atrair a criança. Com o ambiente tridimensional, os alunos praticamente fazem parte do cenário". O conteúdo educativo e de entretenimento é apresentado por sete personagens do espaço. A Turma Cósmica é composta pelos professores Lógico e Sofia, os tutores do jogo, e cinco avatares, personagens que os jogadores escolhem para representá-los no universo virtual.

Essa inserção no ambiente virtual aproxima a linguagem acadêmica à realidade do aluno, que aprende de forma subliminar. "A criança de hoje é impaciente, o game potencializa o aprendizado na maneira que proporciona resposta imediata para acertos ou erros. Um dos parâmetros mais legais que se pode modificar no jogo é o tempo, as crianças têm uma paciência minúscula, por isso ficam entediadas rapidamente", diz o professor Edgard Cornachione, pesquisador na área de tecnologias instrucionais.

Conteúdo pedagógico

Uma aula tradicional expositiva, como a leitura de um texto, é suficiente para atender a necessidade pedagógica de alguns conteúdos. Mas determinados assuntos necessitam ser contextualizados a fim de proporcionar melhor entendimento, papel cumprido com excelência por esse novo advento. "O jogo reúne conteúdo educacional com o lúdico, auxiliando principalmente a exposição de assuntos das disciplinas mais estáticas, como geografia e história, que demandam maior contextualização", diz Silmara Vespasiano, diretora editorial da FTD.

O conteúdo pedagógico foi desenvolvido a partir de coleções de livros didáticos já editados pela FTD e que tiveram maior aceitação do público escolar. Os jogos seguem as diretrizes curriculares do Ministério da Educação (MEC) e foram elaborados para crianças de sete a 11 anos. Todas as disciplinas do ensino fundamental estão presentes: português, matemática, ciências, história e geografia. A maior dificuldade durante o processo de adaptação foi identificar os conteúdos que melhor se adaptam à nova forma.

Segundo especialistas, para um game atingir status de educacional, o objetivo do aprendizado tem que estar muito claro. "O que caracteriza o jogo educativo é a presença de um objetivo explícito, que demanda o desenvolvimento de habilidades para ser alcançado", diz Nilson José Machado, diretor do Departamento de Metodologia do Ensino e Educação Comparada da Faculdade de Educação da USP. Com uma visão mais abrangente, ele acredita que além de auxiliar no aprendizado acadêmico, o jogo educacional com uma finalidade clara estimula a criança a traçar metas para a vida, ensinando que o objetivo só pode ser alcançado por mérito.

Desempenho

Para auxiliar na utilização didática, os games oferecem um histórico com o desempenho de cada aluno. O professor pode avaliar e se necessário modificar individualmente o tempo que cada tarefa pode ser executada, estimulando os alunos a cumprirem os objetivos propostos. "Aumentar a intervenção do docente é uma vantagem que torna o processo mais individualizado, já que cada aluno tem seu tempo próprio de aprendizado. A possibilidade de alteração dos parâmetros ajuda tanto professor, quanto aluno", afirma Cornachione

Outro banco de dados armazena informações que quantificam o interesse de cada aluno por um jogo específico. O que serve de parâmetro para os desenvolvedores em novas produções.

Fonte: Brasil Econômico/ Priscilla Arroyo

Ensino técnico aumenta salário em até 18,8%, registra pesquisa do Itaú Social

28/07/2011

O jovem que optou pelo ensino médio aliado ao curso técnico ganha em média 12,5% a mais do que aquele que fez o ensino médio comum. A diferença é ainda maior para quem escolheu a área industrial: 18,8%. A constatação faz parte da pesquisa da Fundação Itaú Social com base na Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad).

O responsável pela unidade de ensino médio e técnico do Centro Paula Souza, em São Paulo (SP), Almério Melquíades de Araújo, observa que nas camadas mais populares o jovem começa a trabalhar cedo e está a procura de emprego com 18 anos. Durante essa busca, ele vai se deparar com um grande número de vagas que exigem apenas o ensino médio. No entanto, a remuneração será baixa. "Com uma formação técnica, é natural que ele ganhe mais e tenha mais chance no mercado de trabalho."

Fonte: Jornal da Tarde

SP: Estado registra queda nos casos de gravidez na adolescência

28/07/2011

A incidência de gravidez entre paulistas com 10 a 19 anos caiu 37% em 11 anos, apontou ontem (26) a Secretaria da Saúde de São Paulo, com base em dados da Fundação Seade.

Em 1998, foram 148.018 casos no estado; em 2009, o número caiu para 92.812. A queda é constante desde o primeiro ano do levantamento.

Segundo o relatório, houve redução de 37,8% na faixa etária de 15 a 19 anos. Em 1998, foram 143.490 adolescentes nessa faixa etária grávidas no Estado. Em 2009, esse número caiu para 89.176. Entre as de 10 a 14, a queda foi de 19,7%, com 4.528 casos em 1998 e 3.636 em 2009.

“O atendimento centrado nos aspectos emocionais e psicoafetivos dos adolescentes vem contribuindo na prevenção e tratamento de doenças”, afirmou o secretário da Saúde, Giovanni Guido Cerri.

Fonte: O Estado de S. Paulo

Acampamento Latino-Americano da Juventude começa na sexta-feira (29) em Icapuí, Ceará

28/07/2011

A praia de Tremembé, em Icapuí, município do litoral leste do Ceará, será palco de mais uma edição do Acampamento Latino-Americano da Juventude. O evento, que ocorrerá entre os dias 29 e 31 de julho, debaterá questões sobre meio ambiente, mulher, afrodescendentes e juventude. Já na 9ª edição, o Acampamento acontece a cada dois anos, desde 1997, sempre na cidade de Icapuí.

Neste ano, os participantes discutirão temas relacionados aos cinco anos da Lei Maria da Penha, ao centenário do nascimento de Maria Bonita e o Ano Internacional da Mulher, ao desenvolvimento local e sustentável, ao Ano Internacional estabelecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) para afrodescendentes e ao protagonismo juvenil e diversidade.

De acordo com o cantor e compositor Pingo de Fortaleza, presidente da Associação Cultural Solidariedade e Arte (Solar), a expectativa é a de que cerca de 1.500 pessoas acampem no local durante os três dias. O número de participantes do evento, entretanto, pode chegar a 10 mil, se forem contados aqueles que vão apenas para as apresentações musicais e atividades pontuais. "O número de pessoas que vão para os shows à noite pode ser sete vezes maior [que o de acampados]”, afirma.

Pingo destaca que a ideia do evento é ser um espaço de articulação e de encontro para a discussão de temas relacionados às juventudes. Segundo ele, os debates acontecem tanto em nível continental, envolvendo jovens da América Latina, quanto em nível local.

Para o presidente da Solar, o Acampamento Latino-Americano da Juventude conquistou a empatia da população local e nacional. Além disso, acredita que o evento chega à nona edição ‘bastante fortalecido’. "O Acampamento está fortalecido na estrutura, na articulação com as organizações e entidades de Icapuí. Ele fortalece iniciativas locais”, comenta.

Com o lema "O sol está nos olhos de quem brilha”, o Acampamento reunirá jovens de várias partes do país para participar de exposições, debates e apresentações culturais. As manhãs dos dias 29 e 30 serão dedicadas a oficinas, exposições e esportes.

Dentre as oficinas ofertadas, destacam-se: colagem criativa, tambor de crioula, roteiro para vídeo, redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pintando marinhas, fotografia em caixa de fósforos, guitarra prática, prática de baixo elétrico, desafios para a preservação da zona costeira, circo, prática percussiva, e vídeo-debate com o tema "Juventude LGBT: ativismo contra o preconceito”. As inscrições são gratuitas e vão até o preenchimento das vagas disponíveis.

Já as mesas de debate ocorrerão nas tardes de sexta-feira e sábado e na manhã do domingo. Na sexta-feira (29), as discussões girarão em torno do "esporte como direito” e da "juventude no Acampamento Latino-Americano e no Festival da Juventude de Fortaleza”. No dia seguinte, as mesas terão como temas: "O desafio no Enfrentamento das Drogas” e "Ano Internacional dos Afrodescendentes e o Movimento Negro no Ceará”. No domingo (31), os debates "Educação Ambiental e Sustentabilidade” e "Diversidade e Combate à Homofobia” acontecerão no turno da manhã.

A programação ainda contemplará sessões de cinema, teatro, lançamento de livros e conferências sobre juventude. As noites de sexta-feira e sábado e a tarde de domingo serão dedicadas a apresentações culturais com shows de bandas locais e nacionais. Destaque para: Preta Gil, Andrew Tosh, Maracatu Solar, Cidade Negra e Banda do Acampamento.

O Acampamento Latino-Americano da Juventude começou em novembro de 1997 com o lema "Yo tengo tantos hermanos”, por ocasião dos 30 anos sem Che, 100 anos sem Conselheiro e um ano sem Paulo Freire.

