Você está aqui: Página Inicial Acervo Edição 21 O Grande Educador

O Grande Educador

Antonio Carlos Gomes da Costa sai de cena e entra para a história da defesa dos direitos da infância e da juventude no Brasil

12/08/2011

12/08/2011

Faleceu na manhã de hoje (04/02), em Belo Horizonte (MG), o educador, consultor e escritor Antônio Carlos Gomes da Costa, um dos redatores do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e autor de diversos livros e artigos em prol da promoção e defesa dos direitos do público infanto-juvenil, publicados no Brasil e no exterior.

Sua vida de educador teve início ao lecionar no ensino supletivo e, depois, no ensino regular dos antigos 1º e 2º graus, atuais ensinos fundamental e médio, há mais de 25 anos. Com o tempo, tornou-se dirigente e técnico de políticas públicas para a infância e juventude, tendo experiência em diferentes órgãos governamentais e não governamentais. Dirigiu a Escola-Febem Barão de Carmargos, em Ouro Preto, foi oficial de projetos do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e representou o Brasil no Comitê dos Direitos da Criança da Organização das Nações Unidas (ONU) em Genebra (Suíça). Colaborou, inclusive, na criação da Convenção Internacional sobre os Direitos da Criança.

Para o Gife – Grupo de Institutos, Fundações e Empresas, Antônio Carlos teve um papel central no desenvolvimento do terceiro setor e do investimento social privado no Brasil.
“Boa parte dos associados ao GIFE – além do próprio GIFE – contou com suas ricas contribuições e ideias. Foi Antônio Carlos quem lançou na década de 90 o termo ‘protagonismo juvenil’, tirando o jovem da posição de beneficiário passivo da filantropia para colocá-lo como ator principal da transformação de sua própria realidade”, diz a entidade em comunicado.

“Aquele Abraço”

Antonio Carlos foi um grande incentivador do projeto da revista Onda Jovem, e colaborador da primeira edição, que trouxe o tema projeto de vida. Em seu artigo, “Aprendendo a Empreender”, disponível neste site, ele define o perfil do jovem empreendedor na letra do samba “Aquele Abraço”, de Gilberto Gil, em que destaca o verso: “Meu caminho pelo mundo eu mesmo traço, a Bahia já me deu, graças a Deus, régua e compasso”.

“Meu caminho pelo mundo”, diz Antonio Carlos, é o projeto de vida traçado pelo próprio jovem. A “Bahia” é a educação que recebeu, as influências da família, da escola, da comunidade. A “régua” é o instrumento que ajuda a unir os dois pontos: o caminho entre o ser e o querer-ser. O “compasso”, que desenha os 360 graus, simboliza a visão do todo. E a expressão “graças a Deus” funciona como abertura à dimensão transcendente da vida: crenças, valores, convicções que servem de bússola ao ser humano.

“Esse é o perfil de um jovem empreendedor. Ser empreendedor é ter sonhos e ser capaz de trabalhar e lutar para transformá-los em realidade”, afirmou no artigo o educador.

Atualmente, Antonio Carlos Gomes da Costa exercia o cargo de diretor-presidente da empresa Modus Faciendi, pela qual prestava consultoria a instituições do Terceiro Setor, entre elas diversas associadas ao GIFE: Fundação Telefônica, Instituto Ayrton Senna, Fundação Odebrecht, Banco Bradesco, Fundação Itaú Social, Instituto Ecofuturo, Instituto Camargo Corrêa, Instituto Votorantin, Instituto Alair Martins, Instituto C&A, Oi Futuro, entre outros.



Fonte: Onda Jovem/ Gife/ Andi