Você está aqui: Página Inicial Notícias Site do Projeto Guri permite a internauta produção musical de baixo custo

Site do Projeto Guri permite a internauta produção musical de baixo custo

31/05/2011

Elder da Silva Souza tem 12 anos, mora em Pirassununga (SP). Estuda trompete, adora rock e música clássica. E já gravou com Arnaldo Antunes. Ele e outros meninos que estudam música por meio do Projeto Guri, uma ação do Governo do Estado de São Paulo que atende 51 mil alunos no interior do Estado, participaram da mais nova iniciativa para conseguir financiamento de pessoas físicas ao projeto educacional: o site Mixer Guri (www.mixerguri.org.br), plataforma que permite ao internauta montar uma música ao custo que poderá variar de R$ 0,50 a R$ 16.

Além do cantor e poeta Arnaldo Antunes e de vários "guris" e "ex-guris", também participaram do projeto instrumentistas como o percussionista Naná Vasconcelos, o guitarrista Edgard Scandurra, o multi-instrumentista e produtor Antonio Pinto, Jaques Morelenbaum, Siba, Fernando Catatau, Toninho Ferragutti, Teco Cardoso, Guilherme Kastrup e grupo Ensemble.

Segundo Alessandra Costa, diretora executiva da Associação Amigos do Projeto Guri, a ideia foi ampliar a captação de recursos, que já recebe ajuda de empresas privadas e de pessoas físicas na faixa dos 40 anos. Mas com essa iniciativa, a direção do projeto avalia que será possível ampliar a captação de recursos, principalmente, entre os mais jovens.

Após pressão do produtor Antonio Pinto, foi gravada uma música que servirá como modelo e que poderá  ser desconstruída pelos internautas. Segundo Alessandra, a ideia nem era a de divulgar uma música pronta, mas na conversa on-line com jornalistas realizada hoje, Antonio explicou o motivo de sua pressão: "É como se a internet fizesse remédio que cura o careca. Mas o careca não sabe. A canção foi a maneira de explicar para o careca que existe o remédio", brincou o músico.

Outro ponto positivo do projeto é fortalecer a ideia da construção musical sem barreiras e a desmistificação, difícil de se dissipar, dos abismos entre a música erudita e popular. Para Antonio, essa barreira já foi quebrada há muito tempo, mas reconhece que essa visão ainda existe em cabeças "quadradonas" e em lojas de disco.

Divisão

"O bolo dá para todo mundo", explicou Naná, cujo último disco, "Sinfonia & Batuques", funde erudito e popular, como ele definiu, criando um terceiro elemento. "Eu junto sinfônica com maracatu do Recife. É isso que vai dar uma terceira coisa, o que nossos filhos e netos estão querendo. É bom ter essa janela aberta", completa.

"Do ponto de vista de política publica, é um dos papéis do Estado criar essas 'portas' e 'janelas', essas comunicações entre mundos diferentes. Não abandonamos a música erudita, mas como política pública temos visão que tem que se transitar entre diversos espaços", completa Alessandra Costa.

Para jogar, o internauta deve acessar o menu "faça sua música" no site www.mixerguri.org.br. Escolher as combinações de instrumentos e vozes, num total de 64 trechos, que podem ser misturados de várias maneiras. De acordo com o release, "para se inspirar, o usuário pode conferir um clipe com a música base, que indica alguns caminhos que cada um pode percorrer para criar sua própria música".

Fonte: Agência Estado

comments powered by Disqus