Mais informações: http://www.acampamentoicapui.com.br

Fonte: Adital

Jornada de juventude católica deve reunir 2 milhões na Espanha

28/07/2011

A Jornada Mundial de Juventude (JMJ), que será realizada entre os dias 16 e 21 de agosto, em Madri (Espanha), é considerada por seus organizadores o maior evento de congraçamento da juventude católica. O encontro deve reunir cerca de dois milhões de jovens de todo o mundo.

Do Equador, uma delegação de cerca de 2.500 jovens viajará a Madri. Como etapa de preparação, realizou-se no mês de maio a Jornada Nacional de Juventude com mais de 12 mil jovens participantes. De acordo com a organização do evento, a Jornada Nacional foi uma oportunidade para os que têm dificuldades econômicas vivam uma experiência de fé similar a que será compartilhada na capital espanhola.

A cidade brasileira do Rio de Janeiro também realizou uma pré-Jornada, assim como a experiência equatoriana. O evento contou com uma Missa de Envio dos jovens para a JMJ, além de atrações de comunidades católicas que participaram do evento. Do mesmo modo, aos 25 jovens do município do Crato, no estado do Ceará, foi realizada uma missa em ação de graças. O Brasil participará com uma delegação recorde de aproximadamente 14 mil jovens.

Na Colômbia, por sua vez, um concurso cultural mobilizou jovens a participarem da Jornada Mundial de Juventude. Promovido pelo Embaixador da Colômbia junto a Santa Sé, o concurso premiou os 18 melhores vídeos e artigos sobre a última encíclica do papa Bento XVI. Além dos jovens ganhadores, outros cinco mil jovens colombianos participarão do encontro em Madri.

Diante algumas dificuldades para deslocamento à Espanha, uma proposta diferente foi lançada pelos jovens do município de Barbacena, no estado brasileiro de Minas Gerais. Eles optaram por realizar, simultaneamente à JMJ, a primeira Jornada Municipal de Juventude. De acordo com os organizadores, a ideia é, mesmo a distância, poderem se unir aos jovens do mundo inteiro em oração.

Papa convoca

Iniciada em 1985, a Jornada Mundial de Juventude é realizada a cada três anos, em diferentes lugares, por convocação do Papa. O Brasil é candidato a receber o próximo evento, em 2014. Neste ano, o evento tem como tema a passagem bíblica: "Enraizados e Edificados em Cristo, firmes na fé". A programação contará com momentos de partilha de experiências, vigílias, celebrações e festivais, os quais devem culminar com a participação do Papa Bento XVI.

Em tom de despedida e agradecimento, a JMJ será encerrada com uma partida de futebol beneficente. A partida reunirá consagrados atletas espanhóis e de outros países, já aposentados dos gramados. Estarão na competição: a seleção de ex-jogadores espanhóis e a seleção de ex-jogadores de outras partes do mundo.

Para mais informações: http://www.madrid11.com

Fonte: Site da JMJ

Festival de cinema da Save de Children recebe inscrições

28/07/2011

"O que você vê” é o tema do 4º Festival Latino-Americano de Cinema Infanto-juvenil, organizado pela ONG Save the Children e com inscrições abertas até o dia 5 de agosto. Crianças e jovens de 6 a 17 anos podem participar de forma individual ou em equipes. Concorrem curtas metragens nas categorias animação, documentário e ficção de autores de todas as regiões da América Latina.

As categorias têm subcategorias correspondentes às idades dos participantes, selecionados da seguinte forma: categoria infantil para crianças de 6 a 9 anos; juvenil A, para adolescentes de 10 a 13 anos; e juvenil B para jovens de 14 a 17 anos.

Cada participante ou equipe poderá inscrever até 3 curtas, um por categoria, e deverá apresentar ficha de participação, autorização dos pais e carta de cessão dos direitos do material, disponíveis através do site www.loqueveo.org .

Serão analisados os seguintes critérios: criatividade, argumento, qualidade da imagem e produção. Segundo a convocação, "o mais importante será a temática e o conteúdo; aproximar o reconhecimento da dignidade da pessoa humana em todas as suas formas; e que promova a democracia, respeito, empatia com os demais e o mundo em que vivemos”.

Os vencedores serão conhecidos no dia 31 de agosto via telefone, e-mail ou nos sites www.savethechildrenmexico.org e  www.loqueveo.org.

O ganhador ou cada membro da equipe em cada categoria receberá uma viagem para participar da cerimônia de premiação no México, diploma e troféu.

A festa de premiação acontecerá dia 21 de setembro com a presença de diretores de cinema, patrocinadores, meios de comunicação, personalidades do meio televisivo, cinematográfico, cultural e publicitário.

Fonte: Save the Children

Acessa São Paulo oferece 225 vagas em cursos de informática

28/07/2011

O Acessa São Paulo realiza, durante todo o mês de agosto, um ciclo de oficinas do Parque da Juventude, na zona norte da capital paulista. Do total de 225 vagas disponíveis, 130 são para os cursos de montagem/manutenção de computadores e informática básica, temas mais concorridos das oficinas.

As inscrições poderão ser realizadas entre os dias 1 e 3 de agosto.

Os interessados devem se cadastrar pessoalmente no posto do Parque da Juventude, que fica na Av. Cruzeiro do Sul, 2.630, 1º andar, ao lado da estação Carandiru do Metrô, das 9 às 18 horas. É necessário apresentar o RG no ato da matrícula.

Os temas de agosto são: Informática Básica, Montagem e Manutenção de Micros, Modelagem 3D; Introdução ao Software Livre; Mangá e Ilustrações com Software Livre; Fotografia Digital com Máquinas Simples e Conversação em Inglês.

Programação

Informática básica (60 vagas)

Conhecimento do computador, navegação, estrutura da informação, digitação e pesquisa

Turmas: segundas e quartas – das 10 às 12h

terças e quintas – das 15 às 17h

sábados – das 8 às 12h

Montagem e Manutenção de Computadores (70 vagas)

Pequenos consertos possíveis de se fazer em casa

Turma: terças e quintas – das 10 às 12h

sábados – das 8 às 12 horas

Introdução ao Software Livre (15 vagas)

Como instalar, configurar e utilizar o Linux

Turma: terças – das 10 às 13h

Blender – Modelagem 3D (15 vagas)

Introdução à criação e modelagem tridimensional

Turma: quartas – das 14 às 17h

Mangá e Ilustração com Software Livre (10 vagas)

Como copiar e criar mangás com software livre

Turma: segundas e quartas – das 15 às 17h

Fotografia Digital com máquinas simples e telefones celulares (15 vagas)

Olhar diferenciado sobre a produção fotográfica com recursos simples

Turma: segundas e quartas – das 14 às 16h

Conversação em Inglês (40 vagas)

Para quem tem noções básicas do idioma

Turma: quartas – das 14 às 17h

Fonte: Aprendiz

Site “Tô no Rumo!” informa e orienta jovens sobre escolha profissional

29/07/2011

 

Entrou no ar na primeira semana de julho mais uma ferramenta de diálogo com jovens que necessitam de auxílio no processo de escolha profissional.
Mais uma ferramenta de diálogo está disponível na internet para auxiliar jovens no processo de escolha profissional. É o site “Tô no Rumo!”, criado pelo Programa Juventude da ONG paulistana Ação Educativa. Inaugurado neste mês de julho, dissemina informações, notícias e opiniões sobre ensino médio, possibilidades e oportunidades de acesso ao ensino superior e técnico, formação e inserção profissional de jovens.
Tendo estudantes e professores como público alvo, o site é um desdobramento do projeto Jovens Agentes pelo Direito à Educação (JADE), da ONG Ação Educativa, que desde 2007 tem realizado estudos e experiências voltadas para a construção de propostas que contribuam com a qualidade da educação de nível médio de escolas públicas.
Uma das ações do JADE é a promoção de oficinas, com estudantes e professores de ensino médio. A atividade foi apelidada de “Tô no Rumo: Jovens e Escolha Profissional”, por tratar dos projetos de continuidade de estudo dos jovens, da escolha profissional dos estudantes e das possibilidades de acesso ao ensino técnico e superior.
“O site é uma possibilidade de expandir essa discussão e dar subsídios para um universo maior de profissionais e de estudantes”, comenta Raquel Souza, coordenadora do projeto JADE na Ação Educativa. Segundo ela, as oficinas realizadas atualmente em escolas públicas e da periferia da Zona Leste de São Paulo demonstram a existência de uma demanda dos jovens em problematizar o mundo do trabalho e refletir sobre as possibilidades de continuidade dos estudos.
No site, estão acessíveis informações sobre vestibulares, processos seletivos, isenção de taxas, políticas públicas de trabalho e de acesso e permanência no ensino superior e técnico, além de temas que estimulam o debate sobre as políticas públicas de educação e de trabalho, e direitos da juventude.
Guia atualizado
Um guia com profissões e cursos será periodicamente atualizado dentro site, fornecendo aos jovens mais uma ferramenta de busca e solução de dúvidas. O site conta ainda com uma seção chamada “Diz aí”, direcionada para artigos e entrevistas. O objetivo é que seja um espaço tanto para a escuta de jovens, quanto para fala de professores e especialistas. As publicações do site podem ser acompanhadas via twitter (@ToNoRumo).
Dão apoio à iniciativa as organizações internacionais Kinder Not Hilfe e Norwegian Church Aid ACTAlliance, que atuam em apoio a políticas e projetos de valorização e desenvolvimento social de crianças e adolescentes.
Acesse o site: http://www.tonorumo.org.br/
Fonte: Ação Educativa

 

 

Eletrônicos em sala de aula geram polêmica em relação à escrita

29/07/2011

De atrativos auxiliares do estudo, os computadores tomam agora ares de material escolar, em substituição ao lápis, às canetas e aos cadernos. Recentemente, o estado de Indiana, nos Estados Unidos, acabou com a exigência de que as escolas ensinem escrita cursiva aos alunos. Com isso, totalizam-se 47 estados americanos que recomendam o uso da digitação em sala de aula. Contudo, o computador não substituirá integralmente a escrita manual, que poderá ser em letra de forma ou um misto das duas. Ainda assim, o crescente abandono da escrita à mão, substituída pela letra impressa na tela, dá sinais de que está cada vez mais perto o fim de cadernos, lápis e borrachas. No Brasil, a adoção ampla de notebooks como material escolar ainda está distante, mas o assunto já gera discussões entre pais, professores e alunos.

