Você está aqui: Página Inicial Acervo Edição 12 Aprender a empreender

Aprender a empreender

Educadora apresenta dinâmica para mostrar ao jovem o protagonismo juvenil como um caminho para o desenvolvimento de competências pessoais e produtivas.

05/08/2011

05/08/2011

A entrevista com Paulo Veras, diretor do Instituto Empreender Endeavor, registrada na matéria “Uma questão de atitude” (Onda Jovem, Ed. 12), inspira neste plano de aula a proposta de o professor sugerir aos alunos que organizem uma Semana do Empreendedorismo Juvenil em suas escolas ou espaços educativos.

As atividades foram preparadas por Carolina Jardim, psicóloga e educadora social credenciada pelo Centro Avançado de Tecnologias Sociais do Instituto Ayrton Senna, onde atua no Programa SuperAção, que entende o protagonismo juvenil como um caminho para o desenvolvimento de competências pessoais, relacionais, cognitvas e produtivas.

A idéia é convidar os jovens para vivenciarem o protagonismo juvenil em cada uma de suas etapas (Mobilização, Iniciativa, Planejamento, Execução, Avaliação e Apropriação de Resultados), conforme estão apresentadas no Programa SuperAção Jovem (www.superacaojovem.org.br). Desse modo, eles aprenderão a ser, ao mesmo tempo, autores e atores centrais das ações que irão realizar. Cada atividade proposta está baseada em uma etapa. A sugestão, então, é que o professor realize as atividades de maneia seqüencial, já que todas elas estão interligadas.

ATIVIDADE 1 – Mobilização

Objetivo: Refletir sobre o tema empreendedorismo juvenil

a) Inicie a atividade apresentando aos jovens a entrevista com Paulo Veras, que baseou a elaboração desse plano de aula. Ao apresentá-la, conte sobre a Semana Global do Empreendedorismo e a sua proposta central de realizar “seminários, jogos, debates, dinâmicas, que desafiarão os jovens a começar a transformar idéias em realidade”.
b) Então, pergunte sobre essa palavra “empreendedorismo”. Será que alguém sabe o seu significado? Sugira que os jovens levantem hipóteses e suspeitas sobre o que imaginam que esse termo significa. E, então, peça que pesquisem no dicionário e tragam para todo o grupo se as suspeitas que fizeram foram ou não confirmadas.
c) Peça que eles se reúnam em grupos aleatórios para uma primeira discussão sobre o tema e lance algumas perguntas para apoiá-los:

I. O que é empreendedorismo juvenil, na opinião do grupo?
II. Observem o título da entrevista sobre o tema publicada na revista Onda Jovem. Ser empreendedor é uma questão de atitude. Então, qual é, na visão de vocês, a atitude necessária para um jovem empreendedor?
III. Quem acha que já realizou ou participou de uma ação empreendedora na escola ou na vida? Conte como foi essa ação.
IV. O que diferencia um jovem que tem uma atitude empreendora dos outros jovens?
V. Como vocês pensam que a escola pode contribuir para que os jovens tenham uma atitude empreendora?
d) Incentive os jovens para que façam uma boa discussão, a partir das perguntas, e se identifiquem com o tema. A idéia é que eles percebam, em suas atitudes diárias, como se posicionam diante de desafios que, a todo o tempo, eles enfrentam e vejam que ser empreendedor pode não ser algo tão distante de suas vidas cotidianas.
e) Depois de uma boa discussão nos grupos, organize uma plenária e promova uma integração entre os jovens a partir das reflexões que fizeram.
f) Se possível, convide-os para acessarem o site da Semana Global do Empreendedorismo: www.semanaglobal.com.br e leiam mais sobre o que propõe a semana. Eles podem pesquisar também sobre as atividades que serão realizadas e sobre o conceito de empreendedorismo apresentado no site.
g) Finalize a atividade, lançando a seguinte pergunta: quem gostaria de se envolver em uma ação empreendora?

