Você está aqui: Página Inicial Acervo Edição 9

Edição 9

08/03/2012

Paz

Data de Circulação: 06/07/2011

“Rap é o som da paz”

O entrevistado, o rapper Rappin Hood, morador da periferia de São Paulo, diz que o hip hop é pacifista, embora reflita a violência da sociedade

A paz que se aprende

Três educadores mostram que é possível mudar realidades pelo exercício diário da não-violência

A prática de uma utopia

Um conjunto de esforços, envolvendo diferentes segmentos sociais e em especial os jovens, transforma a violenta realidade de uma região mineira.

As diferenças e as semelhanças

A valorização, e não a supressão, do que nos distingue e do que nos assemelha é condição para a convivência pacífica

Ativistas da paz

Jovens brasileiros se envolvem em iniciativas que promovem a paz e podem mudar as estatísticas que os colocam no cerne da violência

Contatos mediados

A mediação pacífica de conflitos e a comunicação não-violenta são temas de debate entre quatro jovens de Minas Gerais, São Paulo, Santa Catarina e Rio de Janeiro

Dores discretas

Menos evidentes, as manifestações violentas em casa e contra minorias sexuais também comprometem a vivência pacífica

Educando corações

A psicóloga americana Diane Tillman, que dirige o Programa Vivendo Valores na Educação, com ações em 85 países, inclusive no Brasil, diz que a promoção da paz não pode se basear apenas na educação das mentes

Entre grades

O sistema de socioeducação para jovens em conflito com a lei é alternativa à lógica do aprisionamento que prepondera no País

Feito com as mãos

A ação do Instituto Sou da Paz tornou-se referência no combate à violência ao combinar foco especial na juventude, mobilização e parcerias

Mais portas

Uma situação de violência generalizada demanda ações sociais do governo, mas especialistas sugerem ampliar a integração e especificar as iniciativas para jovens

Meios para mudar

A transformação da cultura da violência em cultura de paz inclui a igualdade de oportunidades, que deve se estender aos jovens

O fio da meada

Os movimentos econômicos mundiais repercutem no cotidiano e podem dificultar ou facilitar a inserção pacífica dos jovens na sociedade adulta

Palco de encontros

A educação para a paz demanda a humanização das relações entre a escola e os jovens

Sintomas do mal-estar

Para especialistas, a conexão entre violência, juventude e crise de autoridade é relativa. Mais revelador é questionar os valores contemporâneos

Vias diversas

Quatro projetos, desenvolvidos em cidades do Sul, Sudeste e Nordeste, mostram como a contribuição para a paz tem diferentes caminhos