O estudante Leonardo Dias, 17 anos, não gosta de ter que escrever à mão. Para ele, o computador, além de mais rápido, tem maior praticidade e comodidade. "Sempre podemos mandar uma cópia do que escrevemos por e-mail, o que não acontece com o papel." Leonardo considera ainda sua caligrafia "feia", devido "à pressa". Ele estuda para o vestibular e tem que escrever bastante à mão. Apesar da preferência pela digitação, o estudante reconhece a importância de pegar no lápis e na caneta. "Redações e textos precisam ser escritos à mão e uma escola que tem um computador individual não permite que o aluno se concentre ou trabalhe sua escrita."

A concentração em sala de aula também divide opiniões no tocante ao uso dos computadores pelos alunos. A coordenadora pedagógica do colégio Sigma, Silvana Queiroz, chama atenção para a necessidade de o ensino acompanhar o desenvolvimento tecnológico do mundo moderno. Para a pedagoga, ainda é cedo para dizer se os computadores em sala de aula serão prejudiciais aos alunos. "É um recurso didático que atrai muito as crianças e todo educador deve estar aberto às novidades." Segundo Silvana, a tecnologia não dispersa o aluno; ao contrário, ajuda aqueles com deficit de atenção a compreender melhor os conteúdos estudados.

Para a calígrafa Fátima Montenegro, o que ocorre, porém, é o inverso. Escrever à mão, segundo ela, é extremamente importante para o desenvolvimento da criança e revela muito da personalidade. "A letra é pessoal, trabalha a coordenação motora fina, a concentração e a percepção. Tirar isso do estudante em fase de alfabetização, por exemplo, seria fazê-lo sair do pré-escolar direto para o primeiro grau. Pular etapas."

Para Fátima, o contato do aluno com lápis e papel e o desenvolvimento da escrita cursiva são essenciais. A tecnologia é eficiente como auxiliar, mas não como principal meio para a aprendizagem, avalia. "A cursiva é uma letra que segue seu curso. É diferente da letra impressa, é uma identidade. Não podemos igualar a caligrafia de todo mundo com a letra de forma ou ficarmos dependentes de um computador. No dia que der um "tilt" em tudo, como ficaremos se não soubermos mais escrever?"

Sem excesso

Opinião similar à da calígrafa tem a bancária Merity Bergamaschi. Mãe de três filhos, dois deles no ensino fundamental, ela defende o equilíbrio entre o ensino "supercomputadorizado" e o tradicional. Mesmo assim, para Merity, papel, lápis e borracha sempre continuarão sendo essenciais. "Tirar o caderno da criança é cortar o seu desenvolvimento. Hoje, tudo vem muito pronto, é só pegar na internet e imprimir. Às vezes, não é preciso nem pensar." Apesar das facilidades tecnológicas, o filho caçula, de 6 anos, adora escrever à mão. O irmão dele, de 10, é adepto do teclado do computador. Para equilibrar, a bancária acredita que o bom senso é a melhor saída. "Não podemos ignorar que um auxílio tecnológico é, com frequência, bem-vindo, afinal, é o mundo em que vivemos."

O publicitário Fred Gallo é um dos que encontram o meio-termo entre os traços manuscritos e as teclas do computador. Quando escreve à mão, acha a própria letra feia e difícil de entender, enquanto que, ao digitar, as ideias ficam mais organizadas, na opinião dele. Além disso, têm estética própria. "Gosto da noção que você tem da palavra escrita já com uma tipologia específica. Você tem total noção de tamanho, tom e personalidade do que escreveu, coisas importantes dentro da publicidade." A liberdade de ter um lápis ou uma caneta sempre à mão, contudo, faz parte do processo criativo no trabalho. "Fico com um bloco de papel e um lápis perto, pois estou o tempo todo digitando algo e desenhando simultaneamente."

Para o estudante Renato Pereira, 23 anos, a prática da escrita cursiva é extremamente importante para a concentração e as tarefas do dia a dia, mesmo que o computador seja mais rápido e prático. Ele atribui sua vitória em dois vestibulares ao curso de caligrafia que melhorou sua escrita. Antes, ele até se considerava apto para entrar na faculdade, mas a caligrafia atrapalhava na hora da prova. "Eu era bom, tinha conteúdo, mas a letra atrapalhava, não conseguia colocar as ideias no papel daquele jeito."

Teorias mais radicais sugerem o fim de cadernos e anotações à mão em classe, mas a verdade é que a preferência varia muito entre os alunos. Portanto, é difícil prever se os computadores vão substituir o papel nas escolas. Para a pedagoga Silvana Queiroz, seja na tela e no teclado ou nas linhas de papel pautado, o importante é que a grafia esteja correta, sem erros de português. "Não importa tanto onde ele vai escrever, desde que escreva bem."

Fonte: Correio Braziliense

Bom desempenho no Enem pode garantir certificado de conclusão do ensino médio

29/07/2011

Estudantes com bom desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) poderão requerer certificado de conclusão desse nível ou declaração de proficiência em áreas do conhecimento que possam ser aproveitadas em cursos supletivos.

Os interessados devem ser maiores de 18 anos no dia da realização da primeira prova do exame, ter atingido o mínimo de 400 pontos em cada uma das áreas do conhecimento e ter obtido ao menos 500 pontos na redação.

Às secretarias estaduais de educação e aos institutos federais de educação, ciência e tecnologia credenciados cabe estabelecer os trâmites necessários para o requerimento do certificado. As notas obtidas no Enem 2009, ano em que o exame passou a certificar, e no Enem 2010 podem ser utilizadas.

Os candidatos também podem solicitar declaração de proficiência nas áreas do conhecimento que obtiveram a nota mínima para certificação. As declarações permitem que essas notas sejam utilizadas em cursos que requerem proficiência, como os supletivos.

Fonte: MEC/ O Imparcial – MA

Cresce número de alunos “atrasados” no ensino fundamental

29/07/2011

O percentual de alunos do ensino fundamental que não está na série adequada para a sua idade voltou a crescer nos últimos dois anos.

Dados do Ministério da Educação mostram que, no ano passado, o percentual chegou a 23,6%, ou cerca de 7 milhões de alunos. Em 2008, estava em 22,1%.

Uma criança deve ingressar no 1º ano do ensino fundamental aos seis anos de idade e concluir a etapa aos 14. Segundo o MEC, a defasagem ocorre quando o aluno está com três anos a mais do que o ideal para a série.

Entre as razões que levam ao atraso estão a entrada na escola após a idade correta, a reprovação e o abandono.

Para Jaqueline Moll, da Secretaria de Educação Básica do MEC, é preciso modificar metodologias de ensino e fazer recuperação paralela para que a repetência seja a última alternativa.

A presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação, Cleuza Repulho, afirma que a alta é significativa. "Em um país grande como o Brasil, um aumento de 1% já é preocupante."

Já Maria Helena Guimarães de Castro, ex-secretária de Educação de SP, diz que a leve alta pode ser interpretada como estagnação. "Isso pode refletir uma acomodação de municípios e Estados no combate à defasagem."

Entre os Estados, a pior situação é a do Pará, onde quase 40% dos alunos estão atrasados. Segundo a Secretaria de Educação, isso ocorre devido a trabalho infantil, gravidez precoce e problemas com drogas. A secretaria diz que tem programas de aceleração para melhorar a situação.