ATIVIDADE 2 – Iniciativa

Objetivo: Colher idéias dos jovens sobre quais atividades eles gostariam de realizar na organização de um encontro de empreendedorismo juvenil na escola

a) Agora que os jovens já foram mobilizados para o tema e pesquisaram sobre a Semana Global, lance o seguinte desafio: elaborar a Semana do Empreendedorismo na escola, ou no espaço educativo que freqüentam.
b) Inicie com uma ‘chuva de idéias’ para que eles tragam tudo o que imaginam que pode acontecer nesse evento para que a juventude possa mostrar sua força empreendedora. Desde jogos, dinâmicas, competições e debates até palestras ou eventos ligados ao tema.
c) Para inspirá-los, lembre sobre o conceito apresentado na entrevista com Paulo Veras, que diz: "Empreendedorismo é a busca incansável por oportunidades, independente dos recursos disponíveis." (Harvard Business School).
d) Registre todas as idéias que os jovens trouxerem em um quadro, mesmo que, a princípio, elas pareçam complexas ou difíceis de serem realizadas. A proposta é que eles se sintam estimulados para criar, imaginar e trazer tudo aquilo que possam se motivar para fazer.
e) Em seguida, promova uma discussão de cada uma das idéias que surgiram, a partir de algumas perguntas, para que eles façam uma reflexão sobre quais idéias são as mais viáveis ou as que mais os motivam:

I. Na entrevista, Paulo Veras, afirma que “A Semana deixará um desafio para a sociedade que se resume em tirar suas idéias do papel, ou seja, não somente ter uma idéia inovadora, mas também saber como executá-la.” A partir dessa frase, pensem nas seguintes questões:

i. As idéias que vocês tiveram são inovadoras?
ii. Vocês acham que essas idéias podem se transformar em realidade?
iii. Vocês se imaginam realizando concretamente essas idéias?

f) Após essa primeira análise das idéias, peça para cada jovem olhar o quadro com todas as idéias e escolher qual é aquela que ele mais se identifica e fazer uma escolha por uma delas para desenvolver.
g) Reforce com eles que todos poderão participar de todas as atividades que acontecerão na Semana. Inclusive, se eles quiserem, outros alunos da escola poderão se envolver. No entanto, a proposta que está sendo apresentada aqui é a de que eles sejam os idealizadores da Semana e os principais empreendedores do evento. Nesse sentido, a participação deles será diferenciada, já que vivenciarão não só as atividades voltadas para o tema do Empreendedorismo Juvenil, mas saberão como é ser empreendedor na prática.
h) Quando todos já tiverem escolhido suas idéias, aqueles que escolheram as mesmas idéias formam grupos de trabalho. Faça uma retomada no quadro e veja se as idéias que não foram escolhidas podem também ser realizadas por um mesmo grupo ou se serão descartadas.

ATIVIDADE 3 – Planejamento

Objetivo: Aprender a negociar interesses, definir papéis, dividir tarefas, transformar uma idéia em um projeto e aprofundar a discussão sobre a viabilidade de propostas.

a) Divida os jovens pelos grupos de trabalho e entregue a cada grupo uma tira com a idéia escolhida por eles, para ser trabalhada.
b) Em seguida, oriente todos os grupos que, a partir de agora, eles irão transformar as idéias sobre atividades na Semana do Empreendedorismo em projetos, de modo que definam todo o passo a passo do que precisa ser feito.
c) Para apoiá-los na transformação das idéias em projetos, convide cada grupo para montar uma matriz, para análise das forças, oportunidades, fraquezas e ameaças de suas idéias.

Fraquezas
Todos os pontos fracos, que dependem do grupo e podem fazer com que a idéia não dê certo

Forças
Todos os pontos fortes que dependem do grupo e farão com que a idéia dê certo

Ameaças
Todos os pontos fracos, que não dependem do grupo e podem fazer com que a idéia não dê certo