Fonte: Folha de S. Paulo

Exposição gera atividades educativas no Instituto Tomie Ohtake

01/08/2011

 

A Fundação Telefônica e o Instituto Tomie Ohtake promoverão, a partir de agosto, uma série de atividades educativas para a exposição “Coleção de Fotografia Contemporânea da Telefônica”, que estará em cartaz no espaço do Instituto até 18 de setembro. Estão previstas ações para professores e estudantes, além de educadores e crianças atendidas por organizações não-governamentais, que incluem visitas orientadas, cursos e encontros.
Entre 8 de agosto e 26 de setembro, será montada uma turma para o Curso de Fotografia Contemporânea, destinado a professores e educadores, com o objetivo de aproximá-los da linguagem da fotografia, tanto em seus aspectos práticos quanto técnicos, para utilização na escola. O curso acontecerá às segundas-feiras, das 19h às 22h, e será ministrado pelos fotógrafos Ricardo Miyada e Cristina Sá, que também são cineasta e pedagoga, respectivamente.
Está prevista, ainda, a promoção de um encontro com professores no dia 19 de agosto, com o objetivo de fornecer formação em arte. Eles participarão de uma visita orientada e de uma atividade em ateliê, durante a qual são discutidas formas para abordagem, em sala de aula, dos temas tratados.
Para os estudantes, serão organizadas visitas orientadas à exposição, que é inédita no país e é composta de obras da coleção da Telefônica, em Madri. Além disso, os grupos de alunos poderão participar de ateliês educativos, com atividades práticas, desenvolvidas pela equipe de educadores do Instituto Tomie Ohtake.
Para dar suporte às ações educativas da mostra, foi elaborado um hotsite (www.fotoscontemporaneas.org.br), com o objetivo de levar o internauta a explorar, de forma lúdica e didática, os princípios da fotografia.
Fonte: Instituto Tomie Ohtake/Aprendiz

 

5º Prêmio Professor Brasil valoriza excelência pedagógica na escola pública recebe inscrições

01/08/2011

 

Estão abertas até 15 de setembro as inscrições para o 5º Prêmio Professor Brasil, concurso de experiências pedagógicas desenvolvidas por professores de escolas públicas. Serão premiados 40 educadores de todas as etapas de ensino com R$ 5 mil.
Iniciativa do Ministério da Educação (MEC), a ação é realizada com a parceria da Fundação SM, Intel, Instituto Votorantim e Abrelivros (Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares), além do apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI).
O Prêmio Professores do Brasil, instituído em 2005, tem como objetivo reconhecer experiências pedagógicas bem-sucedidas, criativas e inovadoras em todas as etapas da educação básica da rede pública, isto é, da educação infantil ao ensino médio.
As inscrições devem ser feitas pelo site www.premioprofessoresdobrasil.mec.gov.br. Todos os trabalhos inscritos serão recebidos pelo Instituto Federal de Pelotas, responsável pela análise dos documentos, conforme o regulamento do Prêmio. Já a avaliação dos trabalhos será feita por uma comissão de educadores e especialistas convidados pelo Ministério da Educação.
Para o Instituto Votorantim, valorizar “o papel do educador é fundamental para o futuro dos jovens brasileiros”, afirma Rafael Gioielli, gerente de pesquisa e desenvolvimento do Instituto Votorantim. “Por meio dos projetos, seus diferenciais e resultados, vemos que é possível oferecer um ensino de qualidade para que o jovem construa seu projeto de vida, trazendo benefícios para si, e para sua ação como agente de transformação social”, completa.
Fonte: Globo.com

 

Prêmio dedicado a jovens mulheres cientistas seleciona 7 brasileiras

01/08/2011

 

Sete pesquisadoras brasileiras vão receber da Unesco bolsa-auxílio no valor de 20 mil dólares (R$31mil) para o desenvolvimento de seus projetos de pesquisa. Elas foram selecionadas entre mais de 400 jovens cientistas brasileiras para o For Women in Science, prêmio lançado em 1998 e o primeiro no mundo dedicado a mulheres cientistas de todos os continentes.
O intuito do prêmio é promover projetos que ajudam a mudar o mundo e que tenham mulheres na linha de frente nas áreas de física, química, matemática, biologia, e ciências biomédicas e da saúde.
As vencedoras deste ano da edição nacional do prêmio são: Ana Luiza Cardoso Pereira (SP), Daniella Bonaventura (MG), Josimari Melo de Santana (SE), Mariana Antunes Vieira (RS), Rubiana Mara Mainardes (PR), Tatiana Barrichello (SC) e Viviane Ribeiro Tomaz da Silva (MG). A cerimônia de entrega dos prêmios será em 28 de setembro, no Rio de Janeiro.
Fonte: Globo. com

 

Programa mobiliza universitários contra o analfabetismo

01/08/2011

 

Alunos dos cursos de licenciatura da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) terão de dar aulas a turmas de alfabetização em escolas públicas do estado a partir de 2012. O programa obrigatório é uma parceria da instituição de ensino superior com o governo estadual e pretende diminuir o índice de analfabetismo na Paraíba, que é de 20% entre pessoas de 10 anos ou mais, segundo o IBGE. O País tem 14, 6 milhões de analfabetos (taxa de 9%), segundo o Censo.
A atuação dos universitários nas escolas fará parte de uma das disciplinas das licenciaturas a partir do quarto semestre, de acordo com o pró-reitor de planejamento, Antonio Rangel Júnior. A UEPB tem cerca de oito mil alunos em 24 cursos de licenciatura. Além deles, estudantes de bacharelados também poderão participar do programa se quiserem, segundo Rangel Júnior. A universidade tem 18 mil alunos no total.
O estado tem hoje 80 mil alunos matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA) de escolas estaduais. No EJA, jovens e adultos podem fazer o ensino fundamental e médio em ciclos. Além disso, tem cerca de 40 mil pessoas em programas de alfabetização, segundo o secretário da Educação da Paraíba, Afonso Celso Caldeira Scocuglia. “Esperamos alfabetizar outras cem mil pessoas a cada ano com o programa”, disse Scocuglia. De acordo com o secretário, cada estudante deverá receber bolsa de R$ 300 a R$ 400.
Questionado sobre se haverá demanda de adultos interessados em participar das aulas de alfabetização, Scocuglia disse que haverá uma campanha de mobilização pela mídia. "Vamos mostrar que se estudarem, irão melhorar no trabalho, no negócio, no mundo da produção", disse o secretário.
Fonte: G1

 

 

Congresso trabalha pela melhoria do ensino da biologia na escola pública

01/08/2011

Os geneticistas querem, no seu 57º Congresso, de 30 de agosto a 2 de setembro, em Águas de Lindoia (SP), trabalhar pela popularização da ciência e pela melhoria da qualidade do ensino de biologia.

Professores e coordenadores de oficinas pedagógicas do ensino médio da rede pública de São Paulo vão participar do evento, em que serão apresentados 1,2 mil trabalhos científicos. Entre 180 pesquisadores brasileiros e do exterior participantes do encontro está o microbiologista Daniel Nathans, Prêmio Nobel com o pioneirismo na manipulação de DNA.

Genética na Praça

A programação do evento inclui uma série de atividades com jogos, peças de teatro e materiais criados para facilitar a compreensão do conteúdo da disciplina, iniciativa chamada de Genética na Praça.

"Há alguns anos, temos a preocupação de tornar a genética mais próxima da sociedade", diz Eliana Dessen, professora e pesquisadora da SBG.

A entidade ainda mantém, com o objetivo de popularizar a ciência, a revista eletrônica Genética na Escola e o portal na internet Saiba Mais Sobre Biotecnologia, destinados a professores do ensino médio e a outras pessoas interessadas no tema.

Na avaliação de Eliana, o ensino de biologia no Brasil é muito fragmentado, o que torna a disciplina menos interessante para os estudantes. Para ela, os alunos, na maioria das vezes, não compreendem o fenômeno que estão observando e não entendem a razão da tarefa passada pelo professor.

"O aluno vai se motivar à medida que vir uma aplicação daquilo que está aprendendo na vida dele", lembra a pesquisadora, ao destacar a necessidade de melhorar a formação dos professores. "Os indivíduos formados atualmente, de uma maneira geral, têm uma formação pior do que há 30 anos. Naquela época, havia um pequeno número de professores, mas muito bem formados. Hoje, há um maior número, mas mal formados", opina.

Segundo a pesquisadora, exigir que o professor aplique metodologias pedagógicas inovadoras em sala de aula pressupõe que ele tenha um conhecimento muito bom da disciplina, assim como um bom domínio da pedagogia. "Os professores estão muito inseguros em aplicar essas metodologias, mesmo que eles tenham ouvido falar", lamenta.

A pesquisadora da SBG lembra que a genética está no cotidiano das pessoas, como nas decisões judiciais sobre testes de paternidade, na compra de alimentos transgênicos e no uso das células-tronco pela medicina. Eliana Dessen sugere que os professores explorem em sala de aula a chamada biologia forense, utilizada para descobrir pessoas desaparecidas, encontrar suspeitos de um crime, saber por onde uma pessoa passou e até calcular há quanto tempo uma pessoa morreu, como forma de estimular os alunos.

Áreas correlatas como biologia, ciências biomédicas, ciências da saúde, biotecnologia, biodiversidade e bioprospecção estão entre os campos de pesquisa que receberão incentivo do programa Ciência sem Fronteiras do governo federal. Boa parte das bolsas que serão ofertadas em quatro anos será destinada a alunos que tenham nota acima de 600 no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Fonte: Agência Brasil

Brasil assina cooperação com agência da ONU na área de juventude

02/08/2011

Representado pela Secretaria Nacional de Juventude, vinculada à Secretaria-Geral da Presidência da República, o Brasil assinou um Termo de Cooperação Sul Sul na área de Juventude com o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). A assinatura ocorreu em evento em Nova Iorque, nos dias 25 e 26 de julho.

Com o tema “Juventude: Diálogo e Compreensão Mútua”, o evento contou com a participação de representantes de governos e da sociedade civil de diversos países. A secretária nacional de Juventude, Severine Macedo, e o presidente do Conselho Nacional de Juventude, Gabriel Medina, representaram o Brasil, ao lado da embaixadora Maria Muiza Viotti, representante permanente do País junto às Nações Unidas.

Fonte: Conjuve

Violência afetou 62% das escolas em 2010

02/08/2011

Cerca de 62% das escolas estaduais de São Paulo registraram, em 2010, situações diversas de violência dentro do ambiente escolar.

São roubos, depredações, pichações, violência contra alunos, professores e funcionários e brigas entre estudantes.

A meta do governo é reduzir esse índice para 52% até 2015. O cenário atual e a meta a ser atingida constam no novo Plano Plurianual (PPA) para o período 2012-2015.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) deve enviar o projeto à Assembleia Legislativa ainda neste mês. Para amenizar as situações de violência, o PPA prevê um orçamento total de R$ 573.578.940 para os próximos quatro anos.

Fonte: Estado de S. Paulo

Manaus realiza 2ª Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude

02/08/2011

Com o objetivo de consolidar políticas públicas de apoio aos jovens e aproximar o poder público dos representantes juvenis, a Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Juventude (Semje), irá realizar a 2ª Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude no período de 22 a 23 de agosto, no auditório da Assembléia Legislativa do Estado.

A Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude é espaço voltado à participação da sociedade civil, especialmente dos jovens, no processo de afirmação, promoção e consolidação das políticas públicas, reunindo movimentos e organizações juvenis, suas redes e fóruns, entidades de apoio e conselhos de juventude.

O evento pautará seus trabalhos nos seguintes eixos temáticos: Articulação e Integração das Políticas Públicas da Secretaria Municipal da Juventude; Desenvolvimento Integral da Juventude Manauara nos Campos da Educação, Tecnologia e Qualidade de Vida (que inclui trabalho, renda, esporte e lazer) e Fortalecimento do Controle Social .

Na etapa municipal da conferência serão eleitos os membros da sociedade civil e poder público para a conferência Estadual.

As inscrições para a participação da conferência estão abertas até 18 de agosto pela internet, no portal da juventude, no endereço: juventude.manaus.am.gov.br.

Mais informações com o coordenador do evento, Daniel Dias, pelo telefone: 8855-1141.

Fonte: acritica.uol.com.br

Instituto Unibanco oferece bolsas para pesquisas sobre juventude, educação pública e ensino médio

02/08/2011

O Instituto Unibanco abriu ontem inscrições para o Programa de Bolsas de Pesquisa 2011/2012. A seleção será feita até 20/09/2011. O objetivo do programa é contribuir para a produção de conhecimentos relativos à educação pública, à juventude e ao ensino médio no Brasil. Os temas estão relacionados a dois projetos da organização: o “Entre Jovens” e o “Jovem de Futuro”.

Para se inscrever é necessário estar formalmente associado a uma instituição de ensino superior reconhecida pelo MEC como pesquisador, professor ou professor assistente e ter título de mestre ou doutor em alguma área que se relacione com um dos temas pesquisados.

Os candidatos deverão escolher dois alunos de graduação para os auxiliarem na realização da pesquisa. Os inscritos devem submeter seus projetos conforme as orientações do edital, que estará disponível no site do Instituto Unibanco. As vagas estão disponíveis para residentes de qualquer município do país.

O programa oferecerá apoio financeiro mensal de R$ 2.000 para o perfil de pesquisador e de R$ 600 para cada auxiliar de pesquisa durante doze meses, podendo ser prorrogado por mais doze.

Áreas Temáticas:

1.      Os fatores da gestão escolar que influenciam a melhoria do clima  em escolas públicas participantes do Projeto Jovem de Futuro.

2.      O efeito da Supervisão Técnica no alcance de Resultados do Jovem de Futuro.

3.      Estratégias de Gestão e seu impacto na melhoria do rendimento dos alunos no Projeto Jovem de Futuro.

4.      Práticas pedagógicas adotadas pelas escolas do Projeto Jovem de Futuro que levam os alunos a obterem melhores resultados escolares e o perfil dos professores com alunos de melhor desempenho.

5.      Projeto Entre Jovens: perfil e trajetória dos alunos participantes.

Fonte: Assessoria

GIFE realiza debate sobre como qualificar o investimento cultural

02/08/2011

O GIFE promoverá no dia 04 de agosto, em São Paulo, um debate aberto sobre como qualificar o investimento em cultura, área de atuação que tem um estudo especial no Censo GIFE, mapeamento bienal que o Grupo faz sobre o investimento social de seus associados.

Com o apoio de especialistas como Eduardo Saron (Instituto Itaú Cultural), Evelyn Ioschpe (Fundação Iochpe) e o curador e crítico de arte Paulo Sérgio Duarte, será possível entender porque muitas organizações fazem da arte e cultura não um investimento fim, mas instrumento para sua atuação em outras áreas.

O diálogo tem como base o Dossiê de Cultura realizado pelo GIFE. Nele, é possível notar que, apesar de ser a segunda principal área de atuação, apenas 4 associados (de um total de 102 pesquisados), se dedicam prioritariamente à Cultura.

Entre as organizações respondentes, 36 delas afirmaram que Cultura é apenas um de seus focos de atuação, enquanto 35 disseram que possuem ações esporádicas ou circunstanciais. Se o Censo apresenta reflexos na maneira pela qual os investimentos são realizados, os dados mostram que a área ainda é, para a maioria, um meio e não um fim.

Pelo Censo, há um número significativo de fundações e associações (27) que investem em atividades de arte-educação, o que se mostra consistente com o percentual de investidores que trabalham com educação. “Parte desses associados trabalham a dimensão da cultura e arte como parte do investimento mais amplo em educação”, analisa Degenszajn.

Questionadas sobre o uso de incentivos fiscais – e descontadas as organizações que atuam em cultura de forma esporádica - 66% delas afirmam usá-los, sendo que o principal mecanismo utilizado é a Lei Rouanet (52%). Segundo o Censo, caso os incentivos fiscais fossem revogados, apenas 5% responderam que deixariam de investir na área; 32% afirmaram que o volume de investimentos permaneceria inalterado e 41% disseram que o volume diminuiria.

Censo

O debate realizado pelo GIFE marcará o lançamento do Censo GIFE Online, primeiro banco de dados online sobre o investimento social realizado pela iniciativa privada no Brasil. Baseado no Censo GIFE, o objetivo da plataforma é que nos próximos anos extrapole os limites da Rede e reúna também informações de todo o campo do investimento social privado brasileiro.

Além do incentivo à pesquisa, a iniciativa aponta para uma democratização dos dados coletados sobre o setor. “Até então, o Censo GIFE levantava uma série de informações sobre ISP e nós selecionávamos algumas para análise e publicação. Agora, esses dados estarão disponíveis a todos, que poderão viabilizar os cruzamentos que desejarem”, explica o gerente de Programas do GIFE, Andre Degenszajn.

Realizado pelo GIFE e Itaú Cultural, com parceira técnica do IBOPE Inteligência/Instituto Paulo Montenegro, o Censo GIFE estima que sua rede de associados investe no país cerca de R$ 2 bilhões (2010), apontando um crescimento em relação a 2008 – R$ 1,3 bilhão.

Com o patrocínio de Oi Futuro, Petrobrás, Fundação Vale, Instituto Camargo Corrêa e Fundação Bradesco, o levantamento também mostra que a Rede GIFE beneficiou cerca de 24 milhões de brasileiros (2010).

As áreas de Educação (82%), Juventude (60%) e Cultura (60%) seguem concentrando o maior número de investidores (estes dados não são por valor investido, mas por investidor ou beneficiados); e a de Meio Ambiente foi a que mais cresceu nos últimos cinco anos.

Contexto

Apesar de representar apenas uma parcela do investimento social brasileiro, a Rede GIFE, por reunir as maiores organizações, é considerada referência nacional na realização planejada de investimentos no campo social e seu desenvolvimento é indicativo das tendências do setor.

Segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), as empresas brasileiras investem anualmente no Brasil, aproximadamente, R$ 6 bilhões em ações sociais, “O Censo GIFE traz nitidez para a fotografia do investimento social privado, que ainda possui poucos dados sistematizados sobre suas práticas”, afirma a socióloga e diretora do Ipea, Anna Maria Peliano.

Transmissão simultânea

O evento contará com transmissão simultânea via web. Para assistir, acesse o link http://webcasts.corporatv.com/gife/index.do?id=d5a0d9b9-7296-4d74-852e-bd4f371a6303, no dia e horário do evento, e digite "gife" no campo da senha.

Para a transmissão online não é necessário inscrição prévia.

Serviço

Lançamento Censo GIFE Online

Quando: dia 4 de agosto, das 9h30 às 12h

Onde: Instituto Itaú Social – Auditório Azul

Endereço: Av. Paulista, 149, São Paulo.

(ao lado do metrô Brigadeiro)

Inscrições: clique aqui

Mais informações: [email protected]

Fonte: Gife

Ações intensificam combate a drogas entre adolescentes com cartilha e assistência à dependência

03/08/2011

Em São Paulo, o governo anunciou ontem a criação de mais leitos para dependentes nos Centros de Atenção Social (Caps). No Rio de Janeiro, o projeto Prisioneiro das Drogas, desenvolvido pelas Faculdades Integradas Hélio Alonso (FACHA), com apoio do Tribunal de Justiça e do governo, lança a cartilha  "Tudo que você pensa que sabe sobre drogas”, para ser distribuída estudantes.

A ação paulista prevê, em um ano, somar 200 leitos aos atuais 200 que atendem alcoólatras nos Caps. A medida, segundo o governo, é uma iniciativa paralela ao programa governamental de combate ao álcool na infância e adolescência, que envolve punir com multa e interdição os bares que venderem e permitirem o consumo de bebidas alcoólicas a jovens menores de 18 anos.

O promotor da Vara da Infância em São Paulo, Thales de Oliveira, considera o programa positivo, mas vê com ceticismo os resultados. Para ele, o problema da bebida é cultural. “A lei antifumo só ‘pegou’ porque há décadas há campanhas desestimulando o uso e proibindo propaganda. Astros de futebol fazem publicidade de bebida”, afirmou.

Educação e informação

No Rio de Janeiro, o projeto Prisioneiro das Drogas, iniciado em 2010, tem como objetivo fomentar uma reflexão sobre a dependência de drogas, promovendo o auxílio à reintegração social de jovens dependentes químicos e a conscientização da sociedade fluminense.

A cartilha a ser lançada pelo projeto, com tiragem de 200 mil exemplares, será distribuída em todas as escolas estaduais do Rio de Janeiro. "Procuramos atingir um público que tem sido prioritário nas investidas de traficantes. Em um contexto de desestruturação da família, ausência do poder público e exclusão, eles se tornam alvo privilegiado”, analisa Oswaldo Munteal, professor e coordenador do projeto.

A cartilha foi elaborada por pesquisadores e estagiários, que atuam voluntariamente no projeto "Prisioneiros das Drogas”. Com ilustrações e linguagem adaptada aos adolescentes, o documento procura esclarecer os jovens sobre o tema, que "ainda gera bastante confusão”, tanto "que a sociedade está refém das drogas”, explica o professor, justificando, assim, o nome do projeto.

A iniciativa surgiu nas Faculdades Integradas Hélio Alonso em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio (Faperj). Agora em sua terceira fase e com os novos parceiros do poder judiciário e executivo, investe no desenvolvimento de ações em municípios-pólo de todas as regiões do estado.

A partir da ferramenta da cartilha, serão realizadas atividades educacionais presenciais e à distância para discussão da questão da saúde ligada à recuperação.

A educação e, portanto, a informação são apontadas por Oswaldo Munteal como um dos focos principais para o trabalho de enfrentamento ao consumo de drogas, em especial entre a juventude. O outro setor fundamental, citado pelo coordenador, é a saúde pública. "O rico pode ter acesso à recuperação, mas e o pobre?”, questiona.

Políticas articuladas

Oswaldo ressalta a importância de uma política de segurança pública voltada também para a saúde. "Segurança pública está relacionada a uma situação de tranquilidade para a população. Não é só colocar policial em cada esquina”, avalia. Ele aponta que os dependentes químicos devem ter o direito de retornar à sociedade com a saúde recuperada.

As primeiras ações do projeto Prisioneiro das Drogas (http://www.prisioneirosdasdrogas.org)

envolveram a realização de um seminário nacional sobre o tema, assim como o desenvolvimento do site que dá suporte ao trabalho. Também foi realizada uma pesquisa nos presídios do estado, na qual foram ouvidos 500 presos. O estudo revelou, por exemplo, que 85 a 90% dos jovens presos passaram por problemas com drogas. Além de apontar o problema social presente na população carcerária: 81% dos presos possuem somente ensino fundamental, em uma maioria de negros e pobres.

As etapas seguintes do Prisioneiros das Drogas prevê o lançamento de um documentário, no mês de outubro, e de um livro acadêmico, em dezembro. O documentário irá esclarecer sobre os malefícios do consumo de drogas. O livro falará sobre a necessidade de uma abordagem integrada, entre segurança pública, saúde e direitos humanos, no enfrentamento às drogas.

Fonte: Folha de S. Paulo/ Adital

 

Pesquisador aponta ausência de temas, como gênero e sexualidade, no Plano Nacional de Educação

03/08/2011

"O Plano Nacional de Educação deixou de lado questões importantes, dentre elas a de gênero e sexualidade”. Isso é o que afirma Marcelo Daniliauskas, doutorando da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo (USP), sobre o Projeto de Lei que estabelece o Plano Nacional de Educação para os próximos dez anos (PNE 2011-2020).

Na visão dele, o Plano não contemplou todos os pontos das resoluções da Conferência Nacional de Educação (Conae). "Houve uma distância entre as resoluções da Conae e as propostas apresentadas”, considera, lembrando que, como a Conferência é um espaço de caráter democrático, suas resoluções também deveriam ser acatadas e colocadas no Plano de forma democrática.

"A sexualidade não tem nenhuma menção no Plano, apesar de ter sido aprovada na resolução da Conae com seção específica. A Conae possui caráter democrático, mas, na hora de transformar [as resoluções] em Plano, acaba gerando frustração porque [as resoluções] não foram devidamente acolhidas”, comenta.

O pesquisador da área de educação, políticas públicas e diversidade sexual espera que alguns pontos relacionados à sexualidade sejam abordados no Plano através de emendas. De acordo com ele, alguns deputados já apresentaram emendas ao projeto de lei para inserir questões referentes ao assunto, mas ainda precisam ser votadas. O Observatório da Educação dá conta de pelo menos 11 emendas que abordam gênero e sexualidade propostas por organizações sociais e parlamentares.

Um dos pontos centrais do Plano, a universalização do número de vagas no ensino é vista como um avanço por Daniliauskas. Nesse aspecto, ele acredita que, com a universalização, se passará a prestar mais atenção na exclusão.

Isso porque, na opinião dele, a universalização das vagas mostra "outros processos que influenciam no acesso e na continuação” dos estudos, como a questão de classe e de gênero e o racismo, por exemplo. "Já acompanhei casos de pessoas rejeitadas nas escolas porque suspeitavam da orientação sexual [diferente da heterossexual]”, relata, lembrando ainda casos de bullying, e agressões físicas e psicológicas por partes de alunos/as, professores/as e coordenadores/as.

Problema que, segundo Daniliauskas, não é enfrentado apenas por parte do corpo discente. Professores/as e funcionários/as LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) também são alvos de discriminação tanto por parte dos/as colegas de trabalho quanto por parte de alunos/as. "Essa questão também afeta professores/as LGBT, que sofrem discriminação, piadinhas, desqualificação. A pessoa, por causa da sua orientação sexual, tem sua opinião desvalorizada, desqualificada”, observa.

Para ele, é importante trabalhar nas escolas temas que circulam na sociedade, como discriminação sexual e de classe, racismo, entre outros. Ele lembra ainda que a escola também deve focar a "cidadania e o pleno desenvolvimento da pessoa humana” e, por isso, precisa debater e discutir temas relacionados com isso, como, por exemplo, como lidar com a diferença.

"Por que não discutir a diversidade sexual nas escolas? O debate precisa estar nas escolas, não só a sexualidade, mas também a questão do racismo, da discriminação de classe... assuntos que circulam em setores da sociedade. A escola tem que qualificar o debate e não se ausentar”, destaca.

Fonte: Adital

Meio ambiente nas escolas é categoria concorrente no Prêmio Ford de Conservação Ambiental

03/08/2011

O 16º Prêmio Ford de Conservação Ambiental vai distribuir R$100 mil aos melhores trabalhos de proteção da natureza e da biodiversidade realizados no Brasil, em seis categorias. A inscrição é gratuita e aberta a pessoas físicas, empresas, escolas, organizações não-governamentais e outras entidades.

Os organizadores anunciaram a composição do júri do concurso, que contará com Ana Rita Pereira Alves, diretora da Sociedade Civil Mamirauá, de Belém (PA), Adalberto Marcondes, diretor do Site Envolverde, de São Paulo (SP), Célio Costa Pinto, superintendente do IBAMA na Bahia, e Eric Stoner, especialista em meio ambiente e ex-diretor da USAID, de Brasília (DF), que já participaram de edições anteriores. Nesta edição são novos componentes Shelley Carneiro, gerente de Meio Ambiente da CNI, de Brasília (DF), Ricardo Braun, cientista e PhD em consultoria ambiental, e Kaká Werá Jecupé, escritor e ambientalista de origem tapuia, fundador da Instituto Arapoty, professor da Universidade da Paz (Unipaz) e conselheiro da Bovespa Social & Ambiental.