Oportunidades
Todos os pontos fortes que não dependem do grupo e podem fazer com que a idéia dê certo

d) Montada a matriz de análise da idéia, cada grupo precisará olhar para sua matriz e verificar se há mais forças ou fraquezas e se há mais oportunidades ou ameaças.
e) É fundamental que as fraquezas sejam transformadas em forças, assim como as ameaças em oportunidades. Trabalhe com os jovens essas idéias e mostre que, eles já estão, a partir de todas essas discussões, desenvolvendo suas atitudes empreendedoras.
f) Conte a eles um conto, para inspirá-los: “Dizia-se que, há algum tempo atrás, uma grande revendedora de calçados queria expandir seus negócios e enviou um representante para a África. Chegando lá, esse representante ficou muito assustado e ligou para a empresa, pedindo que suspendessem todos os lotes de calçados, pois lá na África todos só andavam descalços. Tudo foi suspenso. Depois de algum tempo, a revendedora tentou novamente e enviou outro representante. Chegando lá, esse representante ligou imediatamente para a empresa, dizendo que os lotes de calçados precisariam ser triplicados, pois lá na África, todos só andavam descalços!” Então, qual é a moral da história? Reforce o quanto a atitude empreendedora está na visão de cada um ao se olhar para uma situação como risco ou como oportunidade.
g) Definidas e discutidas as matrizes sobre cada idéia, cada grupo irá montar um plano de ação, bem simples, respondendo a cinco perguntas: o que / por quê / quem / quando / como. Dê a eles algumas dicas, a partir do exemplo a seguir:
I. O que: descrevam a idéia, por exemplo: realizar um debate sobre idéias inovadoras para melhoria da escola;
II. Por quê: justificativa, tragam o que os motivou a escolher essa idéia, por exemplo: escolhemos fazer um debate por ser uma estratégia em que todos falam e também se ouvem. O tema de idéias inovadoras para melhorar a escola foi escolhido porque achamos que a escola precisa de muitas melhorias e só com idéias inovadoras conseguiremos transformar de fato a escola;
III. Quem: jovens responsáveis para executar a idéia. Vocês podem aqui escolher um nome bem legal para o grupo, por exemplo: Jovens Inovadores – grupo de 6 jovens do 1o Ano do Ensino Médio, turma A.
IV. Quando: dia, hora e tempo de duração da atividade a ser realizada, por exemplo: dia 14/11, das 13 às 15 horas.
V. Como: o que precisarão para realizar a atividade (materiais, recursos finaceiros e humanos), e o passo a passo para que ela aconteça, por exemplo: o debate acontecerá no pátio, com todos os alunos que participarão sentados em roda. Serão no máximo 20 alunos do Ensino Médio e caso haja mais interessados, faremos duas turmas. Primeiro, cada um escreverá em tiras de papel quais são os problemas da escola e, em seguida, faremos uma primeira rodada. Depois, todos escreverão no verso da folha, uma idéia inovadora para resolver esse problema. Então, faremos a segunda rodada do debate. Para finalizar, cada um sairá com o desafio de encontrar parceiros para transformar sua idéia em realidade.
h) A partir das 5 perguntas respondidas e registradas, as idéias já se transformaram em um pequeno projeto que está pronto para ser executado. O próximo passo é todos os grupos apresentarem seus planos de ação, para que organizem a Semana, de modo que cada dia seja coordenado por um dos grupos, ou todos os grupos coordenem atividades em diferentes horários, todos os dias.
i) Os combinados, nesse momento, precisam ser bem claros para que todos percebam que por trás de cada planejamento já realizado, haverá um planejamento maior, da Semana como um todo. Para apoiá-los, divida o quadro em cinco dias (caso eles queiram fazer atividades em todos os dias) e registre em cada dia: atividade, grupo responsável, horário e materiais necessários.
j) Convide cada grupo para registrar um resumo de seu plano de ação, no quadro, para que todos tenham a visão da semana toda e negociem desafios que poderão surgir.
k) Para finalizar, sugira que todos os alunos pensem em um nome que queiram dar para o evento, bem criativo e que seja a cara deles.