A novidade da atual edição do Prêmio Ford de Conservação Ambiental é o desmembramento da categoria Distribuidor em duas subcategorias: Automóveis e Caminhões. As demais são: Conquista Individual, Negócios em Conservação, Ciência e Formação de Recursos Humanos, Meio Ambiente nas Escolas e Fornecedor.

O prêmio existe em várias partes do mundo e é promovido no Brasil desde 1996. "Seu objetivo é incentivar o desenvolvimento de iniciativas inovadoras e exemplares e divulgar o trabalho de personalidades e entidades que se dedicam a promover a consciência ambiental e o uso sustentável dos recursos naturais do país", completa Edmir Mesz, engenheiro ambiental responsável pelos programas de sustentabilidade da Ford no Brasil. "Estamos ansiosos para conhecer e premiar os vencedores, que serão anunciados no final do ano."

Mais informações no site www.premiofordambiental.com.br .

Fonte: Assessoria

I Seminário Nacional de Jovens Feministas

03/08/2011

As Jovens Feministas de São Paulo, em parceria com a Associação Zulu Nation Brasil e a Associação Hip Hop Mulher, com o apoio institucional da ONU Mulheres, realizará na cidade de São Paulo, entre os dias 01 a 03 de setembro de 2011, o I Seminário Nacional de Jovens Feministas, que reunirá 30 lideranças políticas jovens de mais de 15 Estados, nas macrorregiões do Brasil.

O objetivo do evento é promover a formação e o fortalecimento das mulheres jovens, por meio de um intercâmbio de experiências entre os grupos, coletivos, organizações e ativistas jovens feministas das mais distintas realidades, intensificando canais de participação e discussão de temas de interesse. As jovens também têm em vista preparar-se para as Conferências de Mulheres (III CNPM) e de Juventude (II CNJ).

Para participar, é preciso preencher uma ficha de inscrição até o próximo 5 de agosto. As 30 jovens selecionadas entre as inscritas terão as despesas com transporte (passagens de avião, ônibus e/ou translado), hospedagem e alimentação totalmente pagas, garantindo sua permanência durante todos os dias da atividade.

Os nomes das selecionadas serão divulgados no dia 12 de agosto no site www.jovensfeministasdesp.blogspot.com.

Fonte: Assessoria

5ª Feira de Profissões na Universidade de São Paulo

03/08/2011

Começa amanhã (4) às 8h30 e vai até o próximo sábado (6) a 5° Feira de Profissões da USP, promovida pela Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária. O evento será no complexo poliesportivo CEPEUSP. É uma oportunidade para estudantes de ensino médio e de cursinhos preparatórios para vestibular esclarecerem dúvidas sobre os cursos oferecidos pela Universidade de São Paulo.

A 5ª edição do evento receberá cerca de 70 expositores de todas as unidades de ensino dos seis campi da Universidade – São Paulo, Bauru, Lorena, Piracicaba, Ribeirão Preto e São Carlos e Órgãos de Cultura.

Cerca de 500 pessoas entre docentes, alunos e funcionários serão mobilizados para atendimento público, distribuindo material informativo, realizando experimentos científicos e apresentando ferramentas que ilustram o cotidiano das principais áreas de formação que a USP oferece, tais como: disciplinas, grades de estudo, duração, estágios e mercado de trabalho. O público estimado de visitantes é de 40 mil pessoas.

Haverá atividades proporcionadas por todas as Unidades de Ensino e Órgãos de Cultura e Extensão. A Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) apresentará um mapa em braile; Estruturas biológicas, fatores temporais, genéticos e arquitetônicos da construção dos organismos serão explorados pelo Museu de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas; No estande da Escola Politécnica da USP será apresentada uma série de protótipos de carros de corrida desenvolvidos por seus alunos; O HU, Hospital Universitário, exibirá a Caixa de Luz Negra, um equipamento capaz de verificar se a lavagem das mãos eliminou ou não as bactérias; A Estação Ciência montará um planetário móvel no seu estande. Na área de Comunicação, haverá demonstração das mídias universitárias do CCS (Centro de Comunicação Social): Rádio, TV e Jornal. Parcerias firmadas com a Marinha, o Centro Paula Souza e o CIEE – Centro de Integração Empresa – possibilitarão a participação delas pela primeira vez no evento.

Os jovens que visitarem a 5° Feira de Profissões poderão contar também com esclarecimentos sobre o Vestibular 2011 da FUVEST, além de orientações sobre como concorrer a isenção do pagamento da taxa de inscrição. Mais informações pelo site www.fuvest.br.

Feira de Profissões é uma das atividades do programa USP e as Profissões, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo que tem como objetivo fornecer subsídios aos estudantes para que, com a ajuda de seus familiares e professores, orientem-se na importante tarefa de optar por uma carreira profissional.

O programa compreende três ações: o catálogo USP e as Profissões (atualizado anualmente nas versões impressa e online); Feira de Profissões e Visitas Monitoradas às escolas, faculdades, institutos, museus e órgãos da USP.

A Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária tem atuação abrangente no âmbito da Universidade. Sob coordenação da Professora Maria Arminda do Nascimento Arruda, o PRCEU se propõe a complementar as ações de ensino e pesquisa desenvolvidas na Universidade, atuando como um canal aberto de interlocução com a sociedade, por meio de atividades específicas e independentes que estimulam o universitário a ampliar suas visões e opiniões durante o processo de formação.

SERVIÇO

Feira: 5ª Feira de Profissões da USP

Local: CEPEUSP

Endereço: Praça 2, Prof. Rubião Meira, 61 – Cidade Universitária

Data: 04, 05 e 06 de agosto de 2011

Horário: das 9hs às 17hs

Inscrições: As inscrições para participar da 5° Feira de Profissões são gratuitas e permanecerão abertas até dia 6 de agosto. Para informações adicionais, o telefone é (11) 3091-3511 ou por email, [email protected]

Fonte: Assessoria

Programa Jovens Embaixadores recebe inscrições até domingo

04/08/2011

O programa Jovens Embaixadores, que leva 35 estudantes brasileiros da rede pública para um intercâmbio de três semanas nos Estados Unidos com todas as despesas pagas, recebe inscrições até o próximo domingo (7).

Para ser escolhido, o aluno deve estar cursando o ensino médio, ter entre 15 e 18 anos, excelente desempenho escolar, histórico de trabalho voluntário em sua comunidade e boa fluência no idioma inglês.

As inscrições para o programa podem ser feitas somente pela internet no perfil do Facebook da Embaixada dos EUA e se encerram no 7 de agosto.

Depois do retorno dos Jovens Embaixadores dos Estados Unidos, a embaixada ainda oferece oportunidades de cursos de inglês de curta duração e de programas de graduação através dos escritórios de Orientação Educacional – EducationUSA. Em 2011, cinco alunos foram selecionados para bolsas de estudos para cursos de verão nos EUA.

O programa

O Jovens Embaixadores foi criado no Brasil em 2002 e agora é replicado em 25 países. Desde o lançamento, 249 brasileiros da rede pública já participaram de intercâmbios. Mais informações estão disponíveis no site sobre o Jovens Embaixadores.

Fonte: InfoJovem

Jovens pernambucanos celebram cidadania ativa no Dia Internacional da Juventude

04/08/2011

Com o evento “Celebrando a Cidadania Ativa”, jovens do Município de Jaboatão de Guararapes (PE) comemoram o Dia Internacional de Juventude, no dia 12 de agosto, na Moderna Escola Piaget, a partir das 14h.

A iniciativa marca a conclusão do curso Juventude e Cidadania Ativa, realizado  pela Universidade da Juventude (UNIJUV) em parceria com as Secretarias de Educação e de Juventude da  Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes.

Com o objetivo de inspirar e dar ferramentas aos jovens e encorajar a sua participação, os multiplicadores do projeto organizarão oficinas sobre cidadania ativa por meio de atividades de grafitagem, teatro, dança, debates sobre drogas e sexualidade, entre outras questões de interesse dos jovens. O evento é gratuito e oferece programação diversificada e interativa.

A Universidade da Juventude é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público que trabalha com ênfase na formação, informação, produção e gestão do conhecimento e assessoria para o desenvolvimento de políticas de juventude, em áreas de interesse e impacto social para lideranças jovens, dirigentes e gestores públicos e outros atores políticos e sociais.

A Universidade da Juventude funda-se pela associação de lideranças e profissionais da sociedade civil organizada utilizando as tecnologias de informação e comunicação para se estabelecer como referência na formulação, reflexão e análise de políticas de juventude.

Fonte: InfoJovem

Juventude é segmento com maior aceitação da diversidade sexual, aponta pesquisa

04/08/2011

A pesquisa "União Estável entre Homossexuais”, realizada no mês de julho pelo instituto de análise Ibope, aponta que a juventude se destaca como segmento com maior índice (60%) de aprovação em relação à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que reconhece a união estável homoafetiva, votada em maio de 2011. Na população geral, 55% declararam ser contra a medida do poder judiciário. As opiniões sobre o tema variam quando relacionadas ao gênero, religião, escolaridade e classe social.

Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT), avalia que a decisão do STF foi a "maior vitória da cidadania LGBT” no país. No entanto, uma mudança cultural exige tempo. "Esses dados apontam que, em 15 anos, muita coisa já mudou e vem crescendo o apoio popular”, afirma. Ele lembra que no início da década de 1990, não havia o movimento, que existe hoje, em torno dos direitos LGBT.

Sobre a aceitação de 60% dos jovens, o presidente da ABGLT acredita que a escolarização e o acesso a informações, inclusive por meio das redes sociais, auxiliam na formação de segmentos mais receptivos ao direito à diversidade sexual. Toni acredita que logo essa "juventude terá envelhecido e, em cerca de 10 anos, teremos uma sociedade ainda mais tolerante”.

Para Toni Reis, a visibilidade das organizações e as frequentes denúncias de discriminação foram fundamentais para gerar essas mudanças.

Quanto à escolarização, a pesquisa revela que quanto maior a escolaridade alcançada, maior a aceitação dos direitos LGBT, alcançando 60% de aprovação dentre os entrevistados de nível superior. Nesse sentido, Toni informou que a educação estará dentre as principais pautas do movimento durante a II Conferência Nacional LGBT, a ser realizada em dezembro deste ano. "Educação será um de nossos temas prioritários, especialmente, a educação para a cidadania”, afirmou o presidente.

No quesito religião, os evangélicos são o de maior intolerância, com 77% de reprovação a união civil homoafetiva. Quanto aos católicos, de acordo com Toni, a porcentagem de 50% representa uma importante conquista. Dentre espíritas e outras religiões, o apoio chega a 60%.

Com relação à convivência cotidiana com homossexuais, em termos profissionais ou pessoais, a maioria não vê problema nesse tipo de convívio. Na pesquisa do Ibope, 73% dos entrevistados afirmaram que não se afastariam de seu melhor amigo se ele se revelasse homossexual. "Isso é mais um avanço, pois na outra pesquisa, apenas 44% continuaria a amizade”, avalia Toni Reis.

Para ler a pesquisa na íntegra, acesse: http://media.folha.uol.com.br/cotidiano/2011/07/28/casamentogay.pdf

Fonte: Adital

Mais de 40% dos alunos das universidades federais são das classes C, D e E

04/08/2011

Cerca de 43% dos estudantes das universidades federais são das classes C, D e E. O percentual de alunos de baixa renda é maior nas instituições de ensino das regiões Norte (69%) e Nordeste (52%) e menor no Sul (33%). É o que mostra pesquisa da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que será lançada hoje (3), sobre o perfil dos estudantes das universidades federais.

Para a Andifes, o resultado do estudo, que teve como base 22 mil alunos de cursos presenciais, desmistifica a ideia de que a maioria dos estudantes das federais é de famílias ricas. Os dados mostram, entretanto, que o percentual de alunos das classes mais baixas permaneceu estável em relação a outras pesquisas feitas pela entidade em 1997 e 2003.

Segundo o presidente da Andifes, João Luiz Martins, as políticas afirmativas e a expansão das vagas nas federais mudaram consideravelmente o perfil do estudante. A associação avalia que se não houvesse as políticas afirmativas, o atendimento aos alunos de baixa renda nessas instituições teria diminuído no período.

Martins destaca que se forem considerados os estudantes com renda familiar até cinco salários mínimos (R$ 2.550), o percentual nesse grupo chega a 67%. Esse é o público que deveria ser atendido – em menor ou maior grau – por políticas de assistência estudantil. A entidade defende um aumento dos recursos para garantir a permanência do aluno de baixa renda na universidade. “Em uma família com renda até cinco salários mínimos, com três ou quatro dependentes, a fixação do estudante  na universidade é um problema sério”, diz Martins, que é reitor da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop).

O estudo identifica que 2,5% dos alunos moram em residência estudantil. Cerca de 15% são beneficiários de programas que custeiam total ou parcialmente a alimentação e um em cada dez recebe bolsa de permanência.

Minoria negra

Os dados da pesquisa mostram ainda que apenas 8,72% dos estudantes são negros. Os brancos são 53,9%, os pardos 32% e os indígenas menos de 1%.

A participação dos estudantes negros é pequena, mas aumentou em relação à última pesquisa da Andifes, de 2003, quando menos de 6% dos alunos eram negros.

Para o presidente da associação, João Luiz Martins, a evolução é tímida. “A universidade tem uma dívida enorme em relação a isso (inclusão de negros). Há necessidade de ampliar essas ações porque o atendimento ainda é muito baixo”, avalia.

Fonte: UOL/ Correio da Bahia

70% dos universitários se informam pela internet

04/08/2011

A internet é a principal fonte de informação dos universitários de instituições federais: 70% utilizam a web para ter acesso às notícias. Menos de 3% leem jornal e 20% dizem que se informam pelos telejornais. Apenas um quarto participa com frequência de atividades artísticas e culturais e mais de 60% nunca participaram do movimento estudantil.

Os dados fazem parte do estudo lançado ontem pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) sobre o perfil dos estudantes.

A pesquisa, realizada em 2010, indica que as mulheres ocupam a maioria das vagas (53,5%) e três quartos dos alunos têm até 24 anos. Cerca de 56% dos alunos das universidades federais utilizam o transporte público para ir à aula. Pouco mais de 18% vão de bicicleta, a pé ou de carona e só 21% usam transporte próprio.

Além de dados socioeconômicos, a pesquisa também traz informações sobre o comportamento e o modo de vida dos estudantes. A casa dos pais é a moradia da maioria (55,5%) dos alunos. Quase 10% vivem em repúblicas estudantis e menos de 7% moram sozinhos. O acesso à moradia estudantil na universidade ou custeada pela instituição ainda é restrito: apenas 2,5% conseguem o benefício.

Quase 15% fazem uso frequente do álcool e do tabaco e apenas 6% se declararam usuários de drogas ilícitas. Mais de 47% relataram ter vivido “crises emocionais” no período de 12 meses anterior à coleta dos dados da pesquisa, que se referem a 2010. As dificuldades estão relacionadas, em grande parte, à ansiedade, insônia, depressão, timidez excessiva ou a outros problemas que afetam a motivação para o estudo.

Fonte: Agência Brasil

Conservação de livros didáticos será premiada

05/08/2011

Termina no próximo dia 14 o prazo de inscrições no concurso Ações Inovadoras no Livro Didático, promovido pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

O objetivo é selecionar e premiar as melhores práticas sobre remanejamento, conservação e devolução dos livros, além de disseminar essas experiências para que redes de ensino possam aplicá-las em suas localidades.

Diversos municípios e escolas desenvolvem práticas que podem ajudar a aumentar o percentual de devolução do livro didático, no final do ano letivo. “Tem escola que marca prova com consulta no fim do ano e aproveita para recolher os livros, que serão utilizados por outros alunos no ano seguinte”, afirma Sonia Schwartz, coordenadora geral dos programas do livro do FNDE. “Em outras, são feitas oficinas para encampar os volumes no início do ano, o que ajuda na conservação e conscientização dos alunos.”

Podem participar do concurso secretarias estaduais e municipais de educação e todas as escolas públicas brasileiras. A inscrição deve ser feita no sítio eletrônico do FNDE, no item consultas.

Os vencedores vão apresentar suas experiências no Encontro Nacional do Livro Didático, a ser realizado no início de outubro, em Curitiba, e receberão coleções do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) – que seleciona e distribui obras literárias para escolas públicas de todo o país – e livros da coleção Educadores, que trata da obra, biografia e trajetória intelectual de importantes nomes da educação brasileira e mundial, como Paulo Freire, Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira e Jean-Jacques Rousseau.

Fonte: Nota 10

Estudante brasileiro ganha ouro em matemática na Bulgária

05/08/2011

Três estudantes brasileiros conquistaram medalhas na Olimpíada Internacional de Matemática (IMC 2011) disputada na Bulgária. Renan Finder, de 19 anos, conquistou uma medalha de ouro na competição enquanto Matheus Secco, de 18 anos, e Hugo Fonseca, de 20, ficaram em segundo lugar. Os três são alunos da PUC-Rio.

Os três têm histórico de sucesso em competições de conhecimentos. Renan já participou de olimpíadas internacionais de informática e física. Matheus participa de olimpíadas de matemática desde os 14 anos e Hugo têm prêmios em competições nacionais e uma medalha de prata na Olimpíada Internacional de Astrofísica.

A competição contou com a participação de 305 estudantes representando 77 instituições de ensino superior de todo o mundo. A delegação brasileira foi composta pelas equipes olímpicas da PUC-Rio, Instituto Militar de Engenharia (IME), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Unicamp e Fundação Getúlio Vargas (FGV-Rio).

Na olimpíada, os participantes devem resolver duas provas aplicadas em dois dias consecutivos com um tempo de cinco horas cada dia. As provas são em inglês e incluem questões de álgebra, análise real e complexa, e combinatória. As pontuações somadas determinam os vencedores.

Fonte: Globo.com