ATIVIDADE 4 – Execução

Objetivo: Realização da Semana do Empreendedorismo na escola, a partir do que foi idealizado e planejado pelos próprios jovens

a) Nessa atividade, os jovens colocarão em prática as atividades que idealizaram e planejaram, já que irão organizar, coordenar e também participar da Semana do Empreendedorismo na escola.
b) A intenção dessa atividade é prepará-los para que consigam transformar tudo o que pensaram em realidade:

i. Retome com todos os grupos os combinados realizados
ii. Verifique se os jovens estão com todos os materiais para as atividades
iii. Oriente cada grupo para se reunir rapidamente e verificar se todos se lembram de seus papéis e se estão tranquilos para executá-los

c) Durante a execução da semana, oriente os jovens para que fiquem bastante atentos tanto às atividades que estão coordenando, quanto àquelas de que estarão apenas participando. Deixe claro que, ao final da semana, todos avaliarão, juntos, os resultados atingidos.

ATIVIDADE 5 – Avaliação e Apropriação dos Resultados

Objetivo: Refletir sobre as conquistas e os desafios das atividades realizadas e os aprendizados em todo o processo.

a) Terminada a Semana do Empreendedorismo na escola, convide os jovens para uma análise sobre as atividades que eles coordenaram e também aquelas de que apenas participaram.
b) Inicie retomando cada grupo de trabalho e divida o quadro em três colunas, com os seguintes títulos: Conquistas / Desafios / Aprendizados. Dê a eles as seguintes dicas, para que cada grupo reproduza o quadro e faça a análise das atividades que coordenaram:

I. Conquistas: eles irão discutir e registrar todas as conquistas que obtiveram na atividade, relembrando os pontos levantados na matriz das forças, oportunidades, fraquezas e ameaças. Se for preciso, peça que eles peguem as matrizes e os planos e vejam o que deu certo e quais foram os desafios superados a partir das ações feitas;
II. Desafios: aqui eles discutem e registram apenas os desafios que avaliam não terem sido superados, ou seja, que precisarão superar em uma próxima ação. Aqui também vale a dica de retomar a matriz e o plano de ação;
III. Aprendizados: nessa coluna todos relembram as discussões iniciais sobre o que define uma atitude empreendedora e colocam os aprendizados que tiveram, se possível, nos quatro âmbitos: no âmbito pessoal (Ser), no âmbito relacional (Conviver), no âmbito cognitivo (Conhecer) e no âmbito produtivo (Fazer). Traga alguns exemplos, caso facilite:

a. Âmbito pessoal (Ser): aprendi a ter mais confiança em mim mesmo; aprendi a me soltar mais e perder a timidez; aprendi a conhecer melhor minhas qualidades;
b. Âmbito relacional (Conviver): aprendi a ouvir mais a opinião do outros; aprendi a ouvir, mais do que falar; aprendi a aceitar quando alguém pensa diferente de mim;
c. Âmbito cognitivo (Conhecer): aprendi a ler e escrever melhor; aprendi conhecimentos novos; aprendi como realizar um plano de ação;
d. Âmbito produtivo (Fazer): aprendi a empreender; aprendi a ter idéias inovadoras; aprendi a coordenar uma atividade;

c) Para uma análise mais cuidadosa, sugira que cada jovem faça, primeiramente, uma análise individual e, em seguida, compartilhe sua análise com seu grupo e todos discutem para chegar às conclusões comuns.
d) Finalize com uma grande plenária, em que todos tragam as conquistas, comemorem o que deu certo, as aprendizagens conquistadas e percebam o que precisam desenvolver para superar os desafios elencados. Nesse momento, todos os grupos podem opinar e ampliar a visão que cada um trouxe, para enriquecer a discussão.
e) Encerre todo o processo, convidando-os a participarem da Semana Global do Empreendedorismo, de 17 a 23 de novembro de 2008, inscrevendo suas idéias e disseminando os bons exemplos que tiveram, a partir do site: www.tiresuasideiasdopapel.org.br

FONTES DE APOIO AO PROFESSOR:

  • Kit do Game SuperAção, Programa SuperAção Jovem. Instituto Ayrton Senna, São Paulo, 2008.
  • COSTA, Antonio Carlos Gomes e ANDRÉ, Simone. Educação para o Desenvolvimento Humano. Instituto Ayrton Senna, São Paulo, 1a Edição, 2004.
  • COSTA, Antonio Carlos Gomes (org.). O Mundo, o Trabalho e Você. Instituto Ayrton Senna, São Paulo, 2002.

 

registrado em: